Planetas possivelmente habitáveis são encontrados em estrela “próxima” de nós

Tempo de leitura: 2 min.


Uma equipe de pesquisadores de vários países europeus e um do Chile encontrou evidências de três exoplanetas (planetas fora do nosso sistema solar) possivelmente habitáveis, ​​circulando a estrela GJ1061.

Planetas possivelmente habitáveis são encontrados em estrela "próxima" de nós

Em seu artigo enviado para o servidor de pré-impressão arXiv, e que em breve será publicado no Monthly Notices da Royal Astronomical Society, o grupo descreve seu estudo sobre o sistema estelar e o que encontraram.

O sistema estelar mais próximo da Terra é o Proxima Centauri, a cerca de 4.2 anos-luz de distância. Pesquisas anteriores mostraram que sua volatilidade provavelmente significa que seus planetas não são habitáveis.

Neste novo esforço, os pesquisadores vêm estudando o sistema estelar GJ1061, que é o vigésimo sistema estelar mais próximo, a aproximadamente 17,5 anos-luz de distância. Elel é classificado como uma pequena estrela de baixa massa (M anã) com baixa volatilidade, sugerindo que pode ter planetas habitáveis.

Em sua pesquisa, os pesquisadores estudaram o caminho seguido pelo GJ1061 para determinar se ele tem planetas e se esses planetas podem ser habitáveis.

No estudo da estrela, usando dados do ESO no Chile, os pesquisadores usaram o método da velocidade radial para detectar a presença de planetas. A técnica envolve observar oscilações muito pequenas na órbita de uma estrela, que indicam a gravidade planetária que a puxa. Os pesquisadores observam que, historicamente, a técnica só foi usada para detectar planetas grandes, mas melhorias recentes também permitiram encontrar outros menores.

O grupo relata ter encontrado evidências de três planetas e possivelmente um quarto circulando GJ1061. Todos os três planetas foram considerados um pouco maiores que a Terra e todos os três orbitam perto da estrela – cada um leva apenas alguns dias para dar a volta.

Os pesquisadores se concentraram num planeta em particular, que eles chamaram de planeta d. Eles descobriram que ele levou apenas 13 dias para orbitar sua estrela. Os pesquisadores calcularam que tal distância o coloca na zona Goldilocks – a zona onde distância do planeta para sua estrela permite a existência de água no estado líquido. Eles também notam que, infelizmente, as estrelas anãs M tendem a ter um histórico volátil. Se o planeta d foi atingido por radiação durante milhões de anos, provavelmente não é adequado abrigar vida agora.

(Fonte)


Como sempre, ao dizerem que planetas que recebem muita radiação não são adequados à vida, os cientistas se baseiam na vida tal como a conhecemos. É muito provável que lá fora muitas formas de vida tenham se adaptado a essas condições que para nós parecem hostis. E vou mais longe: pode até ser que formas de vida que necessitem de extrema radiação não sobrevivam se vierem a um ambiente sem ela, como a Terra.

Mas é claro, essa é somente uma conjectura, sem comprovação alguma.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.