A ‘Consciência’ existe além da matéria ou somente no sistema nervoso central?

Tempo de leitura: 3 min.

A consciência humana existe separada da matéria ou está incorporada no corpo, sendo um participante crítico em qualquer coisa que tenha a ver com a mente?

A 'Consciência' existe além da matéria ou somente no sistema nervoso central?
AGSANDREW/SHUTTERSTOCK

O neurocientista Antonio Damasio, pioneiro no campo da consciência incorporada – as origens corporais de nosso senso de si, responde:

Não somos máquinas pensantes que sentem; pelo contrário, somos máquinas que sentem, as quias pensam.

Podemos sorrir e o cachorro pode abanar o rabo, mas em essência, temos um programa definido e esses programas são semelhantes entre os indivíduos da espécie. Não existe uma mente desencarnada.

A consciência é considerada pelos principais cientistas como o mistério central não resolvido do século XXI.

Edward Witten, físico teórico do Instituto Para Estudo Avançado em Princeton, Nova Jersey, disse:

Eu tenho muito mais facilidade imaginando como entendemos o Big Bang do que imaginando como podemos entender a consciência.

Witten foi comparado a Isaac Newton e Einstein sobre os fenômenos que foram descritos como presumindo o papel que o espaço-tempo desempenhou antes que Einstein inventasse sua teoria da relatividade.

Alguns cientistas perguntaram como podemos ter certeza de que a fonte da consciência está dentro de nossos corpos?

Uma ideia popular, embora mística, escreve o astrofísico Paul Davies em “The Demon in the Machine” (O Demônio na Máquina):

Lampejos de inspiração matemática podem ocorrer pela mente do matemático, de alguma forma ‘invadindo’ um reino platônico de formas e relacionamentos matemáticos que não apenas estão além do cérebro, mas também além do espaço e do tempo.

O astrônomo inglês, Fred Hoyle, famoso por rejeitar a teoria do Big Bang, sugeriu uma hipótese ainda mais radical de que os efeitos quânticos no cérebro humano deixam em aberto a seguinte possibilidade

Uma superinteligência no futuro cósmico usando um sutil, mas bem conhecida propriedade de retroceder no tempo da mecânica quântica, a fim de orientar o progresso científico.

Damasio, escreve em “The Strange Order of Things: Life, Feeling, and the Making of the Cultural Mind (A Estranha Ordem das Coisas: Vida, Sentimento e Criação da Mente Cultural):

Há quatro bilhões de anos os primeiros organismos primitivos monitoravam mudanças em seu estado corporal – equivalente a fome, sede, dor e assim por diante – e tinham mecanismos de feedback para manter o equilíbrio. A relíquia desses mecanismos primitivos é o nosso sistema nervoso autônomo, que controla funções corporais, como batimentos cardíacos e digestão, e do qual estamos em grande parte inconscientes.

Damasio, que propõe uma teoria da consciência em três camadas, com base em uma hierarquia de estágios, com cada estágio baseado no último, ainda disse:

Então, cerca de meio bilhão de anos atrás, o sistema nervoso central, apresentando um cérebro, desenvolveu uma reflexão tardia da natureza.

A representação mais básica do organismo é referida como o Protoself, a seguir é a Consciência Central e, finalmente, a Consciência Estendida.

Damasio, líder internacionalmente reconhecido em neurociência, foi formado na Universidade de Lisboa e atualmente dirige o Instituto de Cérebro e Criatividade da Universidade do Sul da Califórnia. O cérebro humano, ele argumenta, tornou-se a ‘âncora’ do que antes era uma mente mais distribuída. As mudanças no estado corporal foram projetadas no cérebro e experimentadas como emoções ou impulsos – a emoção do medo, digamos, ou a impulsão para comer. A subjetividade evoluiu mais tarde novamente.

Ele argumenta:

Foi imposto pelo sistema músculo-esquelético, que evoluiu como uma estrutura física para o sistema nervoso central e, ao fazê-lo, também forneceu um quadro de referência estável: o ‘eu’ unificado da experiência consciente.

A vida foi regulada a princípio sem sentimentos de qualquer espécie; aqui não havia mente nem consciência.

Damasio diz:

Havia um conjunto de mecanismos homeostáticos, fazendo cegamente as escolhas que se revelariam mais propícias à sobrevivência. A chegada de sistemas nervosos, capazes de mapear e criar imagens, abriu caminho para mentes simples entrarem em cena. Durante a explosão cambriana, após numerosas mutações, certas criaturas com sistema nervoso teriam gerado não apenas imagens do mundo ao seu redor, mas também uma contrapartida imaginária ao movimentado processo de regulação da vida que estava acontecendo por baixo. Este teria sido o terreno para um estado mental correspondente, cujo conteúdo temático teria sido avaliado em sintonia com a condição de vida, naquele momento, naquele corpo. A qualidade do estado de vida em andamento teria sido sentida.

Sarah Garfinkel, da Universidade de Sussex, Reino Unido, se junta a Damasio ao argumentar que nossos pensamentos, sentimentos e comportamentos são moldados em parte pelos sinais internos que surgem do nosso corpo. Mas, ela relata na New Scientist:

Isto vai além disso. Isto está levando ela e outros a uma conclusão surpreendente: que o corpo ajuda a gerar nosso senso de si e é uma parte essencial da consciência. Essa ideia tem implicações práticas na avaliação de pessoas que mostram pouco sinal de consciência. Também pode nos forçar a reconsiderar onde traçamos a linha entre a vida e a morte, e fornecer uma nova visão de como a consciência evoluiu.

Damasio conclui:

Desde 2000 venho defendendo a ideia de que o corpo é um participante crítico em qualquer coisa que tenha a ver com a mente.

(Fonte)


Embora, como diz Damasio, o corpo possa ser um participante crítico em coisas que têm a ver com a mente, a nossa consciência pode sobreviver sem o corpo? Aqueles que já tiveram experiências fora de seus corpos asseguram que sim.

No final de tudo, se ao morrermos as “luzes” não forem simplesmente apagadas, saberemos a verdade sobre tudo isso e muito mais… esperançosamente.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.