web analytics

O Pentágono está mentindo sobre os OVNIs

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 4 min.
Ouça este artigo...

Por Marik von Rennenkampff
O Congresso dos Estados Unidos realizou uma audiência histórica sobre OVNIs em julho passado. A audiência, que contou com depoimentos de dois ex-pilotos de caça da Marinha e um ex-oficial sênior de inteligência, atraiu uma notável quantidade de atenção e interesse não vistos no Capitólio há anos.

O Pentágono está mentindo sobre os OVNIs
Crédito da imagem ilustrativa: n3m3/Bing/Copilot

Em uma troca notável, o deputado Matt Gaetz (R-Flórida) descreveu como seu gabinete recebeu uma “divulgação protegida” da Base Aérea de Eglin, na Flórida, sobre um incidente de OVNI em janeiro de 2023 no Golfo do México. Depois de ser impedido pela Força Aérea, ele fez um lembrete tenso aos militares na base sobre “como as autoridades fluem nos Estados Unidos da América”. A Força Aérea cedeu, permitindo que Gaetz revisasse os dados dos sensores coletados durante o encontro.

De acordo com Gaetz, os pilotos de caça rastrearam quatro objetos desconhecidos voando em uma “formação clara de diamante”. Notavelmente, o incidente ocorreu em um campo de treinamento normalmente livre de qualquer interferência aérea.

Imagens estáticas indicavam que um dos objetos demonstrava capacidades que Gaetz, que serviu no Comitê de Serviços Armados da Câmara por quase uma década, “não foi capaz de associar a nenhuma capacidade humana, seja dos Estados Unidos ou de qualquer um dos nossos adversários”.

Dados de radar, de acordo com Gaetz, mostraram que os quatro objetos se moviam em uma “formação muito clara [com] separação equidistante”.

Como observou Gaetz, e documentação adicional confirmada, o radar do caça parou de funcionar quando o jato se aproximou a 1.200 metros de um dos objetos. A câmera infravermelha do jato também apresentou defeito, exigindo que o piloto tirasse manualmente imagens estáticas de um dos objetos desconhecidos.

Em um relatório de resolução de caso publicado na semana passada, o escritório de análise de OVNIs do Pentágono concluiu com confiança “moderada que o objeto observado pelo piloto era um balão, provavelmente “um grande balão de iluminação comercial”.

Esta suposta explicação insulta a inteligência de qualquer leitor que reserve alguns minutos para revisar os detalhes do incidente. Isso não convenceu nem o mais proeminente cético sobre OVNIs do mundo. O esboço do objeto feito pelo piloto, descrito como semelhante a uma “nave espacial Apollo”, não tem nenhuma semelhança plausível com o design de qualquer balão de iluminação industrial conhecido.

Liguei para a empresa com sede na Flórida que produz os balões de iluminação comercial de alta qualidade mencionados pelo escritório de OVNIs. De acordo com a empresa, é inédito que tais balões cativos de nível industrial flutuassem espontaneamente. Em um breve vídeo, o projetista de iluminação vencedor do Emmy, Matt Ford, que usou os balões de iluminação em questão, detalhou o absurdo da explicação do Pentágono.

O Pentágono, surpreendentemente, queria que o público americano acreditasse que este evento aparentemente impossível ocorreu quatro vezes, simultaneamente. Enquanto isso, o mau funcionamento dos sensores duplos a bordo do caça, um dos quais ocorreu apenas nas proximidades do OVNI, permanece inexplicável.

Talvez o mais flagrante seja o fato de que o escritório de OVNIs do Pentágono não aborda como vários balões, separados verticalmente por incrementos de mil pés (300 m), poderiam manter plausivelmente uma formação de diamante “muito clara” e “equidistante” em grandes altitudes sob ventos fortes.

Pior ainda, o piloto descreveu o objeto principal como “estacionário” ou se movendo “muito lentamente”. Dados os ventos de aproximadamente 80 milhas por hora (130 km/h) observados em altitude no dia do incidente, as observações do piloto são incongruentes com a explicação do Pentágono sobre o balão.

Gaetz afirmou, com razão, que a avaliação do Pentágono está “incompleta e não reflete todos os dados que me foram mostrados”. Gaetz também pediu a divulgação pública das imagens e dados de radar associados ao encontro.

O incidente de Eglin, em suma, serve como um microcosmo das muitas explicações absurdas e implausíveis que o governo ofereceu ao longo dos anos para incontáveis ​​incidentes com OVNIs.

Mais recentemente, o Pentágono divulgou uma revisão mandada pelo Congresso do envolvimento do governo dos EUA com OVNIs. O relatório, que está repleto de erros factuais básicos, omissões e uma longa lista de distorções históricas, deixa muito a desejar. Christopher Mellon, ex-alto oficial de inteligência civil do Departamento de Defesa, criticou o escritório de OVNIs em uma análise contundente de 16.000 palavras do relatório.

Entre as muitas falhas do relatório está uma flagrante falsidade sobre um estudo científico rigoroso que a Força Aérea encomendou no início da década de 1950 para analisar os milhares de relatos de OVNIs que tinha recebido. De acordo com o Escritório de OVNIs do Pentágono, este relatório, do Battelle Memorial Institute, descobriu que “todos os casos que tinham dados suficientes foram resolvidos e explicáveis”. Essa afirmação é comprovadamente falsa. Na verdade, o estudo caracterizou como “desconhecidos” 33% dos casos de OVNIs considerados “excelentes” – isto é, aqueles que envolvem observadores treinados ou múltiplos e com informações suficientes para chegar a uma conclusão. E Battelle empregou um limite particularmente alto para designar um avistamento como “desconhecido”, exigindo um consenso de grupo entre os cientistas avaliadores.

A flagrante deturpação desta análise por parte do Pentágono é semelhante à sua chamada explicação para o incidente da Base Aérea de Eglin. Em suma, a abordagem de décadas de “nada para ver aqui” aos OVNIs continua inabalável.

De forma crítica, a posição pública do Pentágono contrasta com os documentos internos do Departamento de Defesa. Por exemplo, uma diretriz divulgada no ano passado pelo Estado-Maior Conjunto observou que incidentes anômalos estão ocorrendo em todo o mundo, inclusive “dentro ou perto do território… dos Estados Unidos, de seus aliados e de seus adversários”.

Com objetos desconhecidos exibindo tecnologia altamente não convencional penetrando descaradamente o espaço aéreo em torno de silos de mísseis nucleares e outras instalações militares sensíveis, o público estadunidense merece a verdade, a transparência e muito mais integridade analítica do que o Pentágono está demonstrando atualmente.

(Fonte)

Marikvon Rennenkampff atuou como analista no Departamento de Segurança Internacional e Não-Proliferação do Departamento de Estado. Ele foi nomeado pelo governo Obama no Departamento de Defesa dos EUA.


Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Leopoldo Della Rocca ❤️ Egídia L dos Santos ❤️

Muito obrigado!

Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!

hit counter code