Governo dos EUA investiga OVNIs não feitos pelo homem

Tempo de leitura: 3 min.

Um documento recente do Congresso revelou planos para dividir objetos voadores não identificados (OVNIs) em dois grupos: aqueles que são entendidos como feitos pelo homem e aqueles que não são.

Governo dos EUA investiga OVNIs não feitos pelo homem

O documento também expande o escopo dos OVNIs, que não estão mais limitados a apenas objetos voadores, redefinindo-os como “fenômenos aeroespaciais-submarinos não identificados”, relata o site Vice.

O documento é um adendo à Lei de Autorização de Inteligência para o ano fiscal de 2023.

O que é isso no céu? Se não for um pássaro, um avião ou algum outro objeto feito pelo homem, aparentemente está destinado a um novo setor dos EUA: A caixa de entrada da inteligência.

Aqui está o que o site Vice resume do documento:

O Congresso fez duas reivindicações iniciais. A primeira é que “ameaças transmídias entre domínios à segurança nacional dos Estados Unidos estão se expandindo exponencialmente”. A segunda é a de distinguir entre OVNIs que são de origem humana e aqueles que não são: “Objetos temporários não atribuídos, ou aqueles que são positivamente identificados como feitos pelo homem após análise, serão passados ​​para escritórios apropriados e não devem ser considerados sob a definição de fenômenos aeroespaciais-submarinos não identificados”.

Mas o que todo esse jargão significa? Uma palavra-chave no relatório do Congresso é “transmídia”, um termo que o Pentágono adotou recentemente para seu grupo de OVNIs que emanou para outras agências. Isso se refere à tecnologia que seria capaz de viajar através de diferentes mídias, literalmente: espaço, ar e água são todos mídias neste contexto. Os lançadores do programa de pouso na Lua da NASA seriam tecnicamente considerados transmídia porque atravessam a atmosfera da Terra e depois viajam pelo espaço.

Mas esse exemplo em si mostra porque a tecnologia transmídia é tão, bem, alienígena. Nós mal arranhamos a superfície da melhor forma de viajar pela atmosfera e depois ajustar e viajar com eficiência pelo espaço. Os veículos anfíbios aqui na Terra geralmente vão da propulsão motorizada em terra à propulsão motorizada na superfície da água – não de viagens aéreas a submarinos. Mesmo em Star Trek, as naves mãe evitam ter que sair da órbita e entrar em atmosferas planetárias.

O outro termo interessante é “cross-domain” (“através de dominios”) ou, para o Pentágono, “all-domain” (“todos os domínios”). “Domínio” é uma abreviação de defesa para campo de batalha ou, no século XXI, o “espaço de batalha”. Durante a Segunda Guerra Mundial, você teria visto análises de domínios na Europa, como montanhas ou litoral, e aqueles na Ásia, como florestas tropicais ou ambientes urbanos densos. Depois houve domínios em outros meios, incluindo guerra naval (superfície e submarina) e guerra aérea.

Você pode ter adivinhado onde isso está indo. Hoje, muitos conflitos globais nem sequer são declarados como guerras, muito menos travados dessas formas tradicionais ao longo de linhas previsíveis. Os domínios agora incluem ataques cibernéticos e outras vantagens estratégicas baseadas em tecnologia – pense no cibercrime russo ou nos bots do Facebook. E, conforme destacado pela Força Espacial dos Estados Unidos, nossas capacidades de defesa estão voltadas para as estrelas.

Esse contexto ajuda a explicar o que o novo relatório de adendo da Lei de Autorização de Inteligência está chegando. “Ameaças transmídias entre domínios” soa como uma grande conversa até você perceber que é uma linguagem provável sobre as suspeitas dos EUA sobre a Rússia e a China. Isso fica explícito na documentação da Força-Tarefa Multidomínio do Exército dos EUA (MDTF), por exemplo:

“O Congresso expressou preocupação com a ameaça à segurança nacional dos EUA representada pela Rússia e pela China. O Exército afirma que, para enfrentar a ameaça, deve ser capaz de operar em um ambiente de vários domínios.”

A recente renomeação do Pentágono de seu grupo de OVNIs aponta na mesma direção. O escritório era anteriormente chamado de Grupo de Identificação e Gerenciamento de Objetos Aerotransportados, e agora é chamado de Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios. Você poderia argumentar que essas mudanças coincidem com um interesse renovado em OVNIs, mas a linguagem em si não sugere isso automaticamente. É apenas a mais recente concessão à ideia de que o que ameaça os Estados Unidos, do espaço sideral ou não, definitivamente não se limita a “objetos transportados pelo ar“.

A outra mudança relatada pelo Vice é que o grupo agora dividirá os OVNIs suspeitos em duas categorias: aqueles que são determinados como “feitos pelo homem” e aqueles que não podem ser determinados como feitos pelo homem. A linguagem em si pode ser nova ou até sugestiva, mas o governo tem identificado publicamente há mais de 70 anos muitos OVNIs suspeitos como objetos feitos pelo homem, como balões meteorológicos. No relatório, esta seção está apenas dizendo que os objetos identificados como feitos pelo homem serão transferidos da caixa de entrada do escritório de OVNIs para a de outra pessoa.

Tudo isso significa que as notícias, no que diz respeito aos OVNIs, podem não ser tão chocantes, afinal. Mas é interessante que todos esses escritórios estejam acompanhando os tempos: as definições “devem ser atualizadas para incluir espaço e subaquático, e o escopo do Escritório deve incluir esses domínios adicionais com foco em abordar surpresa tecnológica e ‘desconhecidos desconhecidos’”. Aqui, “surpresas tecnológicas” referem-se a avanços repentinos na ciência ou tecnologia aplicada, ou ao uso de uma tecnologia conhecida de forma surpreendente. Incógnitas desconhecidas são exatamente o que parecem – coisas que o governo nem sabe que estão em jogo ainda.

O relatório deixa espaço para interpretação, mas de certa forma, as ameaças representadas por um “bicho-papão” do espaço são menos assustadoras do que simplesmente Rússia e China flexionando seus músculos tecnológicos e estratégicos.

(Fonte)


Seja qual mudança fizerem para se adaptarem às demandas, essas agências nunca irão liberar tudo que descobrirem (ou já sabem) sobre o fenômeno OVNI. Esta é uma das características próprias dessas agências: controle da informação, pois informação é poder e nunca dividirão o poder com outros.

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo:

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!
hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!