web analytics
Tempo de leitura: 7 min.

Revelações do Proprietário e Membro da Família Original do Rancho Skinwalker

Tempo de leitura: 7 min.

Abaixo, o “outro lado da moeda” sobre as fantásticas alegações sobre o famoso Skinwalker Ranch. O artigo, que foi traduzido pelo tradutor Tunguska, e originalmente publicado no site theufochronicles.com , foi publicado por João Marcelo, editor do site https://canaljoaomarcelo.blogspot.com/ :

Revelações do Proprietário e Membro da Família Original do Rancho Skinwalker

Com todo o recente rebuliço sobre o Rancho Skinwalker que, em parte, inclui a nova série do History Channel, The Secret of The Skinwalker Ranch [O Segredo do Rancho Skinwalker], juntamente com uma investigação conduzida por Keith Basterfield, Jack Brewer e Erica Lukes, eu me senti compelido a destacar a sessão de perguntas e respostas entre o autor Frank B. Salisbury, Ph.D., e Garth Myers, que apareceu no livro The Utah UFO Display [Exibição de OVNIs em Utah] (Devin-Adair Publishing-1974). Garth Myers é irmão do falecido Kenneth John Myers, que com sua esposa Edith (Childs) comprou o rancho em 1933, e todos disseram que o ocuparam por 60 anos. Na época, que melhor autoridade havia para falar sobre a atividade paranormal, ou a falta dela, no chamado Rancho Skinwalker? 

Do livro The Utah UFO Display, de Frank B. Salisbury, páginas 218-222 (Springville, Utah: Cedar Fort, Inc., 2010). Usado com permissão: 

Por uma incrível coincidência, me vi em contato com Myers. Acontece que Myers morava a poucos quarteirões de mim e depois falei com ele ao telefone. Gravei minha primeira entrevista com ele em 3 de setembro de 2009. Em nossa primeira conversa por telefone, Myers esclareceu algumas coisas e me informou a localização do rancho. Após a entrevista, visitamos um ao outro enquanto nos conhecíamos. Aqui está um resumo da história do rancho revelada durante nossas entrevistas. 

Revelações do Proprietário e Membro da Família Original do Rancho Skinwalker

 O irmão e a cunhada de Garth, Kenneth John Myers e Edith Childs, haviam comprado o rancho por volta de 1933 (não nos anos 50). Garth, que tinha 88 anos na época da minha entrevista, era muito mais jovem do que seu irmão; ele havia trabalhado no rancho por três verões quando era adolescente. Kenneth e Edith começaram com cerca de 65 hectares e acumularam outras lotes de terra até que tinham formado o rancho de 194 hectares, vivendo em condições bastante precárias no início, mas melhorando as coisas ao longo dos anos. Eles tiveram um filho que morreu na infância antes de se mudarem para o rancho. Não havia outras crianças. Kenneth morreu em 1987 aos 86 anos, mas sua viúva continuou a viver no rancho por cinco anos, até que ela foi levada para um asilo. Por dois anos, o rancho ficou vago, mas sempre era alugado para outros fazendeiros para cultivar e tocar o gado, mesmo antes de Kenneth morrer. Então, quando Edith morreu em 3 de março de 1994, o rancho passou para Garth Myers e suas irmãs, Helen M. Baxter e LaPriel Poulson. Menos de três meses depois, Garth, como administrador da propriedade de Kenneth e Edith Myers, negociou a venda do rancho para a família das testemunhas [os Sherman]. Mas depois de quase dois anos, eles encontraram dificuldades, perdendo várias cabeças de gado, como registrado no livro Skinwalker. (Foi quando Junior Hicks visitou o rancho pela primeira vez, testemunhando algumas das mutilações de gado e outros fenômenos: Junior não tinha visitado o rancho quando pertencia aos Myers.) Na época, os rumores de OVNIs estavam circulando descontroladamente, especialmente depois que dois artigos sobre o rancho foram publicados no jornal Deseret News. Apareceu Bob Bigelow e o rancho foi vendido a ele.

E a importante afirmação de que a “maior concentração de alta estranheza sempre ocorreu no que se tornou o rancho [Skinwalker] de 194 hectares?” Garth Myers nega isso veementemente! Aqui estão as partes importantes da entrevista que gravei:

Garth: Posso dizer logo imediatamente que meu irmão morreu em abril de 1987. Minha cunhada morou sozinha lá até cerca de 1992. Ela morreu em março de 1994. E posso lhe dizer inequivocamente que, até 1992, nunca houve qualquer sinal disso [OVNI e atividade semelhante.] O rancho ficou vago por cerca de dois anos depois que ela [foi para uma casa de repouso]. Eu ia lá ocasionalmente só para verificar a casa. Então, vendemos para [a testemunha (Terry Sherman)] cerca de seis meses depois que ela morreu [na verdade, cerca de três meses]. Não sei o que aconteceu enquanto estava vago, mas acho que nada aconteceu. Nada, inequivocamente, absolutamente nada aconteceu enquanto ela e meu irmão viviam lá. Ela viveu lá sozinha de 1987 a 1992, cinco anos. E parte desse tempo ela teve um cachorro. Antes do meu irmão morrer, ele tinha um cachorro que ficou preso em uma armadilha e teve uma perna traseira parcialmente amputada. Ele viveu por cerca de três anos, e então ela ficou sozinha, sem um cachorro…

Frank: Acho que eles declaram no livro Hunt for Skinwalker [Caça ao Skinwalker] que coisas aconteciam desde a época dos índios, e daí por diante.

