NASA rastreia enorme asteroide que pode acabar com a humanidade

Tempo de leitura: 2 min.

A NASA diz que seus sistemas de rastreamento automatizado no Centro de Estudos de Objetos Próximo à Terra, no estado da Califórnia, detectaram um asteroide tão grande que poderia acabar com toda a raça humana.

NASA rastreia enorme asteroide que pode acabar com a humanidade

Oficialmente chamada 52768 (1998 OR2), a rocha espacial gigante está lançando-se em direção à Terra a uma velocidade de 31.320 km/h – ou 8,7 km por segundo. Se o asteroide acompanhar esse ritmo, espera-se que chegue ao nosso planeta por volta de 29 de abril.

Mas antes de começar a correr como uma galinha sem cabeça por puro pânico, leia o seguinte: os cientistas dizem que ele só fará uma “aproximação” e não entrará na órbita da Terra.

Medindo aproximadamente 4,1 quilômetros de diâmetro, o tamanho da rocha a coloca na categoria de “muito perigosa” pela Sociedade Planetária, que inclui todos os objetos espaciais com diâmetro igual ou superior a 1 km de diâmetro, e os coloca em uma escala que ameaça a destruição global.

Bruce Betts, da organização, disse:

Asteróides pequenos – com poucos metros – atingem com frequência e queimam na atmosfera e causam poucos danos.

Asteroides do tamanho de Chelyabinsk – cerca de 20 m que entrou na atmosfera em 2013 – criam ondas de choque que quebram janelas e causam Lesões.

Aqueles com o tamanho de Tunguska – cerca de 40 m que atingiu a Sibéria em 1908 – poderia destruir completamente uma cidade ou criar um tsunami.

Asteroides maiores que atingem, em média, com menos frequência podem causar destruição regional.

Asteroides ainda maiores que atingem com menos frequência podem causar uma catástrofe global.

O Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia dos EUA também alertou em seu relatório de estratégia de preparação em 2018 que objetos desse tamanho “podem provocar terremotos, tsunamis e outros efeitos secundários que se estendem muito além da área de impacto imediato”.

A NASA viu pela primeira vez o 1998 OR2 voando ao redor do Sol em 1987, mais tarde confirmando sua órbita e classificando-a como um objeto próximo da Terra (de sigla em inglês NEO, para Near Earth Object) “potencialmente perigoso”.

Para que um asteroide ou cometa seja considerado um NEO, ele deve passar a 50 milhões de quilômetros da órbita da Terra. No entanto, de acordo com os astrônomos, há uma chance em 50.000 de que os asteroides atinjam a Terra a cada 100 anos, então não há necessidade de perder o sono se preocupando com as rochas espaciais.

(Fonte)

Colaboração: MaryH


Essa notícia está sendo publicada em vários jornais pelo mundo mundo afora, mas não há nada para se alarmar. Quando a coisa for mesmo para valer, você não saberá até que seja tarde demais. 😊

n3m3

Compartilhe este artigo com a galáxia!

_______

ATENÇÃO: Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais, ou use o botão abaixo:


_______

O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…

-------
-------

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.