Por que os astrônomos estão interessados ​​neste sinal misterioso?

Compartilhe esta informação com a galáxia!
Tempo de leitura: 3 min.
Por que os astrônomos estão interessados ​​neste sinal misterioso?
Radiotelescópio de 64 metros no Observatório Parkes, na Austrália, que detectou sinais potenciais de Proxima Centauri no ano passado. Crédito: Lisa Maree Williams Getty Images

Por Don Lincoln, cientista sênior do Fermi National Accelerator Laboratory

No filme ‘Contato‘ de 1997, uma cientista, interpretado pela atriz Jodie Foster, detecta um sinal de rádio – a primeira comunicação de uma civilização extraterrestre. Essa história, escrita por Carl Sagan e sua esposa Ann Druyan, é ficção, claro. Mas a busca por tal sinal não é uma história tão maluca. Cientistas reais olham para o céu, usando radiotelescópios poderosos, na esperança de ouvir até mesmo um leve sussurro de um sinal de rádio de um de nossos vizinhos celestiais.

E, de fato, uma notícia recente de uma transmissão originada de Proxima Centauri, a estrela mais próxima da nossa, foi relatada pelo jornal britânico The Guardian em dezembro. A fonte da história não é um artigo científico, mas parece ter vazado de uma fonte anônima. A reivindicação de um sinal interceptado, se for realmente um sinal de inteligência extraterrestre, seria uma das descobertas mais importantes de todos os tempos. Mas este sinal relatado quase certamente não é isso.

Em abril e maio de 2019, o radiotelescópio Parkes de 64 metros de largura, localizado na Austrália, estava gravando transmissões de rádio da direção da estrela próxima Proxima Centauri. Ao longo das horas, o telescópio registrou dados da estrela por intervalos de 30 minutos, antes de se desviar para olhar para uma direção diferente. Este procedimento, chamado “nodding“, é usado para confirmar que qualquer sinal observado está realmente vindo de uma direção particular, ao invés de apenas ruído de rádio aleatório. Durante cinco desses intervalos de meia hora, o sinal foi observado enquanto a antena estava apontando para Proxima Centauri, e não foi detectado quando foi apontada em outra direção.

Este sinal não foi percebido imediatamente; foi mais de um ano depois que os dados foram registrados que Shane Smith, um estagiário do Breakthrough Listen, um projeto financiado pelo bilionário Yuri Milner que busca encontrar sinais de vida extraterrestre, o encontrou enterrado nas gravações do telescópio. Isso foi no final de outubro de 2020.

Então, o que exatamente foi visto? Era um sinal de rádio em uma única frequência, especificamente 980,002 MHz. O sinal mudou ligeiramente com o tempo, que é o que você esperaria se fosse emitido por um planeta ou lua orbitando uma estrela. Observou-se que ela se originou em um pequeno pedaço do céu, com cerca de metade do diâmetro da lua cheia, centrado na Proxima Centauri.

Em primeiro lugar, é importante observar que os astrônomos acham altamente improvável que o sinal seja causado por alienígenas tentando se comunicar conosco. Mesmo os pesquisadores envolvidos no Breakthrough Listen não fazem essa afirmação.
Também é importante lembrar que essa observação ainda não foi publicada em periódico referenciado, portanto, não passou por rigorosa revisão científica. Em vez disso, o burburinho na internet surgiu de um boato sobre o sinal que vazou para o The Guardian, que o publicou em 18 de dezembro.

Ainda assim, é interessante fazer o experimento de pensamento sobre se o sinal era realmente uma comunicação de uma civilização orbitando em torno de uma estrela distante.

Proxima Centauri é nossa vizinha astronômica, a apenas 4,2 anos-luz de distância. É uma estrela anã vermelha, tão fraca que não é visível ao olho humano. Proxima Centauri é conhecida por ter pelo menos dois planetas. Um tem cerca de sete vezes a massa da Terra, enquanto o outro tem apenas cerca de 20% mais massa do que a Terra. O planeta menor orbita muito perto da estrela, circulando-a em apenas 11 dias.

Proxima Centauri é escura em comparação com o Sol, e este planeta menor está localizado à distância certa de sua estrela para possivelmente ter água líquida. Fica na chamada “zona Cachinhos Dourados” – nem muito quente, nem muito fria, mas na medida certa. Isso torna aquele planeta elpolgantes para os astrônomos estudarem.

Um sinal de rádio de um mundo possivelmente habitável pode ser a primeira prova de que não estamos sozinhos no universo. Mas não devemos nos precipitar. Por um lado, o planeta menor orbitando Proxima Centauri está perto o suficiente para ser afetado por explosões repentinas de energia chamadas de erupções da estrela-mãe. Essas chamas provavelmente banhariam o planeta com radiação suficiente para matar qualquer forma de vida familiar e também removeriam qualquer atmosfera possível. O planeta também seria “travado em sua órbita”, com uma face sempre voltada para a estrela, da mesma forma que vemos apenas uma face da Lua. Acontece que é muito improvável que este planeta seja um lugar agradável.

Além disso, é simplesmente muito mais provável que o sinal de rádio seja de origem terrestre. Vivemos em um mundo de sinais de rádio, desde transmissões em AM e FM de sucessos musicais atuais até telefones celulares e emissões errôneas de fornos de microondas. E, com sua frequência de 980,002 MHz, é muito curioso que a frequência do sinal seja tão próxima de um inteiro. Se este for um sinal de vida alienígena, isso sugeriria que ele conta o tempo em segundos da maneira que fazemos. Além disso, o sinal é uma única frequência. As transmissões de rádio precisam variar em intensidade ou frequência para transmitir informações, e este não, então, se forem alienígenas tentando se comunicar, eles claramente não estão tentando nos dizer muito.

Então, infelizmente, é provável que esse sinal potencialmente empolgante tenha uma causa comum. Mas isso não vem ao caso. O importante é que, gerado ou não por alienígenas, a humanidade detectou o sinal. Estamos olhando para o cosmos, procurando ativamente para ver se temos vizinhos cósmicos. E isso é bom. É algo que deveríamos estar fazendo.

Um dia, aquela cena representada no filme “Contato” será real. Algum pesquisador será surpreendido por um sinal fraco e áspero do céu – um sinal que mudará tudo. Mas só se estivermos ouvindo. Quando o ET faz essa ligação, alguém deveria estar operando os telefones.

(Fonte)


Enquanto os cientistas procuram por sinais vindos do cosmos, dizendo que todos os sinais anômalos encontrados “provavelmente são de origem terrestre”, os OVNIs viajam pelos nossos céus dando “dribles” em nossas aeronaves miliares mais avançadas.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe esta informação com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site.

Clique aqui para apoiar através do site Apoia.se, ou use o botão abaixo:


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:

(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.