web analytics
Tempo de leitura: 4 min.

O que fazer com o relatório da comunidade de inteligência sobre OVNIs?

Tempo de leitura: 4 min.

O blockbuster desta temporada foi um relatório governamental requerido pelo Congresso ao Escritório do Diretor de Inteligência Nacional intitulado Avaliação Preliminar: Fenômenos Aéreos Não Identificados.

O que fazer com o relatório da comunidade de inteligência sobre OVNIs?

O relatório tinha algo para os que acreditam em OVNIs e os que não acreditam – algo mínimo, mas algo assim mesmo.

O governo dos EUA passou décadas zombando de relatos de OVNIs, muitas vezes descartando-os como farsas, paródias ou ilusões de ótica.

O Pentágono até rebatizou OVNIs como UAPs, (sigla em inglês para “Fenômenos Aéreos Não Identificados”), para indicar a incerteza sobre se o que as pessoas estavam vendo eram realmente “objetos” que estavam “voando” ou simplesmente algo que parecia um objeto voador.

O relatório de nove páginas desclassificado para o Congresso examinou 144 relatórios documentados desde 2004, principalmente de pilotos militares dos EUA, e concluiu que pelo menos 80 dos avistamentos, incluindo três gravados em vídeos de cabine por pilotos da Marinha “provavelmente representam objetos físicos”, observando que eles foram “registrados em vários sensores”, incluindo radar, infravermelho, eletro-óptico, buscadores de armas e observação visual.

E em 18 casos, os objetos também pareceram “exibir características de voo incomuns” com a capacidade de “manobrar abruptamente ou mover-se a uma velocidade considerável, sem meios de propulsão discerníveis”.

Em outras palavras, eles são reais, mas reais o quê?

Além dessa descoberta singular, embora significativa, o relatório não chegou a conclusões definitivas e incluiu inúmeras ressalvas que minam a certeza de seus julgamentos.

Por exemplo, observou que os sensores de mira em aeronaves de caça “geralmente não são adequados para identificar UAPs” e que a aparência de objetos se movendo de maneiras que desafiam a tecnologia conhecida “pode ​​ser o resultado de erros de sensor, falsificação ou percepção equivocada do observador”.

E embora a revisão não tenha encontrado evidências de que objetos voadores sejam atribuíveis a programas secretos dos EUA ou de seus adversários, ela não descartou que a Rússia ou a China possam estar trabalhando em alguma “tecnologia inovadora ou disruptiva”.

Na verdade, o relatório não descartou nenhuma explicação plausível, incluindo pássaros, balões, drones recreativos, sacolas plásticas ou fenômenos atmosféricos naturais, como cristais de gelo, umidade e flutuações térmicas.

E resolveu apenas um único caso, rastreando o avistamento de um balão esvaziando.

O relatório também não menciona a crença mais popular e amplamente difundida entre os entusiastas de OVNIs de que alguns OVNIs possam ser espaçonaves alienígenas.

O relatório concluiu:

“Se e quando incidentes UAP individuais forem resolvidos, eles cairão em uma das cinco categorias explicativas potenciais: desordem aerotransportada, fenômenos atmosféricos naturais, USG ou programas de desenvolvimento da indústria, sistemas adversários estrangeiros e um ‘outro’.”

É aquelacategoria ‘outro’ que intrigou os ovniólogos.

Pois, embora não haja nenhuma evidência de que os objetos aéreos inexplicados sejam extraterrestres, na ausência de evidências que refutem, pode-se argumentar, por mais improvável que seja, tudo é possível.

Ou, como disse Sherlock Holmes de Sir Arthur Conan Doyle, “Uma vez que você elimina o impossível, tudo o que resta, não importa o quão improvável seja, deve ser a verdade.”

A verdade pode estar lá fora, mas a verdade é que ninguém sabe o que é.

Enquanto isso, o relatório de inteligência está ajudando a mudar a cultura do ridículo para com as teorias “lá fora”, com membros seniores das comunidades científica, política, militar e de inteligência começando a levar o assunto mais a sério.

