web analytics
Tempo de leitura: 3 min.

A Lua poderia ser empurrada para fora da órbita, como no filme “Moonfall”?

Tempo de leitura: 3 min.

A Lua tem sido a companheira próxima da Terra por bilhões de anos e, embora nossa visão de sua forma e tamanho varie um pouco à medida que orbita nosso planeta, ela permanece uma presença constante no céu. Mas será que isso pode mudar?

A Lua poderia ser empurrada para fora da órbita, como no filme "Moonfall"?
No filme de 2022 ‘Moonfall’, o ônibus espacial está se aclopando na estação espacial internacional, enquanto a Lua se vem em direção à Terra. (Crédito da imagem: Cortesia do Liongate)

No filme de 2022 “MoonfallAmeaça Lunar” (lançado em 4 de fevereiro), uma força misteriosa ejeta a Lua de sua órbita e a impulsiona em rota de colisão com a Terra, com um impacto devastador em apenas algumas semanas. (Cuidado, spoilers à frente.) Quando confrontados com esse cenário de desastre de alto risco e exagero, os personagens do filme lutam para salvar o planeta; ao fazerem isso, eles aprendem que nosso satélite natural não é tão natural assim.

A noção da Lua como uma megaestrutura artificial que foi construída bilhões de anos atrás por alienígenas inteligentes está firmemente enraizada no reino da ficção científica. Mas existe algum objeto natural no espaço que possa realmente empurrar a Lua para fora de sua órbita? Com dezenas de milhares de asteroides e cometas zunindo ao redor do sistema solar, uma colisão com uma rocha grande o suficiente poderia transformar a Lua em um projétil que poderia colidir com a Terra?

Nossa Lua é um corpo sólido e rochoso cercado por uma camada muito fina de gases conhecida como exosfera, e o satélite natural se formou na mesma época que a Terra, cerca de 4,5 bilhões de anos atrás. Uma hipótese amplamente aceita sugere que a Lua emergiu de detritos rochosos após um impacto maciço entre uma Terra jovem e um protoplaneta menor: um objeto hipotético chamado Theia, segundo a NASA. Outra hipótese de impacto propõe que tanto a Lua quanto a Terra se formaram após a colisão de dois corpos, cada um com cinco vezes o tamanho de Marte, diz a NASA.

Imagens da Lua mostram que sua superfície está repleta de crateras de vários tamanhos, feitas por impactos passados. Mas a maioria delas foi feita há bilhões de anos, quando havia muito mais detritos percorrendo o sistema solar, disse Paul Chodas, gerente do Centro de Estudos de Objetos Próximos à Terra (de sigla em inglês, CNEOS) do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA no Caltech em Pasadena, Califórnia. A maioria dos detritos rochosos formadores de planetas que uma vez encheram o sistema solar se dissipou há muito tempo, “então o número de impactos diminuiu agora – há muito menos material para impactar a Terra ou a lua”, disse Chodas ao Live Science.

O CNEOS identifica e rastreia objetos próximos da Terra (de sigla em inglês, NEOs), como asteroides e cometas, para determinar se eles representam uma ameaça para a Terra, a Lua ou nossos outros vizinhos cósmicos. Até o momento, o CNEOS está seguindo cerca de 28.000 NEOs – objetos que se aproximam da Terra dentro de 1,3 unidades astronômicas (194,5 milhões de km).

Chodas disse:

“Verificamos colisões entre qualquer planeta e asteroide, e verificamos colisões na Lua.”

Em geral, colisões de asteroides com a Lua são muito menos prováveis ​​do que colisões com a Terra, porque nosso planeta é um alvo mais massivo com gravidade mais forte. Uma rocha espacial rebelde que entrasse em nossa vizinhança cósmica seria, portanto, puxada para a Terra e não para a Lua, explicou Chodas.

O tamanho também importa quando os cientistas estão considerando o risco representado por um asteroide. Para um NEO ser classificado como uma ameaça à Terra, ele deve medir pelo menos 140 metros de diâmetro, de acordo com a NASA. E para um impacto de asteroide afetar a órbita da Lua, o asteroide teria que ser pelo menos tão grande quanto a própria Lua, disse Chodas.

Ele disse:

“A Lua é grande, então teria que ser um objeto enorme que teria que atingi-la em alta velocidade. Você teria que atingi-la com algo que tem centenas e mais centenas de quilômetros de diâmetro.”

Felizmente para nós (e para a Lua), nenhum dos asteroides conhecidos no sistema solar está nem perto do tamanho da Lua. O maior asteroide conhecido é cerca de 70 vezes menos massivo que a Lua e orbita entre Marte e Júpiter no cinturão principal de asteroides, a cerca de 180 milhões de km da Terra, segundo a NASA.

Isso pode descartar a possibilidade de um asteroide do sistema solar desalojar a Lua, mas e um objeto humano?

Como está para acontecer, um estágio de reforço de foguete SpaceX Falcão 9 lançado em 2015 está atualmente em curso de colisão com a Lua e espera-se que a atinja em março de 2022.

O estágio de foguete, que pesa cerca de 4 toneladas, ficou sem combustível após o posicionamento orbital do Observatório Climático (DSCOVR), um satélite para monitorar o clima e as tempestades solares da Terra e um projeto conjunto entre a NASA e o Administração Nacional Oceânica e Atmosférica. O estágio agora vazio estará viajando a aproximadamente 9.288 km / h quando atingir o lado oculto da Lua em 4 de março, e o impacto deve produzir uma cratera medindo cerca de 20 metros em diâmetro, relatou o New York Times.

Não há perigo do acidente afetar a órbita da Lua. No entanto, CNEIOS está acompanhando de perto a trajetória do foguete, apesar de não rastrear normalmente objetos artificiais no espaço, Chodas disse à Live Science.

Ele informou:

“Estamos fazendo alguns cálculos especialmente para este objeto. Este é o interesse para a espaçonave LRO [Orbiter de reconhecimento lunar da NASA], que está orbitando a Lua e pode tirar uma foto da cratera, então eles gostariam de saber onde vai bater. E podemos descobrir as previsões de onde procurar e onde essa cratera estará um mês a partir de agora.”

Então, a próxima vez que você olhar para a Lua no céu noturno, você pode se confortar com o pensamento de que ela não vai a lugar algum em breve.

(Fonte)


Até que, um dia, a arte imita a vida a vida imita a arte… 😁

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

Plugin Kapsule Corp

hit counter code