Petróglifos de humanoides de cabeça grande são encontrados na Tanzânia

Compartilhe esta informação com a galáxia!
Tempo de leitura: 3 min.
Petróglifos de humanoides de cabeça grande são encontrados na Tanzânia

Pinturas antigas (petróglifos) de figuras humanoides, criaturas bizarras e animais familiares foram descobertas sob uma projeção de rocha que já foi usada como abrigo ‘várias centenas de anos atrás’.

Uma equipe da Universidade Jagiellonian em Cracóvia, Polônia, descobriu as quatro pinturas enquanto escavava o abrigo de rocha Amak’hee 4 na Tanzânia, que já foi o lar do antigo grupo indígena Sandawe, que existe há 87.000 anos.

Embora muitas das pinturas mostrem figuras desconhecidas, algumas retratam gado domesticado, búfalos e girafas, o que sugere que os artistas viveram durante a era de caçadores-coletores.

Pesquisadores observam que a maioria está em boas condições, principalmente devido a uma saliência da rocha que as protege do fluxo de água e da luz solar, mas como atualmente não há uma maneira de datar a arte rupestre, a equipe só consegue adivinhar quando foi pintada.

Os Sandawes são um grupo indígena da África do Sul e a população ainda vive hoje.

Os primeiros trabalhos mostram que o grupo também pode ter as mais antigas linhagens de DNA humano e os Sandawes hoje são considerados descendentes de um grupo original semelhante ao dos bosquímanos, os Gogos.

O grupo acreditava que cavernas em colinas abrigavam espíritos e viajavam para tais estruturas para realizar rituais e gritar orações para não perturbar os fantasmas.

Petróglifos de humanoides de cabeça grande são encontrados na Tanzânia
Acredita-se que as pinturas de Amak’hee 4 giram em torno de três imagens, que incluem cabeças de búfalo estilizadas. Essas formas lembram o mergulho central no perfil da cabeça do búfalo, de onde os dois chifres se erguem e se curvam para fora da cabeça, bem como as orelhas voltadas para baixo.
Petróglifos de humanoides de cabeça grande são encontrados na Tanzânia
Acredita-se que as pinturas de Amak’hee 4 girem em torno de três imagens, que incluem cabeças de búfalo estilizadas. A imagem é outra pintura que os especialistas dizem ser de um búfalo
Petróglifos de humanoides de cabeça grande são encontrados na Tanzânia
Na foto, está um esboço do mural completo localizado no abrigo de rocha no local Amak’hee 4 na Tanzânia, que já foi o lar do antigo grupo indígena Sandawe.

Essas formas lembram a depressão central no perfil da cabeça do búfalo, de onde os dois chifres sobem e depois se curvam para fora da cabeça, assim como as orelhas voltadas para baixo.

Quem são os sandawes

Os Sandawes são um grupo indígena do sudeste da África que viveu e ainda vive na Tanzânia.

O grupo tem existido na Terra por mais de 87.000 anos e acredita-se que tenha descendido de alguns dos primeiros humanos.

Eles gostavam de dançar, cantar e beber cerveja.

Existem cerca de 40.000 pessoas Sandawes vivendo hoje.

De acordo com os cientistas poloneses:

“Mesmo que na religião atual do povo Sandawe – que são descendentes daqueles que criaram as pinturas – não encontramos elementos de antropomorfização dos búfalos, nem crença na possibilidade de transformação de pessoas nesses animais, existem alguns aspectos rituais que oferecem paralelos.

Os Sandawes ainda praticam o ritual do simbó, cujo principal elemento é entrar em estado de transe.”

Outra seção do grande mural mostra pequenas figuras que parecem ter sido espetadas por chifres, com uma figura esmagando a outra com a boca.

Os pesquisadores afirmam que, com base na sobreposição, as pinturas podem ter sido criadas da direita para a esquerda.

O Dr. Maciej Grzelczyk, pesquisador do Instituto para o Estudo das Religiões da Universidade Jagiellonian em Cracóvia, Polônia, disse:

“As pinturas no abrigo de rochas Amak’hee 4 fornecem um exemplo dos muitos locais de arte rupestre na área de Swaga Swaga que são conhecidos localmente, mas não publicados.

Pesquisas de campo adicionais nesta área serão realizadas para aumentar o número crescente de dados publicados que registram locais de arte rupestre nesta região.”

Os pesquisadores disseram:

“Devido à degradação do corante e à falta de, por exemplo, motivos retratando gado domesticado, pode-se, no entanto, supor que eles pertencem ao período do caçador-coletor, portanto, têm pelo menos várias centenas de anos.”

Parece também que o pintor respeitou intencionalmente uma figura existente ao não sobrepor a nova imagem a ela.

Em vez disso, eles incorporam a imagem existente na nova cena.

O estudo diz:

“A mesma técnica pode ser observada na pintura do búfalo, onde a cauda do búfalo era interrompida de forma que não se sobrepusesse à perna da figura.”

Embora a equipe não seja capaz de definir uma data exata para as pinturas, ela analisou a tinta na rocha para descobrir pistas.

(Fonte)

Colaboração: Henrique


É até possível que aquilo que eles estavam tentando representar fosse um búfalo, embora com um corpo um tanto magro em relação à cabeça. Mas será que não poderia ter sido alguma “outra coisa” que viram e tentaram associá-la aos búfalos, já que também o petróglifo inclui búfalos “normais”?

De minha parte, esta é somente minha humilde especulação e os arqueólogos devem saber muito mais do que eu. Assim, por enquanto, parece mesmo que se tratam de búfalos estilizados, talvez pintado por um aborígene sob a influência de algum elemento alucinógeno encontrado nesta região da Tanzânia.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe esta informação com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site.

Clique aqui para apoiar através do site Apoia.se, ou use o botão abaixo:


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:

(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.