A relação entre os OVNIS e os grandes apagões – Teria sido isso que aconteceu na Argentina?


Ontem, 16 de junho de 2019, houve um grande apagão na Argentina e no Uruguai e, como não podia deixar de ser, devido à falta de explicação oficial para o ocorrido nas primeiras horas, muitos alegaram que o evento foi causado por um ou mais OVNIs. Assim, para ilustrar essa possibilidade, mas não necessariamente afirma-la, abaixo está um interessante artigo falando a respeito da relação entre os OVNIs e os grandes apagões.

A relação entre os OVNIS e os grandes apagões - Teria sido isso que aconteceu na Argentina?

Em muitos casos de avistamentos de OVNIs, as testemunhas relataram que no momento do avistamento houve uma falta de energia ou uma alteração na operação de dispositivos eletrônicos. Além disso, a consequência deste tipo de interações não se limitaria a incidentes isolados e individuais, mas em alguns casos os OVNIs seriam responsáveis ​​por blecautes em massa nas grandes cidades. Neste artigo, o pesquisador Scott Corrales expande o assunto.

Falando do fenômeno OVNI e seu suposto impacto sobre as redes elétricas do nosso mundo, a primeira imagem que vem em nossa mente é a de eletricista confuso Roy Neary (interpretado por Richard Dreyfuss) respondendo a um apagão em massa na América rural durante uma das as melhores sequências de Contatos Imediatos do Terceiro Grau. Sua missão de descobrir as causas do apagão da sua empresa de serviços públicos se torna uma experiência de contato que muda completamente sua vida.

Mas a estranha relação entre cinema e apagões causados ​​pela presença de dispositivos desconhecidos em nossos céus não termina aí: enquanto milhares de estadunidenses que visitam cinemas em todo o país para testemunhar o filme chamado Dia da Independência, ocorria um incidente que reviveu o fantasma desconfortável de ‘apagões OVNI.’

Em 2 de julho de 1996, algo desconhecido conseguiu incapacitar os sistemas de comunicação e energia em toda uma região de onze estados da União Americana, de Montana ao Novo México. A reação em cadeia resultou em surpreendentes problemas de tráfego, forçou centros médicos e aeroportos a ativarem seus geradores de emergência e deixou milhões de pessoas consternadas em um dia quente de verão.

No dia seguinte, as reportagens da imprensa indicaram que o problema residia em três linhas de transmissão de 500 quilovolts, cada uma passando das usinas hidrelétricas na região noroeste para os estados do sudoeste. As autoridades afirmaram que as três linhas caíram simultaneamente, mas não conseguiram explicar o que aconteceu. O resultado foi que mais de uma dúzia de usinas elétricas ficaram offline, junto com sete bombas no aqueduto do Rio Colorado.

 Um porta-voz da Bonneville Power, que administra as linhas de energia no noroeste dos Estados Unidos, disse que o problema estava em Rock Springs, Wyoming, onde quatro centrais de quinhentos megawatts subitamente caíram. Um milhão e duzentas mil pessoas em Nevada, no oeste do Oregon, no sul de Idaho e no estado da Califórnia estavam sem energia.

Joe Marshall, da Idaho Power Co., disse em um telegrama da Associated Press:

Provavelmente foi uma sobrecarga, ou houve alguma falha, mas ninguém sabe ao certo o que aconteceu.

A revista Newsweek citou um funcionário anônimo que disse:

Podemos dizer que eles não foi devido aos OVNIs, e acho que não foi obra de hackers também.

Mas a suspeita de que o fenômeno OVNI possa ter sido relacionado ao apagão não poderia ser removida da mente do público. Embora não havia nenhuma evidência convincente de que o fenômeno OVNI foi a causa de eventos, rumores na Internet abundavam a respeito da atividade OVNI em Coeur D’Alene, Idaho (local conhecido pelas suas aparições) e outras partes das linhas de energia nacionais . Talvez ainda haja alguma verdade no velho ditado de que aqueles que esquecem o passado estão condenados a repeti-lo.

Em 9 de novembro de 1965, 29 milhões de almas no nordeste dos Estados Unidos e milhões no Canadá foram mergulhadas na escuridão, uma vez que a eletricidade foi afetada por um fenômeno desconhecido. Às 17h30 daquele dia fatídico, milhares de nova-iorquinos aterrorizados ficaram presos nos túneis dos trens do metrô e dentro dos elevadores, no coração dos arranha-céus. Vinte e cinco milhões de pessoas passaram aquela noite incomum no saguão dos hotéis da cidade, em bares, carros e museus. Nenhuma instalação foi deixada ilesa, nem mesmo as bases militares.

O apagão se expandiu como uma mancha de tinta, em questão de minutos, da região das Cataratas do Niágara às cidades de Buffalo, Rochester, Utica e às comunidades menores ao longo dos Grandes Lagos. Depois, cobria os estados da Pensilvânia, Massachusetts, Connecticut, New Hampshire e Vermont.

Em uma nação afundada no temor da Guerra Fria, onde a memória da crise dos mísseis em Cuba ainda estava fresca, receava-se a princípio que o apagão fosse o presságio da hecatombe nuclear. Um piloto comercial exclamou que o ato de ver a escuridão que reinava na Terra que sobrevoava o seu avião o fez pensar que “o fim do mundo havia chegado”.

