web analytics
Tempo de leitura: 2 min.

Vida pode ter se prosperado no subsolo de Marte

Tempo de leitura: 2 min.
Vida pode ter se prosperado no subsolo de Marte
Uma visão verticalmente exagerada em cores falsas de um grande canal esculpido na água em Marte chamado Dao Vallis. Imagem: ESA / DLR / FU Berlin, CC BY-SA 3.0 IGO. 3D renderizado e colorido por Lujendra Ojha

A região mais habitável para a vida em Marte teria sido até vários quilômetros abaixo de sua superfície, provavelmente devido ao derretimento subsuperficial de espessas camadas de gelo alimentadas pelo calor geotérmico, concluiu um estudo liderado pela Universidade Rutgers.

O estudo, publicado na revista Science Advances, pode ajudar a resolver o que é conhecido como paradoxo do sol fraco e jovem – uma questão-chave persistente na ciência de Marte.

A autora Lujendra Ojha, professora assistente do Departamento de Ciências da Terra e Planetárias na Escola de Artes e Ciências da Rutgers University em New Brunswick, disse:

“Mesmo que gases de efeito estufa como dióxido de carbono e vapor d’água sejam bombeados para a atmosfera marciana em simulações de computador, os modelos climáticos ainda lutam para sustentar um Marte quente e úmido de longo prazo. Eu e meus co-autores propomos que o paradoxo do Sol jovem e fraco pode ser reconciliado, pelo menos em parte, se Marte teve alto calor geotérmico em seu passado.”

Nosso Sol é um enorme reator de fusão nuclear que gera energia pela fusão de hidrogênio em hélio. Com o tempo, o Sol gradualmente se iluminou e aqueceu a superfície dos planetas em nosso sistema solar. Cerca de 4 bilhões de anos atrás, o Sol estava muito mais fraco, então o clima do início de Marte deveria ser congelante. No entanto, a superfície de Marte tem muitos indicadores geológicos, como leitos de rios antigos, e indicadores químicos, como minerais relacionados à água, que sugerem que o planeta vermelho tinha água líquida abundante há cerca de 4,1 bilhões a 3,7 bilhões de anos (a era Noachian). Essa aparente contradição entre o registro geológico e os modelos climáticos é o paradoxo do Sol jovem e fraco.

Em planetas rochosos como Marte, Terra, Vênus e Mercúrio, elementos produtores de calor como urânio, tório e potássio geram calor por decaimento radioativo. Nesse cenário, a água líquida pode ser gerada através do derretimento no fundo de espessas camadas de gelo, mesmo se o Sol estiver mais fraco do que agora. Na Terra, por exemplo, o calor geotérmico forma lagos subglaciais em áreas do manto de gelo da Antártica Ocidental, Groenlândia e Ártico canadense. É provável que um derretimento semelhante possa ajudar a explicar a presença de água líquida no frio, congelando Marte 4 bilhões de anos atrás.

Os cientistas examinaram vários conjuntos de dados de Marte para ver se o aquecimento via calor geotérmico teria sido possível na era Noachian. Eles mostraram que as condições necessárias para o derretimento subterrâneo seriam onipresentes no antigo Marte. Mesmo se Marte tivesse um clima quente e úmido há 4 bilhões de anos, com a perda do campo magnético, afinamento atmosférico e subsequente queda nas temperaturas globais ao longo do tempo, a água líquida pode ter sido estável apenas em grandes profundidades. Portanto, a vida, se alguma vez se originou em Marte, pode ter seguido a água líquida até profundidades progressivamente maiores.

Ojha disse:

“Em tais profundidades, a vida poderia ter sido sustentada por atividade hidrotérmica (aquecimento) e reações rocha-água. Portanto, a subsuperfície pode representar o ambiente habitável de vida mais longa em Marte.”

A espaçonave Mars InSight da NASA pousou em 2018 e pode permitir que os cientistas avaliem melhor o papel do calor geotérmico na habitabilidade de Marte durante a era Nochian, de acordo com Ojha.

Cientistas do Dartmouth College, da Louisiana State University e do Planetary Science Institute contribuíram para o estudo.

(Fonte)

Colaboração: MaryH


Em julho passado, cientistas do Centro de Ciências Espaciais da Universidade de Nova Iorque em Abu Dhabi já comentaram sobre a possibilidade de vida atual no subsolo de Marte, alimentada pelos raios cósmicos. Mas a realidade pode ser totalmente diferente do que esses estudos dizem. Afinal, constantemente estudos científicos descobrem coisas que desmentem os estudos anteriores.

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é produtos-OVNI-Hoje-1.jpg
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Loja-Nerd.jpg

Leitores OVNI Hoje ganham 10% de desconto em todos os produtos da Loja Nerd, inclusive nos produtos OVNI Hoje. (Use o cupom OVH10)


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.

Plugin Kapsule Corp