Calendário antigo previu desastres em 2020 – também o coronavírus

Tempo de leitura: 2 min.

Sempre se deve ter cuidado ao interpretar símbolos em calendários antigos, mas um pesquisador de história diz que um calendário de 2 mil anos previu os tempos difíceis que estamos enfrentando agora, inclusive o surto de coronavírus.

Calendário antigo previu desastres em 2020 - também o coronavírus
Esquerda: 12 calendário de calendário animal turco. Fonte da imagem – Esquerda: Coronavírus – Fonte da imagem

Um calendário antigo, chamado ’12 Hayvanli Türk Takvimi’ (‘Calendário Turco dos 12 Animais’), foi criado e usado pelos turcos da Ásia Central em 209 a.C.

No calendário, 12 animais diferentes representam cada um, um ano. Os nomes dos anos são rotativos e incluem: rato, vaca, tigre, coelho, peixe, cobra, cavalo, ovelha, macaco, galinha, cachorro e porco. No calendário, 2020 é conhecido como o ano do rato.

Oğuzhan Türk, pesquisador de história da província de Erzurum, leste da Turquia, diz que as profecias do antigo calendário usado pelos turcos há mais de 2.000 anos podem estar se realizando. Para o ano do rato em 2020, essas profecias incluem infestações de gafanhotos, incêndios, terremotos e epidemias.

Oğuzhan Türk, que estudou o calendário antigo, disse que as profecias do calendário são impressionantes, indicando que muitas das previsões para o ano de 2020 se tornaram realidade, com enxames de gafanhotos no Irã, grandes incêndios na Austrália, terremotos devastadores em Elazig e a pandemia de coronavírus.

O Daily Sabah relata:

O pesquisador apontou que, embora a maioria dos incidentes previstos para o ano do rato tenha ocorrido no início de 2020, o calendário prevê que haverá derramamento de sangue devido a eventos que ocorrerão no noroeste da África e ao redor; muitos lugares serão danificados pela chuva, granizo e saques, e as pilhagens e roubos aumentarão na segunda metade do ano.

Seria uma planta a solução para o coronavírus?

De acordo com Türk, uma epidemia do tipo coronavírus, chamada “zatülcenb” (pleurite) no calendário, apresenta sintomas que incluem febre, calafrios, tosse, pulso instável e falha respiratória – o que leva a uma morte dolorosa.

Ele também observou que o remédio para a doença é a planta ‘udi hindi’, também conhecida como kusti bahri.

Ele acrescentou, enfatizando que o ingrediente ativo nesta planta pode ser uma resposta para a doença:

O ano de 2020 em que estamos é chamado de ano do rato no antigo calendário turco. O coronavírus é mencionado como uma das profecias do calendário. A planta de udi hindi é referenciada como sua solução.

Türk afirmou que as informações incluídas no calendário são um método de transmitir as experiências daqueles que viviam na época, enfatizando que esses calendários não são de fato profecias, adivinhações ou previsões do dia do juízo final. Ele disse que elas consistem em informações e experiências repetidas para que as pessoas possam ser informadas e tomar precauções.

Ele concluiu:

Como a cultura de pesquisar e ler fontes antigas declinou em nosso país, quando alguém chamado adivinho na Europa menciona esses incidentes, o que ele diz se torna um tópico atual da agenda e suas palavras se tornam uma questão de curiosidade. No entanto, os povos antigos formavam suas vidas de acordo com esses calendários por um longo tempo.

(Fonte)


São muitos os artigos encontrados na Internet que falam que esta pandemia estava sendo prevista por “profecias” do passado. Mas seria o que é relatado no artigo acima algo fidedigno, ou somente uma coincidência (para quem acredita em coincidências) ou uma “elaboração” do estudioso?

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.