web analytics

NASA se prepara para falar sobre vida ET? Planeta anão pode possuir mais material orgânico do que se pensava

Tempo de leitura: 3 minutos

Recentemente a NASA anunciou em uma de suas “sensacionais” liberações de imprensa que Marte contém matéria orgânica, um componente essencial para a vida tal como a conhecemos. Com isso, a agência espacial também insinuou que aquele material orgânico pode ter sido originário de vida passada na Planeta Vermelho. (Você pode ler mais a respeito disso clicando aqui e aqui).

“Coincidentemente” (sim, entre aspas mesmo), poucos dias depois da “grande notícia” da NASA sobre Marte, mais uma notícia a respeito de matéria orgânica encontrada fora de nosso planeta chega à população, desta vez falando sobre o planeta Ceres, novamente.

Veja:

NASA se prepara para falar sobre vida ET

No ano passado, cientistas da missão Dawn da NASA anunciaram a detecção de matéria orgânica – compostos à base de carbono que são componentes necessários à vida – expostos em manchas na superfície do planeta anão Ceres.

Agora, uma nova análise dos dados da Dawn por pesquisadores da Brown University sugere que essas manchas possam conter uma abundância muito maior de compostos orgânicos do que se pensava inicialmente.

As descobertas, publicadas recentemente na Geophysical Research Letters, levantam questões intrigantes sobre como esses orgânicos chegaram à superfície de Ceres, e os métodos usados ​​no novo estudo também poderiam fornecer um modelo para interpretar dados para futuras missões, dizem os pesquisadores.

Hannah Kaplan, pesquisadora de pós-doutorado do Southwest Research Institute que liderou a pesquisa enquanto completava seu doutorado na Brown University, disse:

O que este artigo mostra é que você pode obter resultados realmente diferentes dependendo do tipo de material orgânico que você usa para comparar e interpretar os dados da Ceres. Isso é importante não apenas para Ceres, mas também para missões que em breve explorarão asteroides que também podem conter matéria orgânica.

Moléculas orgânicas são os blocos de construção químicos para a vida. Sua detecção em Ceres não significa que a vida existe ou já existiu lá; processos não biológicos também podem produzir moléculas orgânicas. Mas como a vida como a conhecemos não pode existir sem material orgânico, os cientistas estão interessados ​​em como ela está distribuída através do sistema solar. A presença de material orgânico em Ceres levanta possibilidades intrigantes, particularmente porque o planeta anão também é rico em gelo de água, e a água é outro componente necessário para a vida.

A descoberta original de compostos orgânicos em Ceres foi feita usando o Espectrômetro Visível e Infravermelho (VIR) na sonda Dawn, que entrou em órbita ao redor do planeta anão em 2015…

…Para se ter uma ideia inicial de quão abundantes esses compostos podem ser, a equipe de pesquisa original comparou os dados VIR de Ceres com os espectros de refletância de laboratório de material orgânico formado na Terra. Com base nesse padrão, os pesquisadores concluíram que entre 6 e 10% da assinatura espectral detectada em Ceres poderia ser explicada pela matéria orgânica…

…Kaplan informou:

…Estimamos que até 40% a 50% do sinal espectral que vemos na Ceres é explicado pelos orgânicos. Essa é uma enorme diferença em comparação aos 6% a 10% relatados anteriormente com base em compostos orgânicos terrestres.

Se a concentração de compostos orgânicos em Ceres é realmente tão alta, levantam uma série de novas questões sobre a origem desse material. Existem duas possibilidades concorrentes de onde os orgânicos da Ceres podem ter vindo. Eles poderiam ter sido produzidos internamente em Ceres e, em seguida, expostos na superfície, ou poderiam ter sido entregues à superfície por um impacto de um cometa ou um asteroide rico em orgânicos.

Este novo estudo sugere que, se os orgânicos foram entregues, as altas concentrações potenciais dos orgânicos seriam mais consistentes com o impacto de um cometa em vez de um asteroide. Sabe-se que os cometas têm abundâncias internas de compostos orgânicos significativamente maiores do que os asteroides primitivos, potencialmente semelhantes aos 40% a 50% que esse estudo sugere para esses locais em Ceres. No entanto, o calor de um impacto provavelmente destruiria uma quantidade substancial de compostos orgânicos de um cometa, portanto, se essas abundâncias podem ou não ser explicadas por um impacto cometário, ainda não está claro, dizem os pesquisadores.

A explicação alternativa, de que os orgânicos formados diretamente em Ceres, levanta questões também. Até agora, a detecção de compostos orgânicos foi limitada a pequenas manchas no hemisfério norte de Ceres. Essas altas concentrações em áreas tão pequenas requerem uma explicação…

…Por enquanto, os pesquisadores esperam que este estudo seja útil para informar as próximas missões de retorno de amostras a asteroides próximos da Terra que também são considerados hospedeiros de minerais e compostos orgânicos. Espera-se que a nave espacial japonesa Hayabusa2 chegue ao asteroide Ryugu em várias semanas, e a missão OSIRIS-REx da Nasa deve chegar ao asteroide Bennu em agosto. Kaplan é atualmente um membro da equipe de ciências com a missão OSIRIS-REx…

(Fonte)


Embora a notícia acima tenha sido liberada por membros da Universidade Brown, mais do que certamente o dedo da NASA está no meio. De repente a matéria orgânica, mesmo já tendo sido descoberta há muito tempo fora da Terra, se tornou uma grande peça de marketing para a agência espacial norte americana.

Olhando toda essa movimentação, muita gente acha que se trata de um estratagema da NASA para finalmente (em alguns anos) liberar a notícia que já é mais do que óbvia e ela têm sabido por décadas:

A vida é abundante fora da Terra!

n3m3