web analytics
Tempo de leitura: 4 min.

Por que o estigma ainda paira sobre os OVNIs?

Tempo de leitura: 4 min.

Por Tom Rogan (Washington Examiner)

Mesmo depois que o governo dos EUA avaliou no mês passado que alguns objetos voadores não identificados são provavelmente “objetos físicos” de origem, intenção e capacidade desconhecidas, o tópico OVNI continua repleto de ceticismo e estigma.

Por que o estigma ainda paira sobre os OVNIs?
Crédito da ilustração: pixabay

Pelo menos, isto é, nas áreas militar, mídia e científica. Para um aviador militar, relatar um avistamento de OVNI ao comando superior é um convite à frustração vinda dos oficiais superiores. Talvez até de um grau doentio de provocações de colegas membros do esquadrão. Talvez até uma visita obrigatória ao cirurgião de voo.

É impressionante que Luis Elizondo e Chris Mellon, que já chefiaram os esforços de pesquisa do Pentágono relacionados a OVNIs, sejam os únicos oficiais da comunidade de inteligência que tiveram a coragem de dizer isso publicamente.

Também é impressionante, pelo menos para mim, que um jornalista fazer perguntas relacionadas a OVNIs a um oficial de gabinete na companhia de outros jornalistas é provocar risos constrangidos. E os cientistas céticos ainda encontram muito mais atenção da mídia do que aqueles que fazem perguntas menos convencionais.

Parte disso é compreensível, é claro. O tópico OVNI carrega muito mais perguntas do que respostas facilmente disponíveis. E o assunto sempre teve afinidade com indivíduos um tanto estranhos.

Por que perseguir algo que produza sobrancelhas levantadas em vez de conclusões que balançam a cabeça?

Ao contrário do que afirmam alguns entusiastas de OVNIs, a história também é uma aliada imperfeita para o estudo sério do assunto. É verdade que os avistamentos de OVNIs datam de milhares de anos. Por exemplo, Plutarco nos fala de um encontro entre os exércitos romano e pôntico na Turquia moderna no primeiro século a.C.

O historiador afirma que quando os dois exércitos se formaram para a batalha, “sem nenhuma mudança aparente no clima … o céu se partiu em pedaços, e um enorme corpo semelhante a uma chama foi visto caindo entre os dois exércitos. Em forma, estava mais parecido com uma jarra de vinho, e em cores, como prata derretida. Ambos os lados ficaram surpresos com a visão e se separaram.”

Surpreendente? Sim.

Prova de alienígenas ou seres extradimensionais? Não ainda.

Como muitos historiadores de sua educação e época, Plutarco turvou suas histórias com enfeites que proferiram uma mensagem filosófica. E embora a onda de avistamentos de OVNIs do final dos anos 1940-1950 seja certamente atraente, essa onda veio sem os dados que temos hoje.

Porque o que mudou nos últimos 20 anos é a evolução da tecnologia a um ponto em que ela pode fornecer um parceiro de paridade para as testemunhas oculares mais confiáveis. Ou seja, situações nas quais sistemas altamente avançados de satélite, sonar, radar, infravermelho e outros sistemas de coleta de espectro eletromagnético fornecem dados altamente precisos e confiáveis ​​sobre OVNIs. E devemos fazer isso ao lado de militares treinados para identificar objetos na água ou abaixo dela ou no ar e no espaço com o globo.

O que é estranho, então, é que muitos na mídia, comunidades científicas e militares permanecem reticentes em abordar este segmento verdadeiramente extraordinário de avistamentos de OVNIs. Aqueles que, após exaustiva coleta e análise de dados, não se enquadram na explicação convencional.

A ideologia às vezes é um problema. Por exemplo, a Força Aérea tem uma reputação dentro das Forças Armadas de ser mais reticente do que a Marinha em falar sobre OVNIs devido à tradição de oficiais superiores que acreditavam que os OVNIs tinham implicações teológicas negativas.

Devemos também reconhecer a necessidade daqueles na comunidade científica de acessar bolsas de pesquisa e credibilidade revisada por pares. Embora as coisas estejam mudando lentamente, os OVNIs nem sempre foram parceiros agradáveis ​​para tais ambições. Nem um domínio para oportunidades pesadas de subvenções.

O que dizer da mídia?

Eu já escrevi sobre porque a maioria dos jornalistas da mídia tradicional não quer cobrir OVNIs. Existem exceções notáveis ​​aqui. No entanto, eles são pontos isolados em um cenário de mídia massiva. O que quero dizer é que, com as fontes de alta credibilidade com as quais pude falar, tenho dificuldade em entender porque jornalistas mais experientes ainda riem desse assunto. Às vezes, literalmente. Afinal, pelo menos alguns desses repórteres devem ter fontes tão boas, senão melhores, que as minhas!

