10 coisas que você deve saber sobre a fosfina na atmosfera de Vênus

Tempo de leitura: 4 min.

Como publicado aqui no OVNI Hoje (muito antes da grande mídia, modéstia à parte 😉) sinais de possível vida microbiana foram encontrados na atmosfera de Vênus. E, como não podia deixar de ser, por esta ter sido uma descoberta um tanto impactante, a mídia ao redor do mundo entrou em polvorosa. Abaixo está um artigo interessante publicado pelo editor do site curiosmos.com, Ivan Petricevic.

10 coisas que você deve saber sobre a fosfina na atmosfera de Vênus
Ilustração: Micróbios podem estar vivendo nas nuvens de Vênus.

A Terra é o único lugar em todo o universo onde existe vida. Isso está de acordo com nosso melhor conhecimento de nosso sistema solar, galáxia e do universo em geral. Felizmente para o universo, nossa compreensão dele está longe de ser extensa.

E quando pensamos sobre isso, nosso conhecimento de nossa galáxia e do sistema solar não é muito melhor.

Apesar de todos os nossos avanços tecnológicos do século XXI, a humanidade ainda está em sua infância quando explora o sistema solar.

Claro, enviamos a humanidade à superfície da Lua e enviamos espaçonaves em alta velocidade em direção ao espaço interestelar.

No entanto, ainda não conseguimos responder a uma das perguntas mais frequentes; Estamos sozinhos no universo?

Podemos ter um palpite e dizer que provavelmente não.

Na verdade, existem alguns lugares no sistema solar onde a vida como a conhecemos pode existir neste exato momento.

Marte é um desses planetas. O planeta vermelho tem sido frequentemente citado como o local mais parecido onde a vida como a conhecemos pode ter se desenvolvido. Estudos recentes de Marte indicam que, se houver vida lá, provavelmente está localizada bem abaixo da superfície.

A recente missão Perseverance da NASA, que deverá atingir a superfície do planeta vermelho em fevereiro de 2021, nos ajudará a descobrir se Marte já foi habitado no passado e se há vida lá agora.

Além de Marte, há boas chances de que algumas luas de Saturno e Júpiter também tenham desenvolvido vida em sua superfície.

As futuras missões a Encélado e Europa nos ajudarão a entender melhor como são essas distantes luas alienígenas e se há vida nas profundezas de suas superfícies. A vida em Encélado e Europa seria diferente de tudo que já vimos antes.

Mas há outro lugar no sistema solar onde a vida pode existir.

É Vênus, e um artigo recente da Royal Astronomical Society pode ter fornecido evidências da existência de vida em Vênus enquanto falamos. Com a ajuda do Telescópio James Clerk Maxwell, os cientistas detectaram traços de fosfina na atmosfera venusiana.

A descoberta anômala levou a observações de acompanhamento, que foram feitas com um grupo de 45 telescópios do Atacama Large Millimeter/Submillimeter Array (ALMA) no Chile. As observações de acompanhamento apenas confirmaram a descoberta. Esses tipos de telescópios terrestres podem ajudar os astrônomos a compreender melhor como são os objetos celestes em nosso sistema solar e em outros lugares. No entanto, esses telescópios são limitados pelas condições climáticas da Terra.

Dez coisas que você deve saber

1) Em 14 de setembro de 2020, a Royal Astronomical Society informou que os astrônomos haviam encontrado evidências conclusivas de um gás conhecido como fosfina na atmosfera de Vênus, cerca de 50 quilômetros acima da superfície. Esta é, de acordo com os astrônomos, uma grande descoberta porque a detecção de moléculas de fosfina, que consistem em hidrogênio e fósforo, pode apontar para vida extraterrestre “aerotransportada”. A descoberta foi descrita em um estudo publicado na Nature Astronomy.

2) Isso é algo grandioso, já que altas concentrações de Fosfina na atmosfera de Vênus podem provavelmente ser o resultado de organismos que flutuam livremente, os quais residem na atmosfera do planeta. Curiosamente, a uma distância de 50 quilômetros acima da superfície, onde o gás foi detectado, as condições de vida poderiam ser suficientemente estáveis, ao contrário da própria superfície onde a acidez destruiria a vida como a conhecemos.

3) Embora a descoberta seja estonteante e a primeira vez que possamos realmente ter encontrado evidências sólidas de vida fora da Terra, anteriormente os cientistas já haviam especulado que microorganismos poderiam viver bem acima da superfície venusiana. No entanto, nenhuma tal evidência havia sido encontrada até agora.

4) Embora a presença de fosfina na atmosfera venusiana seja um grande problema, os cientistas não sabiam o quão importante era até que verificaram quanto do gás estava presente.

5) Usando modelos desenvolvidos pelo professor Hideo Sagawa, os pesquisadores descobriram que o gás estava presente em cerca de vinte moléculas em cada bilhão, o que é relativamente escasso.

6) A fosfina, embora diretamente ligada à existência de vida, também pode ser o resultado de processos naturais. A fosfina também pode ser produzida pela luz do Sol, minerais soprados da superfície, vulcões ou relâmpagos.

7) Embora a Fosfina também possa ser uma ocorrência natural não relacionada à vida em Vênus, ela não pode ser produzida em qualquer lugar perto da quantidade descoberta em Vênus pelos telescópios.

8) Isso significa —indiretamente— que a Fosfina em Vênus não é o resultado de processos naturais não relacionados à vida e que é muito provável que existam colônias de microorganismos flutuantes na atmosfera venusiana.

9) Na verdade, os processos naturais em Vênus poderiam produzir cerca de um milésimo da quantidade de fosfina que os telescópios observaram na atmosfera venusiana.

10) Observações anteriores de Vênus sugeriram a existência de uma “faixa escura” onde a luz ultravioleta é absorvida, e é lá onde as colônias de micróbios “estranhos” poderiam existir. Em nosso próprio planeta, a fosfina é aparentada por micróbios em ambientes carentes de oxigênio.

Conclusão

A descoberta da fosfina na atmosfera venusiana é de importância sem precedentes. É a coisa mais próxima que descobrimos de provar que não estamos sozinhos no universo, mesmo que a vida em Vênus, se existir, seja na forma de vida microbiana.

No entanto, aumentaria muito as chances de que em algum lugar lá fora, talvez no sistema estelar mais próximo da Terra, a vida tenha se desenvolvido e evoluído ao longo de milhões de anos, assim como aconteceu aqui na Terra.

Talvez em algum lugar, em um exoplaneta distante onde exista água líquida, existam seres sencientes olhando para as estrelas assim como nós, imaginando se há alguém lá fora.

Vênus agora merece toda a nossa atenção e devemos trabalhar para aprender mais sobre sua atmosfera e como são essas “criaturas alienígenas” se, é claro, elas realmente estiverem lá.

Vamos parar um pouco e pensar sobre o que isso significaria para a sociedade, a humanidade, a religião e o universo como um todo se houvesse vida em Vênus agora.

Minha mente está explodindo.

Ivan Petricevic.

(Fonte)


Os cientistas podem dizer o que quiserem contestando essa descoberta (e muitos já estão), mas uma coisa a história já provou para nós inúmeras vezes: teorias que se pensavam ser infalíveis foram e continuam sendo desbancadas. E a ideia de que estamos sós no Universo já passou de seu tempo de ser desbancada; ela ainda persiste na teimosia e vaidade das mentes que se acham donas da verdade e a impõem ao resto do mundo. Mas o tempo é o senhor da verdade, demore o que demorar.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site.

Clique aqui para apoiar através do site Apoia.se, ou use o botão abaixo:


*Agora você também pode doar através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:

(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.