O mistério dos “Obeliscos Antigos” na Lua

Tempo de leitura: 6 min.

Muitos fenômenos observados no superfície lunar parecem ter sido concebido por seres inteligentes. Sondas dos Estados Unidos e da Rússia fotografaram duas dessas “construções” de perto.

O mistério dos “Obeliscos Antigos” na Lua
Crédito da ilustração: Capa do livro “Obellisks: Towers of Power: The Mysterious Purpose of Obelisks – Childress” de David Hatcher

A Luna-9 da Rússia e a Orbiter-2 dos EUA fotografaram grupos de estruturas sólidas em dois locais amplamente separados na superfície lunar. Estes dois grupos de objetos estão dispostos em padrões geométricos definidos e parecem ter sido colocado lá por seres inteligentes. Já que as autoridades espaciais americanas optaram por não divulgar essas descobertas, os nossos leitores provavelmente não estão cientes de sua existência.

As fotografias da Luna-9, tiradas em 4 de fevereiro de 1966, após o pouso da nave no Oceano de Tempestades, revelam duas linhas retas de pedras equidistantes que se parecem com os marcadores ao longo de uma pista de aeroporto. Essas pedras circulares são todas idênticas e estão posicionadas em um ângulo que produz um forte reflexo do Sol, o que as tornaria visíveis para as aeronaves que descem.

Ao examinar as fotografias, o cientista russo Dr. S. Ivanov, ganhador do Prêmio Laureado do Estado (equivalente ao Prêmio Nobel) e inventor dos filmes estéreo na URSS, observou que um deslocamento casual da Luna-9 em seu eixo horizontal fez com que a segunda e o terceira fotos das pedras fossem tiradas em ângulos ligeiramente diferentes. Este conjunto duplo de fotografias permitiu-lhe produzir uma visão estereoscópica tridimensional da “pista” lunar.

O porquê da estação Luna-9 ter alterado sua posição entre as suas segunda e terceira transmissões não é conhecido. A explicação oficial russa foi: “Deformação da superfície lunar. O solo pode ter se instalado no local onde a estação caiu, ou talvez uma pequena pedra causou a instabilidade inicial”.

Seja qual for a razão, foi boa sorte para os observadores russos.

O Dr. S. Ivanov e o engenheiro Dr. A. Bruenko relataram:

Com o efeito estereoscópico, podemos afirmar que a distância entre as pedras, um, três, dois e quatro é igual. As pedras são idênticos na medição. Não parece haver qualquer altura ou elevação próxima de onde as pedras poderiam ter sido roladas e espalhadas para esta forma geométrica. Os objectos vistos em três-D parecem ser dispostos de acordo com as leis geométricas definidas.“

O mistério dos “Obeliscos Antigos” na Lua
A foto acima foi gravado pelo Orbiter H-2 a partir de 37 quilômetros acima da superfície lunar, e mostra sombras por oito torres. De acordo com a NASA, a área fotografada tem cerca de 740 por 540 pés (225 por 164 metros) nas coordenadas 15° 30′ L e 40° 30′ N. O Sol estava 11 graus acima do horizonte lunar. O plano geral da disposição de um destes objectos é mostrado no diagrama no topo da página. Os cientistas russos que examinaram as relações geométricas entre os objetos encontraram que os números 3, 4 e 5 estão em exatamente o mesmo arranjo como as pirâmides de Quéops, Quéfren e Miquerinos. em Gizé, no Egito. Estimativas russas colocaram a maior torre, a de número 7, como sendo tão alta quanto um prédio de quinze andares.

O segundo conjunto de fotografias foram tiradas por da América Orbiter-2 em 20 de novembro de 1966, quarenta e nove quilômetros acima da superfície lunar, ao longo do Mar da Tranquilidade. As fotografias, de uma área de cerca de 3.000 quilômetros da “pista”, relatada pelos russos no Oceano das Tormentas, mostram o que parecem ser as sombras de oito torres pontiagudas em forma de “agulha de Cleopatra” (antigo obelisco egípcio agora no Central Park, em Nova Iorque) e o Monumento de Washington.

Desde câmeras Orbiter-2 do foram apontadas para baixo diretamente para esses obeliscos, apenas suas sombras são visíveis; mas a NASA afirmou que o Sol estava a onze graus acima do horizonte e, a partir disso, os cientistas espaciais americanos estimaram que a “maior protuberância” tem de cerca de quinze metros de largura na base e de doze a 23 metros de altura.

O mistério dos “Obeliscos Antigos” na Lua

No entanto, os cientistas russos que examinaram as fotos do Orbiter-2 discordaram dessas estimativas americanas e disseram que o menor desses oito obeliscos aparentes era “semelhante a uma árvore de abeto extremamente grande”, enquanto o maior era, segundo suas estimativas, três vezes a altura reivindicada pelos americanos – ou tão alta quanto um prédio de quinze andares!

Além disso, o engenheiro espacial soviético Alexander Abramov apresentou uma análise geométrica bastante surpreendente do arranjo desses objetos. Ao calcular os ângulos em que eles parecem estar definidos, ele afirma que eles constituem um “triângulo egípcio” na Lua – uma configuração geométrica precisa conhecida no antigo Egito como Abaka.