Não creio que a resposta seja, como alguns sugerem, que esses jornalistas estejam agindo com mais prudência do que eu. Eu documentei os charlatães que fraudulentamente se aproveitam daqueles que “querem acreditar”. Quando você tem funcionários ativos e ex-governantes que não se conhecem dizendo a mesma coisa e às vezes mostrando imagens, vale a pena relatar.

Claro, a linha superior costuma ser: “Simplesmente não sabemos o que é“. Mas se a linha principal também for: “Estamos altamente confiantes de que é tecnologia material não pertencente à China, Rússia ou Elon Musk”, certamente isso não deveria impedir a divulgação nesse sentido?

Há tanta relevância jornalística para o reconhecimento do desconhecido quanto para a identificação do conhecido. Sou o primeiro a reconhecer que algumas reivindicações de origem exigem verificação antes de serem relatadas. Eu mantenho esse padrão e evito relatar o que seriam algumas coisas muito interessantes que acredito serem provavelmente verdadeiras, mas ainda não posso confirmar. Também reconheço porque algumas fontes e métodos que o governo tem usado para coletar dados sobre OVNIs devem permanecer secretos por razões de segurança nacional.

No entanto, deveria haver mais reportagens sobre OVNIs por uma razão simples: fontes suficientes e confiáveis ​​agora testemunham coisas extraordinárias. Confiamos nessas fontes quando nos falam sobre a Coreia do Norte, Irã, China e Rússia. Então, por que não relatar quando várias fontes falam que uma variação de “OVNI X, Y, Z é um verdadeiro e desconhecido indicativo de ser uma máquina inteligente e controlada de capacidade não convencional? Ah, e bem como seus amigos OVNIs, ele gosta de nossas forças nucleares”.

O relatório OVNI do governo fornece pelo menos algumas das respostas. Ele observa:

“Narrativas de aviadores na comunidade operacional e analistas do exército e da Comunidade de Inteligência descrevem a depreciação associada à observação de UAPs (OVNIs), relatando-a ou tentando discuti-la com colegas.”

Independentemente disso, essa preocupação com o estigma é algo que a mídia e os militares devem fazer mais para superar. Como Tim McMillan (provavelmente o melhor jornalista no assunto OVNI) colocou para mim no ‘The Debrief‘, quando se trata tanto da mídia quanto dos militares, “qualquer estigma deve ser irrelevante porque a segurança nacional é o trabalho do Departamento de Defesa e a única maneira de resolver esse mistério é oferecendo oportunidades para investigá-lo“.

Quer seja a comunidade científica, os militares ou a mídia, a missão requer uma consideração mais agressiva desse assunto. E não apenas sempre que o Pentágono decide fazer uma declaração sobre OVNIs.

(Fonte)


Uma vez, quando eu tinha meus 11 anos, fui de férias com minha família para uma praia do estado do Paraná e, um dia durante este período, minha família e eu, bem como os guarda-vidas da praia, vimos um pinguim chegar próximo do quebra-ondas. Um dos guarda-vidas chegou até a nadar próximo do animal e confirmou que se tratava mesmo de um pinguim. Depois, o pequeno animal se distanciou da praia e o perdemos de vista.

Todos ficamos maravilhados em ver tal criatura, uma visão raríssima tão longe ao norte no hemisfério sul.

Ao voltarmos para casa, encontrei com meus amigos e a primeira coisa que fiz foi contá-los o que havíamos visto. Claro, para minha ingênua surpresa, todos debocharam de mim dizendo que era impossível, e por umas duas semanas, até que todos esquecessem do que relatei, fui chamado de “pinguim”.

Bem, acontece que hoje sabe-se muito bem que, embora em casos raros, pinguins podem ser carregados pelas correntes marítimas para o norte e chegarem até terras mais quentes, como foi o caso do nosso avistamento.

Mas o ponto que eu quero chegar, é que, bem como aquelas crianças ainda ignorantes que debocharam de mim quando relatei o que vi na praia, repórteres, cientistas e muitos outros adultos ainda agem de forma similar, e este tipo de atitude é causado pela ignorância. O terrível mal chamado ignorância faz até mesmo adultos agirem como crianças que se unem como uma matilha de lobos para humilhar aquele que se mostra diferente. E mesmo dentro desse próprio grupo há aqueles que entram na onda somente para não serem tratados da mesma forma.

Assim é o estigma que paira sobre os OVNIs. Um dia todos que riram do assunto e humilharam aqueles que tiveram a coragem de relatar seus avistamentos ficarão com “cara de tacho”, pois os tolos são eles.

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é produtos-OVNI-Hoje-1.jpg
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Loja-Nerd.jpg

Leitores OVNI Hoje ganham 10% de desconto em todos os produtos da Loja Nerd, inclusive nos produtos OVNI Hoje. (Use o cupom OVH10)


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.

Plugin Kapsule Corp