web analytics
OVNI Hoje!
Notícias diárias sobre OVNIs / UFOs, vida extraterrestre, bem como assuntos impactantes relacionados ao Universo e à Terra.

Teria o governo dos EUA um projeto para recuperar OVNIs acidentados?

Tempo de leitura: 3 min.

O escritor, conferencista e jornalista Nick Redfern dá sua opinião se existe mesmo um projeto do governo dos EUA para recuperar naves alienígenas acidentadas em nosso planeta:

Teria o governo dos EUA um projeto para recuperar OVNIs acidentados?

Essa é uma pergunta e tanto! Por anos – décadas, na verdade – houve rumores de que existe um programa secreto dos EUA para recuperar rapidamente espaçonaves alienígenas danificadas, com defeito e acidentadas. Muitos pesquisadores de OVNIs apontam seus dedos na direção de um projeto que remonta aos anos 1950. Por anos, foi intitulado Projeto Moon Dust (também escrito Moondust). Hoje, porém, tem um título classificado.

Mencione a operação para muitos ovniólogos e eles dirão que o Moon Dust é a chave para os segredos de onde discos voadores acidentados e alienígenas mortos são armazenados. Mas, seus pensamentos e conclusões estão corretos? Não.

Repetidamente, tenho visto pesquisadores de OVNIs dizerem que a documentação disponível sobre o Moondust (via Lei de Liberdade de Informação) prova que os OVNIs caíram. Na verdade, em relação aos alienígenas, isso não prova nada. Se você fizer o que eu fiz – ou seja, examinar todos os documentos desclassificados do Moon Dust (o que equivale a milhares de páginas) – você verá que, para os militares, governo e comunidade de inteligência dos EUA, o termo “OVNI” significava algo muito diferente.

Para a maioria das pessoas, se você usar o termo “OVNI”, elas presumirão que você está falando sobre espaçonaves extraterrestres. E isso é totalmente compreensível. Uma olhada cuidadosa e de perto nos arquivos disponíveis, no entanto, mostra que para as equipes do Moon Dust, “OVNI” – em quase todas as ocasiões – significava hardware soviético capturado: aeronaves, partes de satélites, mísseis fora do curso e assim por diante. O termo não significava “extraterrestres”.

Isso não subtrai do fato que a história do programa não foi fascinante. Certamente foi. Agora, com tudo isso dito, vamos dar uma olhada em alguns dos casos no microscópio Moon Dust.

Um documento agora desclassificado de Moon Dust afirma:

”Em 30 de setembro de 1960, um relatório TWX foi enviado às Forças Aéreas do Pacífico sobre o avistamento de um objeto não identificado que entrou na água perto da vila de Ctaru. O relatório se originou com o quartel-general da Força de Autodefesa Terrestre Japonesa (GSDF) e foi retransmitido para nós pela Força de Auto-Defesa Aérea Japonesa (JASDF). De acordo com o relatório, um objeto em chamas caiu do céu no mar, formando uma fonte de água que foi descrita como parecida com um “gêiser”. O pessoal da inteligência técnica de Tóquio assumiu o caso, mas não foi capaz de localizar ou recuperar o objeto.”

A documentação adicional foi que o cenário mais provável era lixo espacial.

Outro documento diz:

“Em 11 de outubro de 1960, um piloto na praia a leste de Kisawa observou um clarão laranja no horizonte. Ele descreveu o fenômeno como sendo distinto e parecendo uma grande bolha. A área em que o fenômeno pôde ser observado foi ao longo da costa sul das Ilhas Curilas soviéticas.”

E, há também este:

Em 14 de setembro de 1960, um piloto estava voando um F-86D entre um céu nublado acima e nuvens abaixo dele, quando um objeto branco esverdeado apareceu do céu nublado acima dele. O objeto caiu direto e desapareceu na nuvem abaixo. O objeto foi descrito como uma ervilha verde. A investigação preliminar não conseguiu identificar nenhum balão ou outros objetos conhecidos na área que pudessem ser responsáveis ​​pelo avistamento.”

Eventualmente, foi mostrado que era um balão.

Um documento de 1965 desclassificado pela CIA, uma cópia do qual está nos arquivos Moon Dust, é intitulado: “Fragmento, Metal, Recuperado na República do Congo, Origem que se acredita ser um Objeto Voador Não Identificado.”

Ele diz o seguinte:

“O objetivo deste relatório é apresentar os resultados da exploração de um fragmento metálico recuperado perto da cidade de [ilegível] na República do Congo. A recuperação de fragmentos foi o resultado de uma busca no nível do solo que foi coordenada depois que um objeto voador não identificado explodiu e caiu na terra naquela área. O avistamento e a recuperação ocorreram entre 10 e 15 de outubro de 1965. Além de uma direção de voo leste-oeste relatada para o OVNI, detalhes específicos de observação e recuperação estão faltando.”

O resultado final foi algo que saiu de uma aeronave que pegou fogo no ar. Mais uma vez, vemos o uso da palavra “OVNI”, mas não no contexto de uma nave alienígena.

Depois, há um telegrama do Departamento de Estado de agosto de 1967 da embaixada americana em Cartum para Washington.

Ele declara:

“A imprensa local em 17 de agosto de 1967 relatou que um satélite, em forma de cubo, pesando aproximadamente três toneladas, foi descoberto em 3 de agosto a 50 milhas (80 km) de Kutum. Satélite descrito como feito de metal macio, presumivelmente de alumínio leve, em cubos oblongos medindo duas polegadas por uma polegada, firmemente presos juntos e cobertos por um material sedoso. Nacionalidade não identificada, pois não há inscrições evidentes na superfície externa. As autoridades locais em El Fasher têm fotos e com dificuldade cortam amostras.”

De fato, correspondia a partes de um satélite espacial. Mas, a recuperação foi tratada pelo Moon Dust, cujas equipes usaram a palavra “OVNI”. Assim, uma lenda OVNI foi criada.

Agora, é possível que as equipes Moon Dust realmente recuperaram a tecnologia alienígena caída? Sim, é possível – e, certamente, Moon Dust teria sido o projeto perfeito para realizar tais recuperações de OVNIs.

Se ao menos houvesse alguma evidência. Mas não existe. Então, por fim, se você vir o termo “OVNIs” em um relatório do governo, lembre-se de que isso não significa necessariamente que as referências são a “alienígenas”, “extraterrestres”, “não-humanos” ou … bem, a lista continua.

(Fonte)


Devemos lembrar que os documentos mencionados no artigo acima foram liberados pelo governo dos EUA para o olho público. Então fica aqui a questão: Você acha que seria liberado algum documento que trata especificamente de objetos não pertencentes aos governos da Terra que caíram do céu? A resposta é óbvia, não?

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site.

Clique aqui para apoiar através do site Apoia.se, ou use o botão abaixo:


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:

(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.