Pode haver mais água na Lua do que pensávamos. É hora de voltarmos

Tempo de leitura: 2 min.


Uma equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia diz que pode haver muito mais água gelada na superfície da Lua do que se acreditava anteriormente – e isso poderia ser um grande negócio para futuras missões à Lua.

Pode haver mais água na Lua do que pensávamos. É hora de voltarmos
Mapeamento marcando algumas crateras com água congelada na Lua.

Ao comparar áreas sombreadas protegidas do Sol na superfície de Mercúrio com crateras sombreadas semelhantes na Lua, eles concluíram que os depósitos de gelo, às vezes com vários metros de espessura, poderiam sobreviver dentro de crateras próximas ao pólo sul da Lua. Como essas áreas são protegidos do Sol e suportam temperaturas de até -233 graus Celsius à noite, os interiores dessas crateras podem conter bastante gelo, de acordo com os pesquisadores.

Sua pesquisa foi publicada na revista Nature Geoscience.

A equipe analisou dados da espaçonave MESSENGER, da NASA, uma sonda robótica que passou quatro anos na órbita de Mercúrio, e descobriu que ela sugere que pode haver depósitos de gelo em crateras permanentemente sombreadas.

Evidências anteriores coletadas pela sonda LRO da NASA, que caiu na superfície da Lua em 2009, sugerem que algumas de suas crateras eram parcialmente constituídas de vapor de água e gelo. Um estudo diferente, publicado no início deste mês por cientistas do Goddard Space Flight Center da NASA, também descobriu que essas crateras do pólo sul podem abrigar e reter água – mas substancialmente menos do que a equipe da Universidade da Califórnia está sugerindo agora.

Como a Lua não tem atmosfera, o conteúdo das crateras está exposto a impactos de meteoros e gases ionizados do Sol, conhecidos como vento solar. A erosão, em seguida, eleva as partículas de água para fora da cratera, onde pode ser detectada por instrumentos a bordo de naves espaciais, como a Lunar Reconnaissance Orbiter da NASA.

William M. Farrell, chefe da pesquisa, disse em um comunicado:

As pessoas pensam em algumas áreas nessas crateras polares como somente tendo água retida, e é isso. Mas há partículas de vento solar e meteoroides atingindo a superfície, e eles podem gerar reações que normalmente ocorrem em temperaturas de superfície mais altas. Isso é algo que não foi enfatizado.

É improvável que aprendamos exatamente quanta água está presa nessas crateras lunares sombreadas até enviarmos astronautas para ver por si mesmos. Na melhor das hipóteses, no entanto, cerca de 12 mil crateras sombreadas na Lua poderiam conter potencialmente milhões de toneladas de gelo – o que poderia tornar os planos para estabelecer uma base permanente em nosso vizinho celestial mais próximo, muito mais viável.

(Fonte)

Colaboração: Lênio


É quase certo que ao retornarmos à Lua teremos muitas mais surpresas do que se imagina.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.