Cientistas estão construindo um teletransportador quântico baseado em buracos negros

Tempo de leitura: 2 min.

Teoricamente, o teletransportador seria um buraco de minhoca funcional.

Cientistas estão construindo um teletransportador quântico baseado em buracos negros

Uma equipe de físicos tem um plano para construir um buraco de minhoca funcional que possa funcionar como uma ponte através de dois pontos no espaço. E tudo o que precisamos são dois buracos negros emaranhados de forma quântica.

A sabedoria convencional nos diz que nada escapa da imensa força gravitacional de um buraco negro. Mas, de acordo com a pesquisa teórica de alguns anos atrás, dois buracos negros totalmente entrelaçados devem ser capazes de transmitir informações quânticas entre eles – em vez de destruí-las – depois que passam pelo horizonte de eventos, informa a Quanta Magazine.

Nesse sentido, os buracos negros recriariam um fenômeno chamado teletransporte quântico, que os engenheiros exploram quando constroem computadores quânticos. A física do teletransporte quântico fica impossivelmente densa, mas basicamente envolve a transmissão de informações criptografadas de uma máquina para outra.

Versão em escala de laboratório

Criar e vincular buracos negros reais em um laboratório é uma ação além das capacidades científicas modernas, mas agora os pesquisadores da Universidade de Maryland (EUA), Christopher Monroe e Brian Swingle, disseram à Quanta que pensam que podem construir circuitos quânticos que se comportariam como buracos negros emaranhados.

O mais desconcertante é que, de acordo com modelos anteriores, o circuito se comportaria exatamente como um buraco negro minúsculo, segundo Quanta. Ou seja, o sistema resultante não está apenas tentando recriar a atividade de um buraco negro – seria indistinguível da coisa real.

Se funcionar, eles seriam capazes de inserir informações quânticas em um circuito de ‘buraco negro’, que iria embaralhar e consumi-las. Depois de um tempo, essa informação sairia do segundo circuito, já decifrada e decodificada. Isso o diferencia das técnicas de teletransporte quântico existentes, enquanto as informações transmitidas ainda são totalmente embaralhadas e precisam ser descriptografadas, tornando o processo mais demorado e menos preciso, pois um computador quântico propenso a erros tenta recriar a mensagem original.

Dispositivo de teletransporte

Embora a ideia de buracos negros e buracos de minhoca evoque as noções de ficção científica de intrépidos exploradores que se viajando por todo o cosmos, não é bem isso que está acontecendo aqui. Pelo contrário, essa é uma maneira sugestiva de melhorar a tecnologia de computação quântica.

Recriando e emaranhando as propriedades bizarras dos buracos negros, disse à Quanta o pesquisador da Berkely, Norman Yao, da Universidade da Califórnia, “permitiria o teletransporte no menor tempo possível”.

(Fonte)

Colaboração: seukikonetwork


Coisas consideradas impossíveis há poucos anos, lentamente se tornam realidade. Será que sobreviveremos sem nos auto-destruirmos até chegarmos a um ápice tecnológico que nos permita desenvolver tecnologias consideradas hoje como sendo impossíveis?

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.