Estações de rádio operando com força de segurança conseguiram tranquilizar a população, embora algumas notícias fizessem referência a “problemas no Norte” sem oferecer nada de concreto. Um instrutor de aviação norte de Syracuse, NY, disse que viu uma enorme bola de fogo pairando sobre as linhas de alta tensão de um milhão de volts pertencentes à empresa ferroviária Niagara Mohawk, em Clay, NY. Precisamente naquela época, os operadores da área de Nova York registraram um enorme pico de força ao norte, talvez atraído pela ‘bola de fogo’. Milhares de testemunhas nas cidades escuras e comunidades rurais testemunharam naquela tarde luzes estranhas que cruzaram o céu de forma impunidade.

Outros disseram que viram ‘bolas de fogo’ balançando nas linhas de transmissão enquanto mudavam de azul para verde e laranja. Uma hora antes da interrupção do fluxo elétrico, dois pilotos da aviação civil, Jerry Whittaker e George Croniger, afirmaram ter visto dois caças da Força Aérea perseguindo dois objetos desconhecidos.

A explicação oficial produzida naquela época era que a disjunção de um revezamento na enorme central Sir Adam Beck No.2, localizada a alguns quilômetros ao norte das Cataratas do Niágara, havia causado o blecaute. Segundo especialistas, a disjunção supostamente sobrecarregou as linhas norte-americanas. e os detectores de carga não foram capazes de funcionar de acordo com o seu projeto. Outro fato que não foi explicado satisfatoriamente.

O nordeste dos EUA, uma presa para a obscuridade, foi um tópico que despertou interesse mundial. O mesmo não se pode dizer dos apagões que aconteceram depois: semanas depois, o Novo México, o Texas e a República Mexicana estariam no escuro.

Desenho da antiga revista ‘Duda’, que dedicou uma edição em 1971 aos apagões gerados pelo fenômeno OVNI.

Em 3 de dezembro de 1965, Ciudad Juarez, no México e grandes cidades do sudoeste americano foram vítimas de interrupções inesperadas, enquanto em Socorro, NM, a Base Aérea Holloman, e o campo de mísseis de White Sands e outras instalações de interesse estratégico ficaram inúteis. A culpa recaiu em algumas unidades defeituosas em algum canto do Novo México. No entanto, testemunhas locais afirmaram ter visto um objeto brilhante na usina.

Discussões sobre as medidas que poderiam ser tomadas contra apagões causados ​​por OVNIs ocorreram logo após os eventos. Milton L. Scott, pesquisador da Filadélfia, fez a seguinte recomendação:

Podemos começar alertando os serviços públicos do país sobre o perigo iminente de apagões repentinos, e avisar as usinas que devem desligar todos os disjuntores dentro de seu alcance se detectarem uma enorme sobretensão de origem desconhecida se movendo ao longo das linhas.

O físico James McDonald, apologista apaixonado pela existência de OVNIs até sua trágica morte, não hesitou em dizer que a fonte do blecaute foram os objetos não identificados.

Argentina já ficou no escuro antes e Brasil também, por causa dos OVNIs

A América do Sul também teve enormes apagões, como a grande escuridão que envolveu Buenos Aires em 26 de dezembro de 1965. A maior parte da cidade ficou no escuro durante sete horas. Como resultado, a falta de comunicação com as autoridades causou um tremendo pânico entre a população.

Os investigadores argentinos sabiam que, poucas horas antes do blecaute, um objeto voador não identificado foi observado por numerosas testemunhas, enquanto voava da cidade de La Plata para Buenos Aires. Entre os surpreendidos estava o Dr. Juan Carlos Sánchez Boado, amante de ovnilogia, que, junto com outro amigo, o Sargento Gaston Salazar, permaneceu por várias horas perto de Lomas de Zamora, na estrada número 2. De lá, e às 19:00, eles conseguiram fotografar o OVNI quando ele parecia voltar na direção de La Plata.

No entanto, discos voadores capazes de ‘sugar’ energia já haviam sido avistados na América do Sul anos antes: um brilhante OVNI em forma de disco voador voou lentamente sobre a comunidade brasileira de Mogi Mirim, em 1957, extinguindo as luzes em seu caminho. Os espectadores puderam observar áreas completamente negras diretamente abaixo do trajeto do OVNI e outras áreas adjacentes onde a luz apenas diminuía. A situação normalizou logo depois que o objeto saiu da área.

O testemunho de um policial abduzido

O potrulheiro Herbert Schirmer, o protagonista de uma abdução por OVNI em Ashland, Nebraska (EUA) em 1967, supostamente foi ordenado por um de seus raptores alienígenas para espiar através de uma janela: o policial pôde ver que a ‘nave espacial’ em que ele estava havia estendido uma sonda em um cabo de alta tensão. Houve um breve flash e a sonda começou a alimentar eletricidade do cabo.

Segundo Schirmer, os ovninautas disseram-lhe que tinham ‘dificuldades em armazenar eletricidade’ e que o excedente seria devolvido ao cabo de alta tensão.

Poderia esse tipo de operação ter sido a causa do Grande Apagão do Nordeste dos EUA, assim como outras falhas de origem desconhecida?

(Trecho do livro OVNIS-Entre sueños y chimeras, 2016).

(Fonte)

Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.


Então, fica aqui a grande pergunta: com relatos do passado associando OVNIs aos grande apagões, incidentes esses que foram relatados por várias testemunhas, teria o grande apagão da Argentina e do Uruguai sido causado por algum evento similar aos relatados acima?

E ainda, mesmo se as autoridades justificarem as falhas na rede elétrica como sendo algo mundano, não causadas por forças externas, podemos confiar nessas informações, já que ninguém em sã consciência dentro desses círculos oficiais mencionaria a sigla OVNI, com medo de perder seus empregos?

Se alguém souber de algum relato de objetos estranhos durante o grande apagão que ocorreu ontem, a área de comentários fica disponível.

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.