NASA encontra fonte de misteriosos sinais de rádio vindos do espaço

Tempo de leitura: 2 min.
NASA encontra fonte de misteriosos sinais de rádio vindos do espaço
NASA encontra fonte de misteriosos sinais de rádio vindos do espaço

Os misteriosos sinais vindos do espaço, conhecidos como Rajadas Rápida de Rádio (de sigla em inglês FRB), são muito intrigantes – ninguém tem certeza de como elas são criados, quase todas vêm de fora de nossa galáxia, e sua frequência varia de uma rajada única a algumas em uma programação regular. É por isso que os astrônomos ficaram especialmente entusiasmados com a primeira a ser descoberto na Via Láctea, emocionados por ela estar relativamente perto da Terra e perplexos com o que parece ser sua causa – um magnetar ou estrela morta que ainda é bastante magnética.

A NASA tem se concentrado na FRB200428 e em seu magnetar hospedeiro, SGR J1935 + 2154, então, com o anúncio de que as rajadas estão voltando – tornando-se uma repetidora – a NASA formalizou sua localização exata e distribuiu elogios ao seu equipamento espacial e projetos responsáveis ​​pela descoberta.

Um projeto financiado pela NASA chamado Survey for Transient Astronomical Radio Emission 2 (STARE2) também detectou a rajada de rádio vista pelo CHIME. Composto por um trio de detectores na Califórnia e em Utah e operado pela Caltech e o Jet Propulsion Laboratory da NASA (JPL) no sul da Califórnia, o STARE 2 é liderado por Bochenek, Shri Kulkarni no Caltech e Konstantin Belov no JPL. Eles determinaram que a energia da explosão era comparável às FRBs.

Os astrônomos estavam cientes da existência do magnetar localizado na constelação de Vulpecula e o monitoraram em abril de 2020 por causa de uma tempestade incomum de raios-X que “durou horas” – tempo suficiente para ser observado pelo Swift, da NASA, o Telescópio Espacial Fermi Gamma-ray e o telescópio de raios-X da estrela Neutron Interior Composition Explorer (NICER) da NASA na Estação Espacial Internacional. Depois que ele saiu do campo de visão desses telescópios, uma breve explosão de rádio, durando apenas um milésimo de segundo, foi detectada pelo CHIME (experimento canadense de mapeamento de intensidade de hidrogênio) e pelo STARE2. Outras pesquisas ligaram a FRB ao magnetar, tornando esta a primeira prova de que essas estranhas estrelas magnéticas mortas podem criar FRBs, o que digno de dois artigos na edição atual da revista Nature.

SGR J1935 + 2154, o magnatar hospedeiro do Galactic FRB200428 (ATel # 13681, # 13684), foi relatado como radioativo novamente em 8 de outubro de 2020 pela equipe CHIME / FRB (ATel # 14074, # 14080).


A segunda FRB da FRB200428 foi postada no quadro de avisos dos astrônomos “The Astronomer’s Telegram” em 8 de outubro. Os cientistas ainda estão estudando essas três novas explosões e não fizeram nenhum anúncio formal até o momento desta redação. No entanto, está claro que as FRBs são um tema quente e a NASA gosta de receber todo o crédito que pode por suas descobertas.

A FRB200428 do magnetar SGR J1935 + 2154 na Via Láctea provavelmente não está sendo enviado por uma civilização alienígena, mas com tantos telescópios e equipes monitorando-os, a NASA e as outras agências espaciais obviamente pensam que isto se trata de muito algo grande.

(Fonte)


O que os cientistas não podem esquecer é que as ondas de rádio viajam na velocidade da luz, e o que chega hoje até nós do espaço já ocorreu há muito tempo, em muitos casos há milhares ou milhões de anos.

Não sei qual é a distância desse magnetar de nós, mas será que a rajada de rádio ocorreu antes desse corpo celeste ter se tornado um magnetar? Vou ter que fazer algumas pesquisas, mas tenho certeza e é óbvio que os astrônomos não esqueceram deste detalhe. Só mencionei mesmo para bagunçar um pouco a cabeça de todos aqui😁.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site.

Clique aqui para apoiar através do site Apoia.se, ou use o botão abaixo:


*Agora você também pode doar através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:

(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.