Garth: Veja bem, isso foi [a testemunha (Terry Sherman)]. Ele contou essa história, mas não é verdadeira!

Frank: É por isso que estou aqui para falar com você, porque você é alguém que sabe.

Garth: Fiquei sabendo que havia OVNIs, e ele estava morrendo de medo, então um homem de Las Vegas ligou e ia comprá-lo. Tudo o que sei é que, cerca de um mês ou seis semanas depois que ele comprou, Bigelow me ligou e perguntou por que não tínhamos contado a ninguém sobre os OVNIs. Eu disse a ele que eles não apareciam lá até que [a testemunha] chegou lá, e ele disse: “Apareciam OVNIs lá, mas os cachorros afugentavam as pessoas”. E eu disse que houve no máximo dois cachorros, e nos últimos cinco anos em que minha cunhada viveu lá, ela tinha um cachorro de três patas, e parte desse tempo sem o cachorro, e não havia OVNIs. E ele disse: “Oh, você não está me dizendo a verdade”. Eu disse: “Se você não acredita, acho que não precisamos mais conversar”, e foi só isso. Então, depois de seis meses, recebi outra ligação de alguém, e eles meio que contaram a mesma história. A última pessoa ligou uns cinco ou seis anos atrás… não sei quem. Ele disse que queria almoçar comigo. Eu disse: “Com uma condição: que você vai me mostrar o rancho”. Ele disse: “Não posso fazer isso”. Eu disse: “Certo, acho que não haver almoço”. Foi a última vez que ouvi sobre isso. Você provavelmente tem os artigos do jornal Deseret News.

Nesse momento, eu contei a ele sobre meu interesse científico em OVNIs, que eu era professor emérito na Universidade do Estado de Utah, e um pouco mais da minha história. Eu disse a ele que eu não “acredito” em OVNIs; eu investigo OVNIs. Eu disse a ele que estava trabalhando no livro The Utah UFO Display, originalmente publicado em 1974. Eu disse que poderia ter um capítulo sobre o rancho, então isso torna a entrevista muito valiosa para mim, porque eu posso dizer que há um outro lado que não é conhecido.

Garth respondeu: “Meu irmão tinha 194 hectares, se bem me lembro. Meu irmão comprou aquele rancho em 1933. Apenas uma casinha, um banheiro ao ar livre, e sem água, eletricidade, telefone. Eles tiveram que pegar água de Fort Duchesne. Eram praticamente eremitas. Eles criaram relações com apenas duas pessoas em Randlett, mas, fora isso, eles não tinham falavam com os vizinhos. Trabalhador, honesto, homem bom de trabalho. Eu trabalhei para ele por um tempo.

Garth Myers atuou como médico em neurologia pediátrica. Ele passou grande parte da carreira no LDS Primary Children’s Hospital, mas também trabalhou para a Secretaria Estadual de Saúde. Em suas conversas comigo, ficou claro que, como a maioria das pessoas instruídas com formação científica (e nenhum conhecimento real da extensão e evidências dos relatos de OVNIs), Garth simplesmente rejeita qualquer ideia de que pode haver alguma realidade para o fenômeno OVNI. Contei-lhe algumas histórias da Bacia de Uintah, mas ele disse: “Tudo bem, desde que você saiba que são apenas histórias! Sendo assim, com toda a honestidade, devemos considerar a possibilidade de Kenneth e Edith Myers estarem tendo visitas de OVNIs em seu rancho, mas sabendo que seu irmão era tão cético, eles decidiram não compartilhar essa informação com ele. Lembre-se, no entanto, que ele próprio esteve lá (na adolescência) por três verões e não viu nenhum OVNI. Sim, isso foi há muito tempo, mas a declaração no livro Skinwalker diz que a atividade de OVNIs remonta até mesmo à época dos nativos americanos.

Em uma conversa por telefone em 5 de setembro de 2009 (infelizmente, não gravada!), perguntei se era possível que seu irmão e cunhada não lhe contassem sobre a atividade de OVNIs que estavam presenciando. Ele negou isso veementemente. Ele disse que era muito próximo de seu irmão (apesar da diferença de idade), conhecendo cada detalhe de suas vidas. Depois que seu irmão morreu, ele manteve contato muito próximo com sua cunhada, fazendo muitas visitas e criando laços emocionais, enquanto ele se preocupava com ela vivendo lá sozinha. Ele tem total confiança de que seu irmão e cunhada teriam lhe contado sobre qualquer atividade estranha, especialmente sob as circunstâncias. No entanto, essa questão é tão importante que voltaremos a ela várias vezes neste capítulo. O casal Myers tinha uma vida secreta que não era conhecida nem mesmo pelo irmão? Há aqueles que continuam fazendo essa sugestão.

