Cientistas da NASA sugerem 9 formas de encontrar tecnologia alienígena no sistema solar

Compartilhe esta informação com a galáxia!
Tempo de leitura: 3 min.
Cientistas da NASA sugerem 9 formas de encontrar tecnologia alienígena no sistema solar
A Lua, Marte, Mercúrio ou Ceres podem conter evidências de impactos ou artefatos existentes que podem ter sido preservados por milhões ou bilhões de anos. GETTY images.

De locais de queda de OVNIs em outros planetas e alienígenas “espreitando” em asteroides a um radiotelescópio permanente no outro lado da Lua, um novo estudo financiado pela NASA na busca por vida extraterrestre inteligente (SETI) detalha como futuras missões da NASA poderiam propositalmente procurar as “tecnossignaturas” de civilizações alienígenas avançadas.

Descrita como evidência do uso de tecnologia ou atividade industrial em outras partes do Universo, a busca por tecnossignaturas mal começou, mas pode desenterrar algo surpreendente sem muitos gastos adicionais, diz o estudo.

Depois de mais ou menos cessar sua busca por tecnossinaturas em 1993, após pressão de políticos, a NASA tem se tornado cada vez mais envolvida no SETI.

Publicado na revista especializada Acta Astronautica, o estudo inclui uma lista do que as missões da NASA podem detectar como “prova de vida extraterrestre” observacional fora da Terra.

Talvez o mais intrigante seja o fato do artigo sugerir que as sondas interestelares podem ter sido enviadas ao Sistema Solar há muito tempo, talvez durante o último encontro próximo de nosso Sol com outras estrelas.

A estrela mais próxima do Sol agora, Proxima Centauri, está a mais de 4,2 anos-luz de distância, mas aproximadamente a cada 100.000 anos uma estrela chega a quase um ano-luz do Sol. Portanto, houve “dezenas de milhares” de oportunidades para tecnologias semelhantes às nossas para serem lançadas sondas em nosso Sistema Solar, de acordo com a publicação.

A publicação diz:

“Esses artefatos podem ter sido capturados por corpos do Sistema Solar em órbitas estáveis ​​ou podem até mesmo ter caído em planetas, asteróides ou luas. Corpos com superfícies antigas, como as da Lua ou de Marte, ainda podem exibir evidências de tais colisões.”

As nove sugestões do artigo para missões de caça à tecnologia de assinatura incluem:

Missão 1: pesquisar locais de queda na Lua, Marte, Mercúrio ou Ceres

As superfícies desses lugares são antigas e imutáveis. Evidências de impactos ou artefatos existentes podem ser preservados por milhões e bilhões de anos – portanto, devemos digitalizar a Lua e Marte em ultra-alta resolução.

Missão 2: procurar poluição usando a Terra como modelo

Conforme publicado recentemente para a NASA pelos mesmos autores, o Telescópio Espacial James Webb (JWST) poderia encontrar gases CFC – prova de civilização – em torno de exoplanetas se fosse 10 vezes mais comum do que na Terra. Também poderia encontrar dióxido de nitrogênio (NO2), produzido como um subproduto da combustão ou da tecnologia nuclear.

Missão 3: procurar por esferas de Dyson

Uma chamada “missão de calor residual” para coletar calor residual tecnológico exigiria uma pesquisa de todo o céu usando um telescópio espacial com sensibilidade em muitas bandas infravermelhas.

Missão 4: construir um radiotelescópio do outro lado da Lua

A busca por tecnossignaturas até agora tem sido conduzida em grande parte por meio da radioastronomia – e continua a sê-lo por meio do projeto Breakthrough Listen. No entanto, uma antena parabólica permanente no lado “silencioso do rádio” da Lua estaria livre de contaminação de emissões de rádio humanas, portanto, permitir pesquisas super-sensíveis.

Missão 5: procurar por “lurkers” (espreitadores) nos asteroides

Podemos estar sendo observados por alienígenas escondidos em objetos próximos à Terra (de sigla em inglês, NEOs) ricos em recursos – possivelmente até mesmo asteroides que orbitam o Sol com a Terra.

Missão 6: interceptar missões de “intrusos interestelares”

O ‘Oumuamua passou pelo Sistema Solar sem que pudessemos estabelecer de forma conclusiva sua natureza e origens. Portanto, devemos ter uma missão de interceptação pronta para ser lançada quando um alvo se apresentar em seguida – e isso pode ocorrer logo após as pesquisas de todo o céu do Observatório Vera C. Rubin começarem no final de 2021.

Missão 7: pesquisar dados existentes

Tais como objetos em órbita ao redor de exoplanetas, poluição em atmosferas de exoplanetas e detecção de iluminação noturna em exoplanetas.

Missão 8: conduzir procuras por laser em todo o céu

Pulsos de laser curtos podem ser procurados ​​na luz visível e em amplas regiões do infravermelho com um único instrumento.

Missão 9: estudar pequenos asteroides

Asteroides com menos de 10 metros de diâmetro podem ser artificiais, mas nunca vimos. Qualquer coisa com superfícies metálicas muito planas irá polarizar a luz refletida de alta refletividade.

(Fonte)


Cá entre nós, já há inúmeras indicações de tecnologia alienígena sendo mostrada em fotos obtidas pelas agências espaciais, e “alguns” na NASA provavelmente já sabem de forma incontestável que há muitos artefatos alienígenas em nosso sistema solar. Porém, a “política” não deixa que esses fatos seja revelados ao mundo.

Quer um dos inúmeros exemplo de um possível objeto alienígena encontrado em um asteroide em nosso sistema solar? Então acesse este artigo aqui:

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe esta informação com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site.

Clique aqui para apoiar através do site Apoia.se, ou use o botão abaixo:


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:

(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.