web analytics
OVNI Hoje!
Notícias diárias sobre OVNIs / UFOs, vida extraterrestre, bem como assuntos impactantes relacionados ao Universo e à Terra.

Deslizamento de terra no Alasca pode causar tsunami catastrófico a qualquer hora, avisam cientistas

Tempo de leitura: < 1 min.

No estado norte-americano do Alasca foi identificada uma encosta de montanha instável que poderia provocar um tsunami catastrófico por deslizamento de terra dentro do próximo ano e outro “provável dentro de 20 anos”.

Deslizamento de terra no Alasca pode causar tsunami catastrófico a qualquer hora, avisam cientistas

O acontecimento ameaçador poderá surgir na enseada do Príncipe Guilherme, liberando milhões de toneladas de rocha no fiorde de Harriman, o que traria consequências devastadoras para a indústria pesqueira e de turismo na região.

Uma carta aberta assinada por 14 cientistas descreve uma encosta de montanha apoiada na geleira Barry, que está recuando devido aos efeitos das alterações climáticas.

Altas temperaturas registradas na região deixaram apenas a terceira parte da encosta apoiada pelo gelo, porém, um terremoto, onda de calor, ou chuva forte poderiam provocar um desastroso deslizamento de terra.

Enseada do Príncipe Guilherme está localizada 100 quilômetros a leste de Anchorage, a cidade mais populosa do estado norte-americano do Alasca. Além disso, nesta área se encontra parte do sistema de oleodutos Trans-Alaska.

Diretor da divisão de estudos geológicos, Steve Masterman, informou que sua equipe obteve evidências de que o recuo rápido da geleira Barry poderia liberar milhões de toneladas de rocha no fiorde Harriman, provocando um tsunami como os maiores registrados no Alasca.

​Cientistas alertam sobre risco de enorme tsunami na enseada do Príncipe Guilherme, possivelmente dentro do próximo ano.

A encosta está se arrastando lentamente, no entanto os especialistas estão alarmados que a qualquer momento isso possa se transformar em um deslizamento de terra rápido.

As alterações climáticas podem também ser o motivo da piora da situação nesta área, sendo que as regiões do Ártico aquecem duas vezes mais rápido em comparação com outros lugares do planeta, o que resulta em derretimento de geleiras mais acelerado, aponta Daily Mail.

Os resultados da pesquisa dos cientistas ainda são preliminares e precisam de revisão, mas seus modelos computacionais pintam um quadro bastante sombrio.

(Fonte)

Colaboração: MaryH


Alô 2020! Nem se atreva!

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site.

Clique aqui para apoiar através do site Apoia.se, ou use o botão abaixo:


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:

(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.

Obs: A versão AMP do site não possui área de comentários. Para comentar, favor acessar o OVNI Hoje sem a extensão /amp no endereço do artigo, ou acesse através do seu computador desktop.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More