Mais tarde, liguei para Garth Myers, da Bacia de Uintah, para lhe fazer mais algumas perguntas.

A primeira pergunta foi sobre as fechaduras dentro e fora da casa quando a testemunha comprou o rancho. Garth disse que isso simplesmente não era verdade. Quando ele visitava o rancho, era preciso uma chave para entrar na casa, e se essa chave não funcionasse, um chute certeiro na porta o deixaria entrar! Não havia várias fechaduras. (A testemunha, no entanto, me disse que havia pequenas fechaduras deslizantes em armários dentro da casa.)

A segunda pergunta foi sobre não ser permitido cavar no rancho. Esse boato pode ter sido fortalecido por Charles Winn, que disse que estava cavando algo para Kenneth Myers com sua retroescavadeira quando Kenneth lhe disse para não cavar em uma determinada área. Isso não soa muito sinistro. Se eu tivesse um rancho, talvez não quisesse que alguém com uma retroescavadeira cavasse em certos lugares. E daí? Garth disse que a única condição no contrato imobiliário era que os antigos proprietários mantivessem os direitos de petróleo da propriedade! Como o petróleo se tornou importante na Bacia, tal condição é comum quando um rancho é vendido. Assim, o contrato imobiliário estipulava que, se os novos proprietários cavassem e encontrassem petróleo, eles deveriam notificar os proprietários anteriores. Isso parece “uma cláusula sem sentido criada por velhos excêntricos”? Além disso, como observado na minha entrevista com Garth, ele negou que seu irmão alguma vez tenha usado cães de guarda de grande porte. A viúva Edith tinha apenas um cão de três patas, e ele morreu alguns anos antes de Edith deixar o rancho e ir para uma casa de repouso. E a declaração no livro Skinwalker com sua sinistra implicação?: “Os proprietários anteriores haviam comprado a propriedade nos anos 50, mas agora pareciam felizes em se desfazer dela. Parece sinistro que um irmão mais velho e suas duas irmãs quisesem se desfazer de um rancho que eles não conseguiam cuidar? Quando a testemunha quis comprar o rancho, ofereceu a Garth e suas irmãs uma chance de darem um jeito na propriedade de Kenneth e Edith.

Mas as dúvidas persistiram. Assim, nós três, Junior, James Carrion e eu, durante nossas visitas à Bacia de Uintah, consideramos a questão várias vezes, discutindo-a entre nós e com muitos dos que entrevistamos: O rancho dos Myers foi atormentado com atividade de OVNIs por mais de meio século enquanto os Myers formavam o rancho? Junior tinha apenas uma história para apoiar isso: ele parecia lembrar que um funcionário de uma farmácia que lhe disse que Edith Myers tinha histórias de OVNIs para contar. Mas isso é uma evidência muito tênue. Memórias muito depois do fato, especialmente de trivialidades como uma breve conversa enquanto se conta o troco, tendem a ser distorcidas – e talvez influenciadas pela ampla publicidade que se seguiu aos artigos do jornal Deseret News e, em seguida, publicação do livro Skinwalker.

Tivemos uma longa conversa com John Garcia (chamado de Sr. Gonzalez no livro Skinwalker), cujo rancho se juntou ao rancho dos Myers (Skinwalker), e com Charles Winn, cujo rancho se juntou no lado noroeste. Cada fazendeiro tinha algumas histórias maravilhosas de OVNIs para contar, como mencionarei no final deste capítulo, mas perguntamos muitas vezes se essa atividade ocorria enquanto os Myers viviam na propriedade. Eles buscavam nas memórias e ficavam em branco quanto à atividade no rancho antes dos Myers partirem. O relato de Garcia, citado abaixo, remonta à época dos Myers, mas ele não achava que os Myers sabiam do seu avistamento. Com exceção do relato de Garcia e várias mutilações de gado, a maioria das histórias de Garcia e Winn surgiu por experiências depois que Robert Bigelow comprou o rancho. As mutilações de gado foram confirmadas por Pete Pickup, que tinha sido um xerife adjunto e um policial tribal na época da ocupação do rancho pelos Myers. Ele tinha investigado pelo menos uma dúzia de mutilações de gado em vários ranchos, remontando anos anos 70, e ele foi empregado pelo NIDS e Bob Bigelow, mas ele não pôde confirmar a atividade de OVNIs antes da compra do rancho pela testemunha.

Então, de acordo com Garth Myers, e certamente há uma boa razão para pensar que ele deveria saber os fatos básicos sobre a história do rancho, e com o apoio da memória de Junior, mais os comentários de John Garcia e Charles Winn, a versão da história do rancho no livro Skinwalker está gravemente distorcida.

(Fonte)

——-

– n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.
EnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsEspañol