web analytics
Tempo de leitura: 3 min.

Sinal vindo de Proxima Centauri “provavelmente” não era de ETs

Tempo de leitura: 3 min.

Um estranho sinal de rádio que se pensava ser um possível sinal de inteligência alienígena em um sistema estelar próximo foi provavelmente gerado por uma peça quebrada de tecnologia humana, de acordo com uma nova pesquisa.

Sinal vindo de Proxima Centauri "provavelmente" não era de ETs
Radiotelescópio Parkes Murriyang, na Austrália, captou o estranho sinal em abril de 2019. (Crédito da imagem: CSIRO / A. Cherney)

Em 29 de abril de 2019, os astrônomos detectaram um sinal irradiado em direção à Terra, ao que parecia, de Proxima Centauri – o sistema estelar mais próximo do nosso Sol (a cerca de 4,2 anos-luz de distância) e lar de pelo menos um planeta potencialmente habitável. Como o sinal caiu em uma faixa estreita de ondas de rádio de 982 MHz que raramente são feitas por aeronaves humanas ou satélites, os pesquisadores interpretaram isso como um possível sinal de tecnologia alienígena.

No entanto, o sinal – que durou cerca de cinco horas – nunca reapareceu durante as varreduras subsequentes de Proxima Centauri. A razão, de acordo com dois novos estudos publicados em 25 de outubro na revista Nature Astronomy, é provavelmente porque o sinal não estava vindo de Proxima Centauri.

Em termos de Halloween: a chamada vinha de dentro do sistema solar.

Sofia Sheikh, astrônoma da Universidade da Califórnia, Berkeley, e coautora de ambos os artigos, disse ao Nature.com:

“É interferência de rádio feita pelo homem de alguma tecnologia, provavelmente na superfície da Terra.”

No primeiro dos dois novos estudos, Sheikh e seus colegas descrevem o sinal – apelidado de BLC1 – em detalhes. Os astrônomos captaram cinco horas de ondas de rádio com o radiotelescópio Parkes Murriyang no sudeste da Austrália durante um levantamento de 26 horas de Proxima Centauri. A pesquisa fez parte de um programa contínuo de caça a alienígenas de US $ 100 milhões chamado Breakthrough Listen, que usa telescópios ao redor do mundo para ouvir possíveis transmissões extraterrestres.

O telescópio registrou mais de 4 milhões de sinais de rádio da vizinhança de Proxima Centauri durante a janela de observação, mas apenas o BLC1 pareceu incomum aos astrônomos, tanto por sua longa duração quanto por seu comprimento de onda peculiar. A equipe rapidamente descartou a interferência de satélites ou outras aeronaves humanas.

No entanto, depois que o sinal não reapareceu em observações subsequentes da estrela os pesquisadores examinaram mais de perto seus dados iniciais. Desta vez, eles descobriram que seu programa de classificação automática havia passado por cima de vários sinais que pareciam muito semelhantes ao BLC1, mas emitidos em frequências diferentes.

No segundo dos dois novos artigos da Nature, os pesquisadores concluíram que o BLC1 e os sinais “semelhantes” eram componentes da mesma fonte de rádio; e essa fonte de rádio era provavelmente algo na superfície da Terra, em algum lugar a algumas centenas de quilômetros do telescópio Parkes Murriyang. O fato do sinal ter aparecido apenas durante as cinco horas de observação da Proxima Centauri é provavelmente apenas uma coincidência, disse a equipe.

Como o sinal nunca reapareceu, é possível que tenha vindo de um equipamento eletrônico com defeito que foi desligado ou estava sendo consertado, disse Sheikh à Nature. A faixa de frequências dentro do sinal também era “consistente com as frequências de oscilador de relógio comuns usadas na eletrônica digital”, escreveram os pesquisadores – sugerindo que um telefone próximo ou computador em pane pode ter produzido o sinal “estranho”. A equipe está planejando estudos subsequentes para descobrir exatamente qual poderia ter sido a fonte.

Esta não é a primeira vez que uma peça banal de tecnologia humana foi pega disfarçada de hardware alienígena: um famoso conjunto de sinais “alienígenas” detectados entre 2011 e 2014 eram cientistas cozinhando seus almoços no micro-ondas. No entanto, BLC1 foi o primeiro sinal candidato detectado através do programa Breakthrough Listen, e a análise de quase um ano que se seguiu forneceu aos pesquisadores uma experiência valiosa na decodificação de emissões “alienígenas”.

Jason Wright, um astrônomo da Universidade Estadual da Pensilvânia que não esteve envolvido nos estudos, disse à Nature:

“É realmente valioso para nós ter esses ensaios. Precisamos desses sinais candidatos para que possamos aprender como vamos lidar com eles – como provar que são extraterrestres ou de fabricação humana.”

(Fonte)

Colaboração: Lênio


Para mim é fonte de grande divertimento quando vejo cientistas usarem palavras como “provavelmente”. Mas, de qualquer maneira, eles podem estar certos, embora seja interessante o fato da antena parabólica estar apontando para Proxima Centauri e captar um sinal que veio da Terra.

Seguimos na procura…

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…

USE O CUPOM OVH10 E GANHE 10% DE DESCONTO!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.

Plugin Kapsule Corp