web analytics

2023: “Relógio do dia do juízo final” indica grande ameaça nuclear

Ouça este artigo...
Tempo de leitura: 4 min.

A Global Challenges Foundation, o grupo sueco que avalia riscos catastróficos, fez o aviso relevante em seu relatório anual.

2023: "Relógio do dia do juízo final" indica grande ameaça nuclear
Será este o nosso destino? (Foto: domínio público)

Ele diz que a ameaça de usar armas nucleares é a maior desde 1945, quando os EUA destruíram Hiroshima e Nagasaki.

Simplificando, os especialistas que operam o chamado “relógio do dia do juízo final” dizem que nosso planeta está mais próximo do que nunca de uma guerra nuclear.

Entrando em 2022, poucos esperariam que o presidente dos EUA, Biden, estivesse falando sobre destruição nuclear, após as ameaças nucleares da Rússia para a Ucrânia.

Ao mesmo tempo, em 2022, os testes de mísseis eram permanentes na Ásia – os exercícios de Kim Jong-un causam interrupções contínuas aos vizinhos, pois a Coréia do Norte também é uma potência nuclear. As agências de inteligência dos EUA acreditam que a Coréia do Norte está pronta para um sétimo teste nuclear.

Enquanto isso, Biden declarou efetivamente um acordo sobre o projeto nuclear disputado do Irã, e as tensões entre a Índia e o Paquistão permaneceram em ponto baixo.

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, alertou que o planeta está “em uma avenida para climizar o inferno com o pé no acelerador“, com severas inundações do ano passado no Paquistão, uma onda de calor sem precedentes de 70 dias na China e as colheitas que falham em dar frutos no nordeste da África.

O relatório da Global Challenges Foundation alertou que uma troca completa de armas nucleares, além de causar uma perda maciça de vidas, causaria nuvens de poeira que ocultariam o Sol, reduziria a capacidade de produzir alimentos e inauguraria “um período de caos e Violência, que a maioria da população mundial sobrevivente morreria de fome.”

Enquanto um ataque nuclear russo provavelmente envolveria pequenas armas nucleares “táticas”, os especialistas temem uma rápida escalada se os Estados Unidos responderem.

Então estamos em um jogo completamente diferente“, disse Benedict, consultor sênior do Boletim dos Cientistas Atômicos, que em janeiro revelará sua última avaliação do “relógio do dia do juízo final”, de 100 segundos a meia -noite de 2021.

O mecanismo de avaliação de risco de 75 anos

O relógio do dia do juízo final, esse mecanismo para avaliar os riscos enfrentados pela humanidade, foi criado há 75 anos e é mantido até hoje.

É um mecanismo de alerta destinado a alertar a humanidade que algo está muito errado e precisa ser corrigido. Mas nada é fixo e a humanidade continua ininterrupta até a “hora zero” (às 12 horas são simultaneamente zero hora).

Este ano foi o terceiro ano consecutivo em que os ponteiros do relógio mostraram apenas 100 segundos antes da meia -noite, o que significa que nosso planeta está muito mais próximo da aniquilação do que durante a Guerra Fria.

O “relógio do dia do juízo final” foi criado pelo conselho do Boletim dos Cientistas Atômicos em 1947 como uma resposta científica à ameaça nuclear ao mundo.

Sua idéia básica é simples: quanto mais próximo o ponteiro chega da meia -noite, quanto mais próximo o painel de sábios acredita que o mundo estará condenado à destruição.

Em 1991, ele estava, por exemplo, 17 minutos antes da meia -noite, enquanto em 1953 estávamos a apenas 2 minutos.

De acordo com o Boletim, o relógio não é um indicador dos altos e baixos da luta global por poder e autoridade, pois o que ele realmente faz é refletir as mudanças fundamentais nos níveis de perigo que a humanidade enfrenta em nossa era nuclear.

O “relógio de apocalipse” certamente não foi imune às críticas que foram niveladas contra ele e muitas obtiveram sucesso em reverter seus ponteiros e também na própria possibilidade de destruição e seus métodos de cálculo.

Uma probabilidade anual de 1,4% de um incidente nuclear, por exemplo, pode parecer um número bastante preciso, mas a estimativa é baseada em uma lista de fatores possíveis e correlações frouxas, afirmam os fanáticos do relógio.

É claro que é importante ter em mente que o relógio não busca precisão absoluta. É uma estrutura simbólica para os níveis de perigo que a humanidade enfrenta em termos nucleares principalmente e, como dizem os cientistas, o objetivo por trás de sua operação é “informar o público sobre ameaças à sobrevivência e desenvolvimento da humanidade“.

O boletim leva em consideração muitos fatores ao definir seus indicadores do relógio: ameaças nucleares, mudanças climáticas, indicadores de segurança e bioterrorismo, até incidentes e desenvolvimentos de guerra cibernética e desenvolvimentos na inteligência artificial. É por isso que os ponteiros estão constantemente “pulando” e se afastando ou se aproximando da meia-noite.

Em 1947, por exemplo, estávamos a 7 minutos da meia -noite por causa do alto risco de um conflito nuclear. Em 1949, os ponteiros chegaram aos 3 minutos, quando a União Soviética testou sua primeira bomba atômica.

Em 1952, os marcadores tocaram o histórico dois minutos da meia -noite, quando os EUA criaram a bomba de hidrogênio.

Em 1963, quando os testes nucleares na atmosfera terminaram, o relógio passou para 12 minutos, mas caiu para 3 minutos em 1984, quando a Guerra Fria atingiu as máximas de um ano novo.

Quando a polarização da Guerra Fria terminou em 1991 com o colapso da URSS, o mundo ficou aliviado. O mesmo aconteceu com o relógio, que passou a 17 minutos do final.

Em 2015, no entanto, caiu para 3 minutos antes da meia -noite, devido à modernização do arsenal nuclear e ao excesso de armas nucleares.

Em 2016, o relógio permaneceu estável aos 3 minutos, pois os perigos que ameaçavam o mundo continuavam a ser muitos: terrorismo, ameaças nucleares e guerra cibernética, enquanto em 2022 parou em 100 segundos.

(Fonte)


Uma coisa é certa: se continuarmos sendo estúpidos como temos sido, deixando nossas consciências serem levadas pela ganância e pelo poder, logo o ponteiro do relógio apontará para a meia-noite. E, se isso acontecer, somente podermos ser salvos se “extraterrestres” interferirem. (E por extraterrestre digo que pode ser até do reino espiritual, se é que lá ainda se importam com tanta asneira reunida num só planeta. [Desculpe o pessimismo])

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Participe dos comentários mais abaixo… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo, ou use a chave PIX “OVNIHoje” (sem as aspas):

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Egídia dos Santos, Edward de Lima.

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!