web analytics

Elon Musk está errado sobre alienígenas!

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 4 min.
Ouça este artigo...

Elon Musk disse em uma entrevista na TV na semana passada que não viu “nenhuma evidência de alienígenas” no Universo, acrescentando que iria tuitar sobre os alienígenas se os encontrasse.

Elon Musk está errado sobre alienígenas!
Elon Musk. Crédito: FOX News via AP

Por Avi Loeb
Ele argumentou:

“Muitas pessoas me perguntam, sabe, onde estão os alienígenas? E acho que se alguém soubesse sobre alienígenas na Terra, provavelmente seria eu. Eu sou, você sabe, muito familiarizado com coisas espaciais. E não vi nenhuma evidência de alienígenas.”

Primeiro, como cosmólogo que estuda o Universo em seu trabalho diário, deixe-me esclarecer que o espaço explorado até agora por Elon Musk é menor que o tamanho do Universo observável por um fator de quatrilhão, ou seja, um seguido por quinze zeros. Elon comentar sobre o Universo com base em sua experiência local no sistema solar interno é equivalente a uma formiga fazer uma declaração sobre os planetas do sistema solar depois de explorar uma área tão grande quanto a cabeça de um alfinete. Deve ser uma formiga bastante presunçosa.

A declaração de Musk reflete o sentimento de uma pessoa caseira, olhando em volta de sua sala de estar e repetindo o paradoxo de Enrico Fermi: “Onde estão todos? … Parece que não temos vizinhos”. O que Enrico e Elon esqueceram é que para encontrar vizinhos, eles precisam olhar pelas janelas e é melhor usar telescópios por causa da vastidão do espaço.

Além disso, os tempos cósmicos são medidos em bilhões de anos, cem milhões de vezes mais do que o tempo que sintonizamos no céu com os telescópios modernos. A fração do tempo de atenção de Musk em relação à idade da maioria das estrelas é equivalente a ouvir sinais de trânsito por uma fração de segundo durante a vida humana. Como a maioria das civilizações tecnológicas pode ter existido em torno de estrelas que se formaram bilhões de anos antes do Sol, elas provavelmente já estão mortas e as únicas relíquias detectáveis ​​delas são as espaçonaves interestelares que lançaram, no espírito da SpaceX – o legado de Elon no espaço.

Como sabemos que uma fração significativa de todas as estrelas semelhantes ao Sol têm um planeta do tamanho da Terra aproximadamente na mesma distância, é provável que empreendedores semelhantes a Musk tenham criado as empresas espaciais SpaceY ou SpaceZ, em torno de outras estrelas, bilhões de anos atrás. Claro, Elon é especial entre os humanos, mas dos bilhões de sistemas Terra-Sol na Via Láctea, provavelmente havia um empreendedor que se aventurou no espaço interestelar. Se a civilização-mãe investisse o equivalente a trilhões de dólares por ano em exploração espacial em vez de orçamentos militares – como estamos fazendo, eles poderiam ter enviado uma pequena sonda para cada estrela da Via Láctea dentro de um século de sua história. Devemos, portanto, verificar se temos um pacote em nossa caixa de correio, em vez de esperar por um telefonema, como a comunidade SETI tem feito nas últimas sete décadas.

Diante dessa perspectiva, faz sentido buscar no espaço produtos de SpaceY ou SpaceZ. Na verdade, nós já fizemos.

Na última década, os astrônomos descobriram os primeiros quatro objetos interestelares que entraram no sistema solar vindos do espaço sideral. Notavelmente, três deles pareciam estranhos, ao contrário das conhecidas rochas espaciais do sistema solar. Eles incluem os dois meteoros interestelares IM1 e IM2 – que eram mais resistentes do que todos os outros meteoros no catálogo de bolas de fogo CNEOS da NASA, e o ‘Oumuamua – que tinha uma forma plana e era impulsionado por uma aceleração não gravitacional sem mostrar nenhum traço de evaporação cometária. .

Argumentar sem evidências e sem buscar as evidências é um argumento circular, semelhante a uma profecia autorrealizável. E quando as anomalias aparecem, faz mais sentido explorá-las cientificamente, em vez de repetir o padrão de Sagan: “Afirmações extraordinárias exigem evidências extraordinárias”. Como costumo dizer, “evidência extraordinária requer financiamento extraordinário”, do tipo que Elon pode fornecer.

Mudar um paradigma científico é um trabalho árduo. Albert Einstein argumentou em 1935 que a mecânica quântica não tem ação assustadora à distância, e levou 87 anos até que o Prêmio Nobel fosse concedido em 2022 aos experimentalistas que provaram que ele estava errado.

A única maneira de corrigir o equívoco de Elon sobre os alienígenas é se envolver em observações científicas por meio de câmeras e telescópios de última geração. Esta tarefa define a missão do Projeto Galileo, que representa a primeira busca sistemática de objetos próximos à Terra de origem tecnológica extraterrestre. Seria arrogante da nossa parte ignorar a possibilidade de que outras civilizações lançassem sondas para o espaço interestelar como a SpaceX está fazendo. Só faz sentido verificar as SpaceY e SpaceZ.

O Projeto Galileo segue três ramos de pesquisa. O primeiro é um esforço para encontrar e caracterizar objetos interestelares estranhos por meio do pipeline de dados do Observatório Vera C. Rubin no Chile e do telescópio espacial Webb – a um milhão de milhas (1,6 milhão de quilômetros) de distância, no segundo ponto Lagrange L2. A segunda ramificação do Projeto Galileo envolve uma expedição ao oceano Pacífico para recuperar relíquias do primeiro meteoro interestelar e descobrir, por sua composição, se sua força material excepcional era de origem natural ou artificial. O terceiro esforço é construir novos observatórios que esclareçam a natureza dos Fenômenos Aéreos Não Identificados (de sigla em inglês, UAP [OVNIs]), mencionados pela Diretora de Inteligência Nacional, Avril Haines, em dois relatórios que entregou ao Congresso dos Estados Unidos. O primeiro Observatório Galileo já está coletando dados de câmeras infravermelhas e ópticas de última geração acompanhadas por um radar passivo e sistema de áudio. Múltiplas cópias desses sensores permitirão medições confiáveis ​​de distância para OVNIs por meio de triangulação.

Demorou mais de um ano para a equipe excepcional do Galileo montar o primeiro novo observatório na Universidade de Harvard. Atualmente, estamos planejando observatórios adicionais em outros locais. Para resolver o quebra-cabeça OVNI, o Projeto Galileo precisa de dezenas de milhões de dólares em financiamento. O governo não é uma organização científica e não podemos esperar que divulgue dados classificados porque foram coletados por sensores classificados como secretos. Mas o céu não é classificado e os observatórios do Galileo visam coletar dados novos e melhores e divulgar esses dados abertamente ao público.

Se Elon quiser promover o conhecimento científico sobre alienígenas, tudo o que ele precisa fazer é financiar o Projeto Galileo. A equipe de pesquisa do Galileo usará o método científico e relatará os resultados na literatura aberta revisada por pares por meio de uma análise científica transparente. Os observatórios Galileo-Musk trariam clareza científica a um assunto repleto de alegações infundadas, preconceito e estigma.

O conhecimento científico sobre nossos vizinhos cósmicos poderia dar um novo significado à nossa existência cósmica, que até agora não tinha sentido — como argumenta o cosmólogo Steven Weinberg. Não há nada mais importante para os solteiros do que encontrar um parceiro.

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Leopoldo Della Rocca ❤️ Egídia L dos Santos ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!

hit counter code