web analytics
Tempo de leitura: 5 min.

A União Soviética travou uma guerra com OVNIs e parou repentinamente

Tempo de leitura: 5 min.

Durante a Guerra Fria, as fronteiras aéreas da União Soviética (URSS) eram protegidas como a menina dos olhos. Cada objeto, que os especialistas da defesa aérea soviética não puderam ou acharam difícil identificar, era considerado uma aeronave inimiga.

A União Soviética travou uma guerra com OVNIs e parou repentinamente
Imagem somente ilustrativa (não confirmada).

Naqueles anos, a CIA contribuiu muito para espalhar boatos sobre alienígenas: os americanos esperavam que sob esse molho fosse possível lançar sondas e outras aeronaves sobre o território da Terra dos Soviéticos. Mas eles calcularam mal. As defesas aéreas soviéticas derrubaram tudo o que encontraram.

E ainda, uma série de conflitos locais ocorreram na URSS, que os especialistas agora identificam como colisões com naves alienígenas.

Primeiros encontros

Pela primeira vez, a segurança de estado da URSS registrou um encontro com um objeto voador não identificado em 16 de junho de 1948, durante voos de teste de novos caças soviéticos sobre o Lago Baskunchak perto de Astrakhan. A uma altitude de dez mil metros, o piloto de testes Apraksin viu um enorme objeto em forma de charuto próximo ao avião.

Tendo reportado ao solo sobre o inesperado “satélite”, o piloto foi ordenado a interceptar a aeronave e, se isto falhasse, a destruí-la. Mas Apraksin não conseguiu completar a tarefa.

Assim que seu MiG se aproximou do “charuto”, ele disparou um fino feixe de luz na direção do avião, cegando o piloto e incapacitando os instrumentos de bordo. Apraksin teve que esquecer o ataque e salvar a si mesmo e ao avião. Graças à experiência, o piloto conseguiu chegar ao campo de aviação e pousar com segurança. Mas nem sempre houve tanta sorte.

O segundo encontro com OVNIs perto de Apraksin ocorreu um ano depois, a 400 quilômetros de Baskunchak, perto de Volsk, um centro regional. O piloto tentou novamente se aproximar do objeto luminoso – e a tentativa novamente falhou.

Desta vez, o objeto não apenas desativou os instrumentos do MiG – o vidro da cabine ficou turvo devido a um efeito desconhecido no avião a jato, e a própria cabine foi despressurizada.

O piloto foi forçado a interromper a perseguição e fazer um pouso de emergência no delta do Volga. Talvez devido a um ferimento sofrido durante a aterrissagem, ou devido ao impacto do OVNI após este incidente, o piloto teve que passar mais de um mês no hospital.

Sabe-se que foram criadas comissões estaduais para investigar os dois casos, mas não chegaram a conclusões inequívocas. Obviamente, após investigações, os escalões mais altos da Força Aérea da URSS decidiram abater tudo o que não pudesse ser identificado.

Na década seguinte, ao tentarem interceptar ou abater objetos não identificados, várias aeronaves foram danificadas – os pilotos foram forçados a pousar a aeronave danificada onde quer que estivessem.

Vários caças caíram e os pilotos conseguiram ejetar. Corria o boato de que alguns pilotos soviéticos até pararam de reportar ao solo sobre “discos voadores”. Eles atacaram OVNIs somente se os objetos fossem vistos pelos radares baseados em terra e uma ordem tivesse sido recebida do solo para destruir o OVNI.

Outra tentativa de abater uma nave não identificado foi feita em 24 de julho de 1957 nas Ilhas Curilas. Desta vez, o OVNI pairou diretamente sobre as posições da bateria de defesa aérea soviética. O comando da bateria deu a ordem de destruir o objeto, confundindo-o com uma aeronave americana ou japonesa. No entanto, os tiros não trouxeram resultados. O OVNI foi calmamente em direção ao oceano.

Guerra com OVNI

Em 1965, um OVNI respondeu pela primeira vez a um ataque do solo. Isso aconteceu durante a Guerra do Vietnã, onde especialistas militares soviéticos treinaram o exército norte-vietnamita em disparos de sistemas de mísseis antiaéreos S-75.

Baterias C-75 protegeram o céu sobre a capital vietnamita, Hanói, e estavam localizadas principalmente a 35-40 quilômetros da cidade.

Um dos especialistas militares soviéticos disse que uma vez um enorme disco escuro com um diâmetro de cerca de 300 metros apareceu sobre uma bateria de defesa aérea vietnamita recentemente redistribuída.

Ele estava pairando a uma altura de apenas um quilômetro e meio e, é claro, o comandante da bateria mandou abrir fogo contra ele. Pelo menos dez mísseis superfície-ar foram disparados contra o OVNI, mas eles não trouxeram nenhum dano ao objeto e explodiram ao se aproximarem do objeto. Em resposta à agressão, o OVNI emitiu um fino feixe de luz que atingiu a bateria com precisão e inutilizou todos os S-75.

A propósito, não apenas as posições norte-vietnamitas eram de interesse para objetos voadores. Em junho de 1966, um OVNI foi avistado sobre uma base militar americana em Nha Trang.

O objeto pairava sobre a base a uma altitude de 150 metros. No terreno, neste momento, as luzes se apagaram, os geradores falharam e todas as comunicações foram cortadas. Os soldados estavam em pânico, os oficiais esperavam o pior, mas depois de alguns minutos o “disco” rapidamente se levantou e desapareceu.

