Será que Marte finalmente responderá se “estamos sozinhos”?

Tempo de leitura: 3 min.

Em termos de exploração espacial, nenhum corpo planetário foi visitado mais vezes do que Marte, com a Mariner 4 da NASA se tornando a primeira espaçonave a capturar imagens do Planeta Vermelho em 1965.

Será que Marte finalmente responderá se "estamos sozinhos"?
Planeta Marte. Crédito: NASA

Hoje, existem 3 jipes-sonda e 1 sonda de pouso explorando o Planeta Vermelho, juntamente com mais de uma dúzia de orbitadores nos ensinando algo novo sobre este mundo misterioso todos os dias. Mas o que torna Marte tão fascinante para estudar?

O Dr. Antonio Paris, que é o cientista-chefe de pesquisa do Centro de Ciência Planetária e autor de “Mars: Your Personal 3D Journey to the Red Planet” (“Marte: Sua Jornada 3D Pessoal ao Planeta Vermelho”, em tradução livre), disse:

“Marte me fascina de várias maneiras. Da ficção científica à ciência, o Planeta Vermelho pode servir como um interesse de pesquisa ao longo da vida para desvendar os mistérios do Sistema Solar, tal como o início da vida na Terra e se nosso planeta terá o mesmo destino que Marte.”

Hoje, Marte é um mundo frio e seco, com temperaturas médias de superfície variando de -140 graus a 21 graus Celsius, e nenhuma gota de água líquida na superfície. Esta falta de água no estado líquido é explicada pela falta de pressão atmosférica, que é um insignificante um por cento da Terra. Assim como Vênus, isso não é um bom presságio para a vida como a conhecemos. Então, o que torna Marte tão intrigante para a astrobiologia e encontrar vida além da Terra?

O Dr. Mackenzie Day, que é professor assistente no Departamento de Ciências da Terra, Planetárias e Espaciais da UCLA, disse:

“Marte costumava se parecer muito mais com a Terra. Tinha água líquida fluindo pela superfície que esculpia vales de rios e enchia crateras para formar lagos. Os lagos, em particular, são ótimos lugares para encontrar vida na Terra, então Marte é um alvo intrigante da astrobiologia porque costumava ter muitos lagos.

O jipe-sonda Mars 2020, Perseverance, está atualmente explorando um paleo-lago seco com um depósito de delta em seu interior. Os deltas da Terra organizam naturalmente areia, lama e cascalho por tamanho, e sabemos que o melhor lugar para encontrar sinais de vida são os menores grãos. Aproveitar o que sabemos sobre os deltas da Terra (como o Delta do Rio Nilo ou o Delta do Rio Mississippi) melhorará as chances do jipe-sonda de fazer descobertas particularmente empolgantes.”

Evidências sugerem que bilhões de anos atrás, o Planeta Vermelho era um lugar muito mais quente e úmido, e as missões atuais de Marte estão tentando descobrir se a vida já existiu na superfície, ou mesmo logo abaixo dela. Embora tenhamos aprendido muita ciência sobre o Planeta Vermelho nas últimas décadas, os humanos não podem estudar Marte diretamente porque não temos amostras na Terra. Mas tudo isso pode mudar com a missão Mars Sample Return da NASA, que deve ser lançada no final da década de 2020. Enquanto isso, o Perseverance da NASA está atualmente preparando amostras que mais tarde serão trazidas à Terra na próxima década. Mas como essas amostras trazidas à Terra podem ajudar a melhorar nossa compreensão da habitabilidade de Marte?

Dr. Day explica:

“Há tantas perguntas que podem ser respondidas com um pedaço real de Marte e o conjunto de amostras que o jipe-sonda está coletando está sendo cuidadosamente selecionado para obter um pouco de tudo. Com amostras reais, podemos usar muitas ferramentas e métodos de laboratório que o jipe-sonda não possui a bordo. As amostras nos darão uma imagem muito mais clara do que estava acontecendo no antigo Marte e onde ou como a vida pode ter sobrevivido.”

Marte era capaz de suportar vida, mesmo que por um curto período de tempo? O que as missões atuais continuarão a descobrir sobre o Planeta Vermelho e o que aprenderemos com as amostras trazidas à Terra? Essas perguntas poderiam muito bem ser respondidas nos próximos anos.

O Dr. Paris disse:

“Há muita especulação sobre a existência ou não de vida em Marte. Se eu pudesse fazer uma aposta, escolheria os tubos de lava como locais para procurar vida em Marte. Muitos dos tubos de lava em Marte permanecem fechados, o que pode servir como locais importantes para observação direta e estudo da geologia e geomorfologia marcianas, além de potencialmente descobrir qualquer evidência do desenvolvimento da vida microbiana no início da história natural de Marte.”

E com isso, nos perguntamos se Marte finalmente responderá: “Estamos sozinhos?”

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Participe dos comentários mais abaixo… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo, ou use a chave PIX “OVNIHoje” (sem as aspas):

Agradecimentos aos colaboradores dos últimos meses: Edward de Lima, José de Castro, Teogenis de Oliveira, Egídia dos Santos, Silas Raposo, Reinaldo Galhardo, Luiz Buria, Silas Raposo, Maria Dorotea Soares..

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!