Avistamento de OVNI do astronauta Jim McDivitt

Tempo de leitura: 2 min.

Ontem foi publicado aqui no OH um artigo falando a respeito de dois astronautas da NASA que viram OVNIs no espaço, mas esses registros foram retirados de um estudo do governo. Abaixo estão mais detalhes sobre o avistamento de um deles:

Avistamento de OVNI do astronauta Jim McDivitt
Jim McDivitt hoje tem 91 anos e ainda afirma que o que viu não pode ser explicado.

O astronauta da NASA, Jim McDivitt, uma vez confessou ter visto um OVNI no espaço, descrevendo o objeto misterioso como tendo uma forma ‘cilíndrica branca’, com um braço se estendendo para fora do objeto.

O astronauta da NASA encontrou o OVNI no segundo dia da missão Gemini 4, em junho de 1965. Gemini 4 foi o segundo voo espacial tripulado no programa Gemini e o décimo voo espacial americano. No segundo dia da missão, que viu o astronauta Ed White realizar o primeiro EVA ou caminhada espacial nos EUA, McDivitt lembrou-se de ter visto um objeto fora da espaçonave Gemini.

Ele disse em 1975:

Na época, vi algo na minha frente ou fora da espaçonave que eu não conseguia identificar e nunca fui capaz de identificá-lo, e acho que ninguém jamais o fará.

Estávamos em voo à deriva e meu parceiro, Ed White, estava dormindo.

Eu não conseguia ver nada na minha frente, exceto apenas o céu escuro.

E ele estava girando ao redor, notei algo na frente que tinha uma forma cilíndrica branca com uma vara branca saindo de um canto dele – parecia uma lata de cerveja com um lápis liso saindo dela.

Mas ele não focou ou expôs corretamente as fotografias para capturar adequadamente o OVNI (Pelo menos é isso que a NASA diz).

Mais tarde, ele afirmou que o objeto estava flutuando bastante perto de sua espaçonave, uma vez que era visível para ele.

O astronauta disse:

Peguei duas câmeras e tirei fotos dele.

Quando o Sol brilhava na janela, eu não conseguia mais ver a coisa e a coisa simplesmente desapareceu.

Eles checaram os registros do NORAD para ver o que tinham no radar e não havia nada a uma curta distância de nós.

James McDivitt, na década de 70

Depois que os astronautas retornaram à Terra e as fotografias da missão foram processadas, as imagens falharam em revelar o que o astronauta viu.

Ele disse:

Eu vi as fotos que foram divulgadas.

Voltei e examinei cada quadro de todas as fotos que tiramos e não havia nada lá como o que eu tinha visto.

Na época, alguns jornalistas especularam que o astronauta poderia ter visto um satélite secreto. Afinal, a corrida dos Estados Unidos à Lua fazia parte da Guerra Fria com a União Soviética.

No entanto, especialistas especulam que há uma explicação muito mais simples – o OVNI provavelmente era detritos orbitais desde o lançamento do Gemini 4 (É claro, todos eles estavam lá no espaço junto com McDivitt e são melhores treinados que ele).

(Fonte)


O artigo continua com uma declaração de James Oberg, um ex-engenheiro espacial da NASA, que diz que o caso não pode ser conclusivamente fechado, mas ele acha que o astronauta pode ter visto uma parte do foguete Titan 11. É claro, eles sempre vão tentar encontrar uma resposta que se encaixa naquilo que eles já viram, mas o astronauta nunca ficou convencido disso. Inclusive, o próprio Oberg escreveu em seu blog:

McDivitt, mais de uma década após o fato, recusou-se a acreditar que poderia ter identificado errado esse objeto…

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.