Humanos poderiam desenvolver a habilidade de uma cobra de cuspir veneno

Compartilhe esta informação com a galáxia!
Tempo de leitura: 2 min.
Humanos poderiam desenvolver a habilidade de uma cobra de cuspir veneno
Crédito da imagem: depositphotos

A humanidade poderia – se as condições ambientais fossem adequadas – evoluir para cuspir veneno potencialmente mortal como um mecanismo de autodefesa, afirmou um novo estudo.

Os cientistas descobriram que a base genética necessária para a evolução do veneno oral está presente tanto em répteis quanto em mamíferos, e disseram que seu estudo mostra a primeira evidência concreta de uma ligação entre as glândulas de veneno em cobras e as glândulas salivares em mamíferos.

A pesquisa, publicada na revista PNAS, indica que, embora nem humanos nem camundongos sejam venenosos atualmente, nossos genomas têm potencial sob certas condições ecológicas.

O autor do estudo, Agneesh Barua, brincou:

“Isso definitivamente dá um significado totalmente novo para uma pessoa tóxica.”

Ele descreveu o veneno como ‘um coquetel de proteínas’ usado por animais para imobilizar e matar presas, bem como para autodefesa.

Para suas pesquisas, em vez de se concentrar em genes que codificam as proteínas que compõem a mistura tóxica, os cientistas do Instituto de Ciência e Tecnologia da Universidade de Pós-Graduação (OIST) de Okinawa e da Universidade Nacional da Austrália procuraram genes que trabalham lado a lado e interagem com os genes de veneno.

Eles usaram glândulas de veneno da cobra habu do Taiwan – uma víbora encontrada na Ásia – e identificaram cerca de 3.000 desses genes ‘cooperantes’, observando que eles desempenhavam papéis importantes na proteção das células do estresse causado pela produção de muitas proteínas.

Os pesquisadores também analisaram os genomas de outras criaturas, incluindo mamíferos como cães, chimpanzés e humanos, e descobriram que eles continham suas próprias versões de tais genes.

Tendo investigado os tecidos das glândulas salivares nos mamíferos, eles viram que os genes tinham um padrão de atividade semelhante ao observado nas glândulas de veneno de cobra – concluindo, portanto, que as glândulas salivares nos mamíferos e as glândulas de veneno nas cobras compartilham um núcleo funcional antigo.

O Sr. Barua disse:

“Muitos cientistas intuitivamente acreditaram que isso seja verdade, mas esta é a primeira evidência sólida real para a teoria de que as glândulas de veneno evoluíram das primeiras glândulas salivares.

Enquanto as cobras se adiantaram, incorporando muitas toxinas diferentes em seu veneno e aumentando o número de genes envolvidos na produção do veneno, mamíferos como os musaranhos produzem veneno mais simples que tem uma alta semelhança com a saliva.”

Ele disse que experimentos na década de 1980 mostraram que camundongos machos “produzem compostos em sua saliva que são altamente tóxicos quando injetados em ratos”.

Ele acrescentou:

“Se sob certas condições ecológicas, os ratos que produzem proteínas mais tóxicas em sua saliva têm melhor sucesso reprodutivo, então, em alguns milhares de anos, poderemos encontrar ratos venenosos.”

Ele também disse que embora seja improvável, se as condições ecológicas certas existissem, os humanos também têm o potencial de se tornarem venenosos.

(Fonte)

Colaboração: Jacque


Não precisamos ir muito longe na escada evolutiva, pois já conheci muita gente que cospe veneno quando abre a boca nos dias de hoje mesmo. 😁

Mas será que há raças de alienígenas que desenvolveram esta capacidade?

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe esta informação com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site.

Clique aqui para apoiar através do site Apoia.se, ou use o botão abaixo:


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:

(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.