Tragédia na Ásia Central

Situação semelhante à que aconteceu em Hanói aconteceu em 1976 em um dos locais de teste nos Urais – lá, durante os testes dos mais novos mísseis terra-ar, uma enorme bola com um raio de meio quilômetro pairou sobre o teste local.

O comando decidiu abatê-lo com mísseis, mas não deu certo – eles, como no Vietnã, explodiram antes de atingir o alvo. Poucos minutos depois, o OVNI subiu com uma vela e desapareceu das telas do radar.

Mas a verdadeira tragédia aconteceu no verão de 1979 na Ásia Central, no espaço aéreo do distrito militar do Turquestão. Lá, do campo de aviação de um dos regimentos de caças, um “charuto” com cerca de 200 metros de comprimento foi visto voando acima do solo.

Para interceptá-lo, dois caças imediatamente decolaram do solo. Como o “charuto” estava saindo em direção à fronteira com o Afeganistão, foi dada ordem de destruição. O piloto líder conseguiu disparar dois mísseis contra o alvo e … desapareceu no ar. Da mesma forma, antes de atingir o objeto, os mísseis também desapareceram.

Depois que o objeto subiu bruscamente, o outro jato retornou ao campo de aviação. As buscas na zona montanhosa, organizadas pelas forças da unidade militar local, não deram em nada – nem os destroços da aeronave, nem o corpo do piloto foram encontrados.

Momento crucial – Roswell OVNI Soviético

O ponto de virada nesta “Guerra nas Estrelas” foi 1980. Em 15 de abril, às 00h15, hora local, a estação de radar do 4º Exército de Defesa Aérea, cem quilômetros ao norte de Sverdlovsk (agora Yekaterinburg), encontrou quatro alvos.

Eles mudavam continuamente a altitude e a direção do voo. O comando decidiu que poderiam ser balões flutuantes automáticos americanos com equipamento de interferência. Às 13h30, dois caças MiG-25 e um par de MiG-23 foram levantados do campo de aviação de Perm, Bolshoye Savino, e do campo de aviação perto de Nizhny Tagil para interceptação.

Os pilotos em busca de objetos consumiram quase todo o suprimento de combustível, mas os alvos nunca foram interceptados. Mais tarde, especialistas em defesa aérea garantiram: era claramente visível no radar que um dos objetos parecia estar com defeito – ele desapareceu, depois reapareceu nas telas.

Como a interceptação falhou, foi dada ordem para destruir os infratores da fronteira estadual. O piloto de um dos MiG-25 disparou dois mísseis contra o alvo mais próximo e o abateu.

Imediatamente depois disso, os OVNIs restantes subiram e desapareceram do radar. No entanto, o próprio piloto mais tarde relatou que não teve nada a ver com o acerto do alvo, pois supostamente um momento antes do míssil ser lançado, o objeto em forma de disco foi atingido por outra aeronave em forma de charuto.

O disco caído foi descoberto às 5h05 – ele caiu na taiga 20 quilômetros ao sul de Verkhoturye. O incidente foi relatado a Moscou ao posto de comando central da Defesa Aérea da URSS e ao presidente da KGB da URSS, Yuri Andropov, e pela manhã um avião com especialistas voou para os Urais.

Os moscovitas, acompanhados pelos militares, foram levados de helicóptero ao local da queda do OVNI. Do ar, era claro que não era um balão que havia caído na taiga – um grande objeto em forma de disco era visível na encosta do morro.

Como a estrada mais próxima do local do acidente ficava a apenas alguns quilômetros de distância, os militares que chegaram em carros imediatamente estabeleceram um cordão de isolamento. Segundo as lembranças do coronel Vladimir Vitkov, todos os soldados vestiam roupas de proteção química, cada pelotão possuía um dosímetro.

Ao se aproximarem do disco, os soldados se sentiram mal, alguém vomitou direto dentro da máscara de gás. Mesmo assim, a equipe conseguiu encontrar uma escotilha na parte inferior do disco, mas não conseguiram ir muito para dentro – estavam ficando doentes. Para evacuar o objeto, os militares furaram o disco para que os cabos pudessem ser colocados nele.

Enquanto o trabalho continuava, Vitkov observou enquanto cientistas em trajes especiais de proteção entraram no dispositivo e retiraram os corpos de dois pilotos – eles foram colocados em contêineres de chumbo lacrados e levados para Nizhny Tagil, e de lá para Moscou.

O disco foi levado por um helicóptero de carga especial Mi-10K para um campo de aviação militar perto de Sverdlovsk, de lá para Ramenskoye, e depois para o hangar do Instituto de Física de Altas Energias.

Foi a partir deste incidente que foi expedida a ordem às unidades militares da Defesa Aérea e da Aeronáutica para não dispararem contra objetos voadores não identificados, sem se certificarem de que se tratam de veículos terrestres.

(Fonte)

Colaboração: seukikonetwork


Pelo que podemos ver na casuística, a União Soviética também era “assombrada” pelos OVNIs. Aliás, a Rússia ainda é, bem como o mundo todo. Isto não é exclusividade dos estadunidenses.

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é produtos-OVNI-Hoje-1.jpg
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Loja-Nerd.jpg

Leitores OVNI Hoje ganham 10% de desconto em todos os produtos da Loja Nerd, inclusive nos produtos OVNI Hoje. (Use o cupom OVH10)


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.

Plugin Kapsule Corp