Ideias “malucas” imaginadas pelos soviéticos para a colonização espacial

Tempo de leitura: 3 min.

Para os cientistas, artistas e escritores da época, o espaço tornou-se fonte de inspiração e sonhos selvagens da utopia comunista. Eis aqui as fantasias e projetos mais ambiciosos e extravagantes.

Ideias "malucas" imaginadas pelos soviéticos para a colonização espacial
Mikhail Fillimonov/Sputnik

O primeiro homem pisou na Lua em 1969. Por incrível que pareça, na época, os visionários soviéticos subestimaram as capacidades do desenvolvimento tecnológico humano. Em 1958, a revista soviética “Tekhnika-Molodeji” (“Engenharia da Juventude”, em tradução livre) especulou que o primeiro homem não pisaria na superfície da Lua antes do final do século 20. Antes que isso ocorresse, previu a publicação, um satélite chegaria à Lua (o que aconteceu em 1959) e detonariam uma arma nuclear em sua superfície para fins científicos (o que jamais ocorreu).

Ideias "malucas" imaginadas pelos soviéticos para a colonização espacial

O artista Denis Dachkov imaginou a construção de futura estação lunar sob a superfície da Lua para proteger seus habitantes de meteoroides e de temperaturas extremas, variando de 120°C a 150°C negativos.

Segundo o artista, a estação seria alimentada por baterias movidas a energia solar, localizadas na superfície do satélite natural da Terra, e a entrada da estação seria por um duto. Os exploradores viveriam no nível superior da estação, enquanto ar, alimentos e outros suprimentos necessários seriam estocados no nível inferior.

Ideias "malucas" imaginadas pelos soviéticos para a colonização espacial
Tekhnika-Molodezhi, 1959

Outro artista, chamado Fiódor Borissov, pensou que as futuras estações da Lua pareceriam casas esféricas cobertas por solo natural encontrado na superfície lunar para protegê-las dos elementos e condições severas do satélite natural da Terra.

O cilindro de O’Neill, um conceito futurista de colonização espacial – proposto pelo físico norte-americano Gerard K. O’Neill em seu livro “A alta fronteira: colônias humanas no espaço”, de 1976 – inspirou os visionários da União Soviética: muitos deles traduziram e disseminaram a ideia nas páginas de revistas científicas soviéticas.

A já citada “Tekhnika-Molodeji” descreveu o design do cilindro de O’Neill como “uma colônia espacial autônoma para 10.000 a 20 milhões de pessoas [que] será criada na forma de dois cilindros com 7,5 quilômetros de diâmetro conectados. A rotação deles criará uma gravidade semelhante à da Terra. A agricultura e a criação de animais se desenvolverão dentro da estação e nos anéis agronômicos externos.”

Ideias "malucas" imaginadas pelos soviéticos para a colonização espacial
Tekhnika-Molodezhi, 1968

A revista também descreveu o design de um projeto futurista de logística chamado “Cento”. A ideia é semelhante ao que foi retratado no filme “O Vingador do Futuro”, de 2012: um túnel que atravessa a Terra e permite o transporte de pessoas e cargas.

Os escritores soviéticos calcularam que esse túnel poderia ter sido construído em 48 anos. Se tivesse saído do papel, o túnel teria permitido viajar pelo centro da Terra em apenas 43 minutos, devido a forças gravitacionais que, segundo os futuristas soviéticos, impulsionariam as cápsulas. O projeto “Centro” também foi considerado um novo método de lançamento de foguetes para o espaço, uma vez que os sonhadores soviéticos acreditavam que as forças gravitacionais teriam melhor desempenho do que os caros e supostamente menos poderosos motores a reação.

Ideias "malucas" imaginadas pelos soviéticos para a colonização espacial
Tekhnika-Molodezhi, 1976

A ideia de um elevador espacial, proposta pela primeira vez pelo cientista russo de foguetes e pioneiro da teoria astronáutica Konstantin Tsiolkovski, foi posteriormente desenvolvida em um projeto futurista corajoso que estampou as páginas da popular revista científica em 1959. O autor propôs a construção de um Torre de 35.800 km de altura para levar cientistas e equipamentos ao espaço e, talvez, lançar naves espaciais do topo da torre, resolvendo, assim, o problema da gravidade da Terra de uma vez por todas. Nem é preciso dizer que este sonho futurista jamais foi concretizado.

Ideias "malucas" imaginadas pelos soviéticos para a colonização espacial
Tekhnika-Molodezhi, 1959

Ao explorar o conceito de colonização espacial pelos homens, o engenheiro soviético Serguêi Jitomirski propôs a ideia ambiciosa de cidades flutuantes localizadas na atmosfera de Vênus. Jitomirski achava que a tecnologia aplicada na construção de zepelins e balões de ar quente poderia ser usada para manter as estações flutuando a cerca de 50 ou 60 km acima da superfície do planeta, onde temperatura e outras condições eram consideradas confortáveis ​​para os seres humanos. O projeto foi romanticamente chamado de “As ilhas flutuantes de Vênus”.

Tekhnika-Molodezhi, 1971

(Fonte)

Colaboração: Dália Khalib


E, pelo que nos consta, tudo não passou de sonhos, pois oficialmente nenhuma nação da Terra conseguiu tais feitos. Mas, como todos sabem, o sonho muitas vezes é a semente da realidade. Quem sabe um dia a humanidade poderá realizar esses sonhos e muitos mais, bem longe do nosso planeta lar, a Terra.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.