Luis Elizondo, ex-diretor do outrora secreto Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais do Pentágono, disse em uma discussão online recente:

“Não sabemos o que são essas coisas. Não temos evidências de que sejam do espaço sideral, mas, ao mesmo tempo, não temos evidências que não sejam.

Estamos bastante convencidos de que estamos lidando com uma tecnologia que é multigeracional, várias gerações à frente do que consideramos tecnologia de próxima geração … algo que poderia estar em qualquer lugar entre 50 a 1.000 anos à nossa frente.”

É esta área de exploração que atraiu o interesse da Força-Tarefa de Fenômenos Aéreos Não Identificados do Pentágono, que disse que pretende focar análises futuras no pequeno número de casos em que os OVNIs “pareciam exibir características de voo incomuns”.

Quanto ao que os objetos em forma de Tic Tac podem ser, Elizondo disse que ele tem uma mente bastante aberta.

Ele disse, expandindo as teorias sobre universos alternativos:

“Há muitas opções por aí. Isso pode ser algo extra-hiperdimensional. Agora, não quero dizer extradimensional em um sentido woo-woo (maluco). Quero dizer extradimensional no sentido da física quântica.

Se já sabemos que não podemos perceber ou interagir com 99% do universo, então pode haver outras opções aqui. Isso pode não ser necessariamente algo do espaço sideral. Na verdade, isso poderia ser algo tão natural em nosso próprio planeta quanto nós; estamos apenas agora em um ponto em que estamos começando a ser tecnologicamente capazes de interagir e coletar dados.”

Embora seja verdade que a ausência de evidência não é evidência de ausência, também não é evidência de presença.

Joel Achenbach, escritor de ciências do Washington Post e autor do livro de 1999, “Captured by Aliens“, disse:.

“Se tudo é possível, então nada é contestável. E se não for contestável, é indiscutível que está nos limites externos com que a ciência pode lidar.”

Achenbach escreveu em um artigo recente no Washington Post:

“A explicação alienígena para os OVNIs requer uma enorme infraestrutura de presunções, a não menor das quais é que os alienígenas, qualquer que seja sua motivação, encontraram uma maneira de chegar aqui.

A estrela mais próxima está a cerca de 25 trilhões de milhas de distância e, embora isso soe como uma hipérbole, é, na verdade, o número correto. Então, para fazer viagens espaciais, você realmente precisa do moror de dobra espacial. E não existe unidade de dobra.”

Greg Eghigian, professor de história da Universidade Estadual da Pensilvânia nos EUA, que está escrevendo um livro sobre a história de avistamentos de OVNIs e alegações de contato com alienígenas, disse em um evento online patrocinado pelo Washington Post:

“Ainda estamos vivendo em uma espécie de atmosfera de ambiguidade. “Essa também é a natureza desse fenômeno, certo?

Seria um ‘isso’? Seria um ‘eles’? Seria alguma ‘coisa’? Sempre esteve e, eu acho que sempre será, envolto em profundas ideias e noções de mistério.”

Ainda assim, qualquer alegação de que os OVNIs são visitantes interestelares de toda a galáxia terá que cumprir o que é conhecido como ‘padrão Sagan’, batizado em homenagem ao falecido astrônomo Carl Sagan, que disse a famosa frase: “Alegações extraordinárias exigem evidências extraordinárias.”

(Fonte)

Colaboração: Marcelino


Mas, como disse recentemente o famoso astrônomo da Harvard, Avi Loeb:

“Conservadorismo [científico] extraordinário leva à ignorância extraordinária.”

Assim, ao invés de ficarem duvidando por não haver evidências extraordinárias, os cientistas deveriam tirar seus traseiros de suas confortáveis posições e irem atrás de tais evidências, nem que seja para provar o contrário. Escutou bem, Neil DeGrasse Tyson?

Quanto a resposta ao título do artigo acima, eu sugiro: leia-o quando estiver no vaso sanitário, e depois use-o adequadamente.🤣

– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol