web analytics
Tempo de leitura: 2 min.

Manchas avermelhadas na superfície de Plutão intrigam cientistas

Tempo de leitura: 2 min.

Uma equipe de pesquisadores da Holanda recriou as condições observadas na atmosfera de Plutão em uma câmara de laboratório e, em seguida, injetou plasma para simular a radiação espacial.

Manchas avermelhadas na superfície de Plutão intrigam cientistas
Foto de Plutão, em cores. Crédito: NASA

Seu objetivo era investigar um fenômeno estranho na superfície do planeta anão, avistado pela primeira vez pela espaçonave New Horizons da NASA em 2015, relata a New Scientist: enormes manchas avermelhadas que pontilham a superfície do planeta. A maior, que foi sinistramente apelidada de Cthulhu Macula, é uma região escura prolongada perto do equador do planeta anão.

O melhor palpite dos cientistas é que as manchas avermelhadas são o resultado de algo que os cientistas chamam de tholins, compostos orgânicos criados na atmosfera quando a radiação ultravioleta ou cósmica aquece carbono, metano e compostos contendo dióxido de carbono, que então se precipitam na superfície do planeta. A teoria diz que a radiação faz com que esses compostos fiquem com um tom vermelho escuro e turvo, criando as bolhas observadas pela New Horizons.

Em seus testes, no entanto, a equipe da Delft University of Technology descobriu que era impossível recriar os tons avermelhados da região da Macula de Cthulhu usando a composição química observada pela New Horizons – mostrando que ainda há muito que não sabemos sobre o planeta anão distante, mesmo quase cem anos após sua descoberta.

Recriando Tholins

A equipe não descartou a teoria de que os tholins podem ser os culpados pelas manchas vermelhas, conforme detalhado em seu artigo, que foi publicado na revista Icarus – mas outra coisa também pode estar contribuindo para sua formação, como o Science Alert explicou.

Os raios cósmicos podem, por exemplo, estar mudando a maneira como os tholins refletem a luz ou as regiões do planeta podem ser mais porosas devido à sublimação do gelo. A fraca gravidade de Plutão também pode estar fazendo com que os tholins criem uma leve camada de tholins, resultando em uma crosta porosa, que é o “cenário preferido” da equipe, de acordo com o periódico.

Mas muitas perguntas permanecem sobre as manchas vermelhas gigantes de Plutão. Embora os cientistas tenham sugerido uma missão de retorno a Plutão, a NASA não planeja formalmente retornar ao planeta anão tão cedo.

(Fonte)


Lembrando que a própria NASA considera a possibilidade de vida em Plutão, como já mostrado no artigo abaixo:

– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol