web analytics

PhD chinês encontra várias evidências de vida em Marte

Tempo de leitura: 3 min.

Xinli Wei, um PhD do Instituto de Microbiologia da Academia Chinesa de Ciências · Laboratório Estadual de Micologia, publicou um trabalho científico este mês que pode provar que o planeta Marte possui vida, pelo menos em forma de fungo.

PhD chinês encontra várias evidências de vida em Marte
Sol 173. (Cratera Gale) Massas amorfas brancas de 3 a 5 mm de tamanho, presas à parte inferior da borda do abrigo de rocha. Dezenove dias depois, a massa amorfa desapareceu (ver foto ao final do artigo quando o fungo desapareceu).

Veja abaixo a tradução do Resumo do seu trabalho (formatado e ilustrado de forma mais amigável à leitura) que foi baseado em fotos sequencias de Marte, obtidas do espaço pela sonda Mars HIRISE:, bem como de outras fotos da superfície marciana:

PhD chinês encontra várias evidências de vida em Marte
Fotos orbitais da Mars HiRISE. (Acima, à esquerda) Dia 1. (Abaixo) Dia 34. Os espécimes lineares viajam para cima e sobre o terreno com aqueles no centro crescendo em direção um ao outro. O comprimento final dos espécimes lineares escuros é de 130 metros, com uma taxa de crescimento estimada de 5 a 10 metros por dia.

Fungo se desenvolve em ambientes com radiação intensa. Fotos sequenciais documentam que espécimes marcianos semelhantes a fungos emergem do solo e aumentam de tamanho, incluindo aqueles que se assemelham a puffballs (Basidiomycota).

Após a obliteração dos espécimes esféricos pelas rodas do veículo espacial, novos esféricos – alguns com hastes – apareceram no topo das antigas trilhas. As sequências documentam que milhares de ‘araneiformes’ árticos negros crescem até 300 metros na primavera e desaparecem no inverno; um padrão repetido a cada primavera e que pode representar colônias maciças de fungos pretos, mofo, líquenes, algas, metanógenos e espécies redutoras de enxofre.

PhD chinês encontra várias evidências de vida em Marte
De cinza no inverno (a) para o preto na primavera e no início do verão (b-d). Fotografado via satélite, em órbita (reproduzido de Ganti et al. 2003).

Espécimes semelhantes a fungos-bactérias negras também apareceram no topo dos veículos espaciais. Em uma série de fotografias durante três dias (Sols), espécimes amorfos brancos dentro de uma fenda mudaram de forma e localização e depois desapareceram. Gavinhas brancas protoplasmáticas semelhantes a micélios com apêndices semelhantes a corpos frutíferos formam redes sobre e acima da superfície; ou aumento na massa, conforme documentado por fotografias sequenciais.

Centenas de formações ‘semelhantes a cogumelos’ em forma de rosca, com covinhas de aproximadamente 1 mm de tamanho, são adjacentes ou anexadas a esses complexos semelhantes a micélios.

PhD chinês encontra várias evidências de vida em Marte
De cinza no (a) inverno para o preto durante a (b, c) primavera e minguando e desaparecendo no (d) outono / inverno. Fotografado via satélite, em órbita (reproduzido de Ganti et al. 2003).

Sequências adicionais documentam que as massas amorfas brancas sob os abrigos de rocha aumentam em massa, número ou desaparecem e que espécimes semelhantes a fungos brancos apareceram dentro de um compartimento aberto do veículo espacial.

A análise estatística comparativa de uma amostra de 9 espécimes esféricos que se acredita serem ‘puffballs‘ fúngicos fotografados no Sol 1145 e 12 espécimes que emergiram do solo no Sol 1148 confirmou que os nove cresceram significativamente mais próximos conforme seus diâmetros expandiram, e alguns mostraram evidências de movimento.

A análise de agrupamento e um teste ‘t’ de amostra emparelhada indicam um aumento de tamanho estatisticamente significativo na proporção de tamanho médio em todas as comparações entre e dentro dos grupos (P = 0,011).

Comparações estatísticas indicam que ‘araneiformes’ árticos aumentaram significativamente em comprimento em paralelo após um surto de crescimento inicial. Embora semelhanças na morfologia não sejam prova de vida, crescimento, movimento e mudanças na forma e localização constituem o comportamento e apoiam a hipótese de que existe vida em Marte.

– Xinli Wei, PhD


Lembra a foto do começo do artigo? Pois aqui está o mesmo local fotografado dias depois, sem a massa amórfica:

PhD chinês encontra várias evidências de vida em Marte
Sequência da foto de capa: Sol 192. (Cratera Gale) A massa amorfa branca desapareceu da parte inferior da borda do abrigo de rocha

No trabalho completo, que pode ser visto clicando neste link aqui, há inúmeras fotos ainda mais impressionantes, as quais praticamente provam sem sombra de dúvida a existência de vida em Marte, mesmo sendo microbiana.

Obviamente a NASA já sabe disso há muito tempo, afinal muitas das fotos foram obtidas pela própria agência. Mas o que ela dirá agora com a apresentação deste estudo?

Aguardem.

Colaboração: Marcelino, Gustavo Moraes

– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


Meus sinceros agradecimentos aos que doaram ao OH neste mês de maio:

  • Boris G. K.
  • Ricardo C. A.
  • Eduardo S. S.
  • Egidia L.
  • Joaquim F. P. C.
  • Helio S Jr.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol