web analytics

Como anunciar a descoberta de vida extraterrestre (e ser levado a sério)

COMPARTILHE COM A GALÁXIA:
Tempo de leitura: 2 min.

Por Dirk Schulze-Makuch

Em um novo artigo publicado na Nature (reportado aqui no OH), o cientista-chefe da NASA, James Green, e os co-autores pedem uma estrutura para os cientistas usarem para relatar evidências de vida extraterrestre. Eles sugerem que um alto nível de confiança em tal afirmação requer que haja primeiro um diálogo em nível de comunidade entre os cientistas. Caso contrário, dizem eles, existe o perigo, dado o assunto complexo e diverso, de que as descobertas sejam mal interpretadas e sensacionalizadas.

Como anunciar a descoberta de vida extraterrestre (e ser levado a sério)

Os autores propõem uma escala de detecção de confiança de vida (CoLD), que consiste em sete pontos de referência, para quantificar quanta confiança o público em geral deve ter de que a vida extraterrestre foi de fato encontrada. Para atingir o Nível 4, por exemplo, todas as fontes não biológicas conhecidas teriam que se mostrar implausíveis no ambiente onde o sinal foi detectado.

Green compara a proposta CoLD à escala Torino usada para avaliar o perigo de um impacto de asteroide ou cometário. Para essa escala, as estatísticas sobre a probabilidade de impacto são combinadas com os efeitos esperados desse impacto para chegar a um único valor de ameaça.

Embora eu ache que a ideia por trás da estrutura CoLD é certamente conceitualmente útil, não está claro o quão prática a abordagem realmente é. Apenas dois parâmetros entram no cálculo da escala de Torino, enquanto a detecção de vida é muito mais complexa, com muitos mais parâmetros entrando na equação.

Os autores enfatizam que sua proposta é “oferecida para demonstrar a intenção, prova de conceito e utilidade, e não uma receita”. Mas é um segredo aberto que muitos dentro da NASA estavam descontentes com a forma como a alegada detecção de possíveis sinais de vida na atmosfera de Vênus foi relatada no ano passado. Muitos cientistas e repórteres ficaram entusiasmados com a notícia, inclusive eu, e alguns podem ter se empolgado. Mas isso é realmente tão ruim? Queremos sufocar essa emoção?

Em minha opinião, os cientistas que relataram a detecção de fosfina formularam suas conclusões com muito cuidado. Eles verificaram minuciosamente as fontes não biológicas de fosfina e não encontraram nenhuma, mesmo em estudos de acompanhamento. Assim, eles concluíram que a explicação biológica deve ser considerada como uma opção possível.

Naturalmente, outros cientistas discordam, mas esse é o processo científico. E, eventualmente, se formos pacientes por tempo suficiente, saberemos se a alegação pode ser verificada ou se deve ser refutada. Um resultado positivo do debate sobre a fosfina é que ela despertou um novo interesse em Vênus: três novas missões foram aprovadas para visitar o planeta, duas da NASA e uma da Agência Espacial Européia.

O resultado será que obteremos novos insights valiosos sobre o planeta – se ele já foi habitável e se a vida de qualquer tipo poderia se adaptar às condições adversas nas nuvens venusianas sulfurosas.

Em alguns aspectos, o debate sobre a fosfina é semelhante à controvérsia em torno de uma reclamação de fósseis de um meteorito marciano em 1996. Embora esse relatório não tenha resistido a um exame minucioso, o artigo original de David McKay foi fundamental para a criação do Instituto de Astrobiologia da NASA, provavelmente o passo mais importante para estabelecer esse jovem campo da ciência e dar-lhe credibilidade.

Embora eu ache que Green e seus colegas apresentem muitos pontos positivos, estou preocupado que sua proposta possa levar – involuntariamente – a censurar cientistas que possam apresentar evidências ambíguas, mas ainda assim empolgantes de vida extraterrestre.

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Paulo Sanchez ||| Edward Vaz Jr. ||| Silas Raposo ||| Franklin Viana ||| Karin Gottert ||| Leopoldo Della Rocca

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta, portanto aja com responsabilidade.
  • O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com éticasempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

COMPARTILHE COM A GALÁXIA:
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!

hit counter code