Ele afirma:

“A distribuição desses objetos lunares é semelhante ao plano das pirâmides egípcias construídos pelos faraós Quéops, Quéfren e Miquerinos em Gizé, perto do Cairo. Os centros dos pináculos nesta Abaka lunar são organizados exatamente da mesma forma que os ápices das três grandes pirâmides.“

Qual é a posição dos Estados Unidos relativo à investigação dos objetos misteriosa lua? Uma alta autoridade da NASA, quando questionada sobre o que foi feito nos quatro anos desde que esses objetos foram fotografados, respondeu:

“Sim, nós sabemos dessas fotografias e elas eram muito clara, mas não houve nenhuma especulação sobre elas, e elas foram arquivados por agora.“

No entanto, em 1968, a NASA lançou uma publicação muito notável, o “Catálogo Cronológico de Eventos Lunares Relatados”. Esta lista inclui luzes, tanto estacionárias quanto em movimento, que aparecem na Lua e depois desaparecem repentinamente; algumas crateras perfeitamente circulares que se parecem mais com cúpulas e que são, em alguns casos, dispostas em alinhamento perfeito, e fenômenos como névoas brilhantes e manchas repentinas de erupções com cor de gemas.

John O’Neil, ex-editor de ciência do jornal agora extinto, New York Herald Tribune, disse que observou uma estrutura gigantesca em forma de ponte no Mar das ​​Crises (na Lua) sob a qual o Sol brilhava quando em um ângulo baixo. Isso foi posteriormente confirmado por outros astrônomos. A literatura recente está repleta de descrições de estruturas semelhantes a paredes que formam quadrados perfeitos ou losangos; de riachos que parecem leitos de rios erodidos pela água, áridos de linhas que parecem estradas e até mesmo uma grade de ruas na superfície lunar.

É claro que muitas dessas estruturas aparentemente feitas pelo homem, vistas na Terra do alto, mais tarde provam ser simplesmente formações naturais. Na borda sul do deserto do Saara, no norte da Nigéria, há uma dessas formações naturais, que, quando vista de cima, parecem ser um enorme layout de paredes estruturadas.

A foto acima foi obtida pela sonda soviética Luna-9 após a sua alunissagem em fevereiro de 1966. A foto mostra a sombra lançada por um pequeno objeto sólido, um dos vários “marcadores” aparentes em toda a superfície lunar. Diagrama mostra arranjo de pedras, algumas das quais têm o mesmo tamanho, forma e são definidas em distâncias idênticas.

O mistério dos “Obeliscos Antigos” na Lua

Apesar de ambos os pousos tripulados e não tripulados na Lua, ainda sabemos muito pouco sobre o que há em sua superfície, simplesmente por causa de seu tamanho, a grande variedade de sua topografia, e a gama ainda comparativamente limitada de nossas sondas.

Suponhamos por um momento que a Terra foi sondada da Lua por dois pousos tripulados – digamos em no estado de Utah (EUA) e na África Oriental. Quanto aprenderíamos sobre a superfície do resto do planeta? Nossos oceanos, lagos, cadeias de montanhas e rios podem muito bem ser vistos e fotografados do alto, mas quantas coisas menores, como pirâmides e obeliscos, construídas por criaturas pensantes com um projeto inteligente em mente, podem passar despercebidas; ou, pior ainda, poderiam até serem vistas e arquivadas simplesmente porque não estavam de acordo com o que era aceito como possível pelos especialistas da base.

Embora muito pouca atenção tenha sido dada aos misteriosos objetos lunares nos Estados Unidos, tanto as fotografias do obelisco pela Orbiter-2 quanto as fotos da pista pela Luna-9 foram amplamente publicadas na União Soviética.

Análise detalhada da geometria dos obeliscos é apresentada nesta edição da publicação russa “Tecnologia para a Juventude”. O lado oposto da página contém uma renderização artística comissionada pela ARGOSY.

A questão não deve ser uma grande surpresa para nós, porque os russos há muito tempo e consistentemente buscam evidências arqueológicas e históricas de formas de vida superiores que visitaram este planeta.

O material acumulado por eles em apoio a essa ideia é agora um tanto avassalador. Por exemplo, eles afirmam que muitas histórias bíblicas, como a aparente destruição de Sodoma e Gomorra por uma bomba atômica, são relatos históricos de tais visitas.

Eles relataram ter encontrado discos metálicos, como bandejas de gravação modernas em cavernas asiáticas, e publicaram reproduções de pinturas cristãs primitivas em murais de antigos mosteiros na Iugoslávia que parecem mostrar anjos em naves espaciais.

Há um grande número de coisas materiais estranhas que sugerem fortemente alguma origem ou influência extraterrestre. As pirâmides egípcias continuam a intrigar os estudiosos, que agora estudam suas salas seladas com os dispositivos eletromagnéticos mais avançados e sensíveis.

Um cientista, Dr. Amr Gohed, declarou oficialmente ao London Times que:

“Ou a geometria das pirâmides está em erro substancial, o que afetaria nossas leituras, ou há um mistério que está além da explicação. . . há alguma força que desafia as leis da ciência no trabalho nas pirâmides “.

A possibilidade de influência extraterrestre na Lua foi apresentada em uma reunião da American Society Rocketry pelo Dr. Carl Sagan, que disse que:

“Os seres inteligentes de outros lugares do universo podem ter – ou tiveram bases em o lado oculto da nossa lua “.

Embora a descoberta seja muito interessante, ninguém postou publicamente fotos tiradas com satélites modernos.

Por que será, podemos perguntar, que o homem começou a fazer obeliscos? É um trabalho muito difícil e aparentemente sem propósito. A origem dos obeliscos nesta terra e na Lua é a mesma? Ambos poderiam ser marcadores antigos originalmente erguidos por viajantes espaciais alienígenas para orientação de chegadas posteriores?

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO… e (importante) se puder, ajude na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo:

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!