Poderíamos encontrar OVNIs em imagens de satélites?

Tempo de leitura: 3 min.

Por Avi Loeb

Estamos acostumados a olhar para cima para encontrar OVNIs do tipo relatado pelo Escritório do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) em 25 de junho de 2021. Seis meses após o relatório do ODNI, Presidente Biden assinou em lei – com apoio bipartidário no Congresso – o estabelecimento de um novo escritório OVNI. O escritório, que deve começar a operar até junho de 2022, iniciará um esforço coordenado de relatórios e resposta a OVNIs e melhorará significativamente o compartilhamento de dados entre agências governamentais sobre avistamentos de OVNIs.

Poderíamos encontrar OVNIs em imagens de satélites?
Crédito da ilustração: depositphotos

Mas também é possível encontrar OVNIs observando-os de satélites que fazem imagens da Terra. Por exemplo, o Planet Labs usa sua frota de satélites em miniatura para obter imagens de toda a Terra uma vez por dia com uma resolução espacial de 3,5 metros por pixel.

O Projeto Galileo que estou liderando visa desvendar a natureza dos OVNIs. Além de construir seu primeiro sistema de telescópio no telhado do Harvard College Observatory nos próximos meses, o projeto planeja usar os dados do Planet Labs na busca por OVNIs vistos de cima. Os algoritmos de Inteligência Artificial (IA) podem distinguir equipamentos extraterrestres de objetos familiares como um meteoro, um avião ou um fenômeno atmosférico. Como não há pássaros, aviões ou relâmpagos acima da atmosfera da Terra, qualquer objeto com altitude superior a 50 quilômetros parece incomum e merece uma análise mais aprofundada.

O método mais simples para lidar com essa tarefa foi definido por Arthur Conan Doyle no livro “The Case-Book of Sherlock Holmes”, onde afirmou:

“Quando você elimina tudo o que é impossível, então o que resta, por mais improvável que seja, deve ser o verdade.”

Dedução por eliminação é a melhor maneira de um morador de caverna concluir que um celular não é uma pedra brilhante, com base na capacidade do aparelho de gravar vozes e imagens. Da mesma forma, ao analisar novos dados de telescópios, os algoritmos de IA podem separar objetos desconhecidos daqueles que são naturais – como pássaros e meteoros, ou feitos pelo homem – como drones e aviões. Isso pode ser parte de uma experiência de aprendizado porque: “O que resta, por mais improvável que seja, deve ser a verdade”.

Equipamentos extraterrestres podem ser diferenciados de objetos terrestres, não apenas resolvendo parafusos ou etiquetas incomuns impressas em seu hardware, mas também com base em seu comportamento incomum. Anomalias comportamentais incluem movimento em velocidades ou acelerações sem precedentes, não acessíveis a fenômenos naturais ou feitos pelo homem, bem como atividade inteligente – buscar informações ou responder a circunstâncias de maneiras que não podem ser imitadas por objetos familiares. Usamos traços comportamentais rotineiramente em nossa vida diária para reconhecer pessoas inteligentes antes mesmo de nos envolvermos com elas. A combinação de características físicas e comportamentais incomuns poderia estabelecer o caso de equipamentos tecnológicos extraterrestres além de qualquer dúvida razoável.

Uma vez que um objeto extraterrestre é identificado, o desafio muda para descobrir seu propósito. Conhecer a intenção dos visitantes de nossa casa é de suma importância para nos orientar sobre como interagir com eles. Um encontro com um visitante extraterrestre pode ser facilmente mal interpretado, como na história do cavalo de Tróia da mitologia grega, especialmente se o sistema de IA do convidado for muito mais avançado que nossa inteligência natural.

O hardware extraterrestre pode tirar proveito da realidade física que vai além do nosso entendimento científico atual. Isso seria natural se o objeto fosse fabricado por uma cultura científica cuja base de conhecimento científico fosse muito mais avançada do que nossa compreensão secular da mecânica quântica e da gravidade.

Estamos confiantes de que nossa compreensão do universo é incompleta, porque rotulamos dois de seus constituintes mais abundantes como “matéria escura” e “energia escura”, por falta de um melhor conhecimento de sua natureza. Sabemos apenas que a matéria escura induz a gravidade atrativa como a matéria comum que encontramos na Terra, enquanto a energia escura induz a gravidade repulsiva – desencadeando a expansão acelerada do universo. Se uma civilização tecnológica extraterrestre fosse capaz de aproveitar esses componentes cósmicos desconhecidos, mas mais abundantes, para alimentar a propulsão de seus veículos projetados, nossos telescópios não detectariam as colunas de exaustão padrão que geralmente cercam as naves feitas pelo homem.

As leis conhecidas da física e da matemática devem ser aplicadas a todas as civilizações tecnológicas que já existiram nos 13,8 bilhões de anos desde o Big Bang. No entanto, ainda pode haver capacidades de propulsão e comunicação além de nossa imaginação, consistentes com nosso conhecimento atual. Nesse caso, um encontro com equipamentos extraterrestres nos educará sobre a própria natureza e não apenas sobre a existência de outras civilizações além da nossa. A nova lição sobre a natureza pode ser muito mais importante porque ampliará nossa compreensão do universo como um todo.

A “experiência eureca” seria semelhante a moradores de cavernas aprendendo sobre paisagens distantes, muito além daquelas vivenciadas, a partir das imagens armazenadas no celular que encontraram. Ao observar a história humana, um comitê interestelar pode decidir que ainda não há evidências de inteligência no sistema solar. Mas nossos sistemas de IA podem receber uma pontuação mais alta por terem parentesco com seus parentes tecnológicos, aqueles sistemas de IA produzidos por extraterrestres.

Esperamos que nossos filhos tecnológicos, ou seja, os sistemas de IA que desenvolvemos, se saiam melhor do que os humanos. No esquema maior do universo, o céu é o limite.

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO… e (importante) se puder, ajude na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo:

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!