Elemento que pode ser chave para antigravidade é discutido por cientistas internacionais

Tempo de leitura: 2 min.


O Moscovium, o pesado e radioativo Elemento 115, costumava ser chamado de Ununpentium anos atrás até 2016.

Não havia nome oficial anos atrás depois que cientistas russos em Dubna o criaram pela primeira vez (registrado) por volta de 2004. Seu nome oficial vem de “Moscou”, mas esse elemento foi mencionado muito antes disso por um homem chamado Bob Lazar em 1989.

Lazar é o famoso denunciante que alega ter trabalhado na Área 51, e que o elemento era o combustível para naves alienígenas adquiridas pelo governo dos EUA.

Quando Lazar fez as alegações, a comunidade científica considerou tudo um absurdo, mas então o absurdo desapareceu completamente depois.

Demorou dez anos para que a descoberta fosse confirmada por dois laboratórios diferentes, e uma delas foi uma equipe na Suécia em 2013. Os pesquisadores dispararam isótopos de átomos de cálcio raros e caros em um elemento radioativo instável chamado amerício em uma grande câmara de vácuo. O resultado, um átomo de “milhões de dólares” que decaiu rapidamente, com uma meia-vida de apenas 220 milissegundos.

O esforço só foi possível devido a contribuições internacionais.

O professor Sir Martyn Poliakoff, da Universidade de Nottingham, explicou:

Fazer Moscovium tem sido uma peça fantástica de colaboração internacional porque, embora os experimentos tenham sido feitos na Rússia, eles contaram com amostras de amerício, que foram feitas nos Estados Unidos.

Veja mais sobre o elemento abaixo em Vídeos periódicos:

(O vídeo abaixo conta com legenda em português, que pode ser ativada ao clicar na “engrenagem” no canto inferior direito do vídeo, e então clicar em “legendas/CC”, selecionando após “português”).

Em 2014, Lazar apareceu com o jornalista investigativo George Knapp para discutir as notícias sobre a ‘descoberta’ do Ununpentium. Embora o átomo parecesse ser muito instável para ser útil, ele afirmou que, em breve, um novo isótopo do elemento se mostraria muito mais estável. Ele passou por vários testes de polígrafo para confirmar a autenticidade de suas alegações.

Lazar ao Knapp:

  Eles fizeram apenas alguns átomos. Vamos ver que outros isótopos eles criam. Um deles, ou mais, será estável e terá as propriedades exatas que eu disse.

Em 2019, Bob Lazar e o documentarista Jeremy Corbell apareceram juntos em Larry King para discutir o Element 115. Eles afirmam que não apenas o elemento “super pesado” é a chave para viagens espaciais, mas infelizmente, eles temem que ele possa ser usado como arma nas mãos erradas:

Lazar disse:

O elemento 115 é um elemento super pesado. É algo que acabamos de sintetizar recentemente. Nós só fizemos quatro átomos disto. Mas a nave usa quantidades maiores, pequenos triângulos de 23 gramas.

É um elemento único. Quando exposto à radiação, ele produz seu próprio campo gravitacional, seu próprio campo antigravitacional … e é o que é usado para levantar e impulsionar a nave e criar distorções em torno dela.

É um material incrível, e certamente não é nada que apareça aqui naturalmente .

Corbell interrompeu:

E isso pode ser usado como arma, e esse é o problema aqui.

Veja abaixo o trecho da entrevista com Larry King:

[Para informações de como ativar a legenda em português do vídeo abaixo, embora ela não seja precisa e possa não funcionar em dispositivos móveis, clique aqui.
(Macete: algumas legendas são melhores acompanhadas lendo-se somente a última linha)]

Se o Moscovium é realmente algo a ser temido, é interessante notar que hoje, uma equipe de cientistas internacionais está se reunindo para discutir sua potencial pesquisa futura. (Assim como o potencial de outros novos elementos pesados ​​feitos de maneira semelhante.) A conferência da TAN é parte de uma comemoração do 150º aniversário da Tabela Periódica.

De acordo com um comunicado de imprensa em 26 de agosto de 2019, o professor que descobriu Moscovium está presente na conferência. Os tópicos incluem a discussão de pesquisas não resolvidas, incluindo “se os elementos mais pesados ​​podem ter vidas mais longas novamente”

O professor Yuri Oganessian também está no local. Ele é um descobridor de elementos da Rússia e atualmente a única pessoa viva em que um elemento recebe o nome: elemento 118, Oganesson.

Ele foi chefe da equipe de descoberta dos Elementos 114 a 118 (fleróvio, moscovium, livermorium, tennessine e oganesson) no Laboratório Flerov do Instituto Conjunto de Pesquisa Nuclear, JINR em Dubna, Rússia.

Atualmente, existem 118 elementos listados no Tabela periódica. Apenas 92 deles ocorrem naturalmente na Terra.

(Fonte)


Logo poderemos ter a resposta se esse elemento é mesmo a chave para construirmos naves antigravitacionais, eliminando de vez a necessidade de utilizarmos “rojões” explosivos para entrarmos em órbita.

Aguardemos…

n3m3

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais, ou use o botão abaixo:



ATENÇÃO: Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…

-------

BOMBANDO NO planetaabsurdo.com.br:

ALGUÉM ESTÁ COLANDO CHAPÉUS DE CAUBÓI NOS POMPOS EM LAS VEGAS

-------

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.