Veja o que futuristas disseram que aconteceria até 2020. Será que acertaram?

Tempo de leitura: 8 min.

O artigo abaixo não tem uma conexão direta com os OVNIs, mas é interessante pelo fato de colocar em perspectiva como está a nossa tecnologia hoje, comparada com o que os futuristas achavam que estaria.

Veja o que futuristas disseram que aconteceria até 2020. Será que acertaram?

Décadas atrás, acadêmicos, futuristas e agências governamentais lançavam suas previsões sobre o que aconteceria até o ano 2020. Os submarinos atingiriam profundidades históricas? Quem lideraria as nações e quais seriam as superpotências globais? O planeta Terra existiria como o conhecíamos?

O matemático e cientista D.G. Brennan escreveu em 1968:

Não ficarei surpreso se, no meu aniversário de 92 anos, eu for capaz de dar uma volta em um carro antigravidade

Alguns, como Brennan, eram excessivamente otimistas. Outros acertaram em cheio. Aqui está o que aconteceu, o que não aconteceu e o que era simplesmente maluco.

1. A expectativa de vida passará dos 100

O futurista Ray Kurzweil previu em 1999 que a expectativa de vida humana aumentaria para ‘mais de cem’ até 2019.

Ele escreveu em “The Age of Spiritual Machines” :

Monitores de saúde computadorizados embutidos em relógios, jóias e roupas que diagnosticam condições de saúde agudas e crônicas serão amplamente utilizados. Além do diagnóstico, esses monitores fornecem uma variedade de recomendações e intervenções corretivas.

Não: Embora Kurzweil possa ter previsto com precisão os aparelhos relacionados à saúde (como relógios de fitness, BioScarves e aplicativos de eletrocardiograma para o seu smartphone), ele errou a respeito da expectativa de vida.

Em 2019, a expectativa média de vida da população global era de 72,6 anos, segundo as Nações Unidas. Essa média é um pouco mais alta nos EUA, aos 78,6 anos em 2017, de acordo com um relatório do Journal of the American Medical Association.

2. Os computadores ficarão invisíveis

Kurzweil teve várias outras profecias para o ano de 2019, incluindo computadores invisíveis.

Os computadores serão praticamente invisíveis. Eles estarão embutidos em todos os lugares – em paredes, mesas, cadeiras, escrivaninhas, bijuterias e corpos. As pessoas usarão rotineiramente monitores tridimensionais embutidos em seus óculos ou lentes de contato. … Essa tecnologia de exibição projetará imagens diretamente na retina humana.

…Teclados e cabos se tornarão raros.

Sim: Os computadores estão embutidos em todos os lugares hoje em dia. Temos casas inteligentes, mesas inteligentes, cadeiras inteligentes, mesas inteligentes e muito mais. Embora não possamos projetar imagens diretamente em nossas retinas, o Google Glass chega bem perto.

3. Os livros estarão mortos

Kurzweil predisse:

Livros e documentos em papel raramente serão usados ​​ou acessados. A maioria dos documentos em papel do século XX será digitalizada e estrá disponível na rede sem fio.

Errado: embora a receita líquida da indústria de publicação de livros nos EUA tenha diminuído desde 2014, a indústria ainda vendeu 675 milhões de livros impressos e faturou quase US $ 26 bilhões em 2018, de acordo com o relatório anual da Association of American Publishers.

Não: Embora a receita líquida da indústria de publicação de livros nos EUA tenha diminuído desde 2014, a indústria ainda vendeu 675 milhões de livros impressos e faturou quase US$ 26 bilhões em 2018, de acordo com o relatório anual da Association of American Publishers.

4. Todos os seus movimentos serão rastreados

Kurzweil previu que a privacidade seria uma enorme questão política e social e que “cada indivíduo praticamente terá todos os seus movimentos armazenados em um banco de dados em algum lugar.

Sim, a maioria diz: Sua TV assiste você. Seu smartphone segue você. O seu navegador rastreia sua trilha digital. Em uma época em que algumas populações em todo o mundo vivem sob vigilância de alta tecnologia 24 horas por dia, 7 dias por semana, a maioria dos adultos norte-americanos diz que não acredita que seja possível passar pela vida cotidiana sem ter esses dados coletados pelas empresas ou pelo governo, de acordo com uma pesquisa da U.S. Adults pelo Pew Research Center.

5. População mundial chegará a 8 bilhões

Em 1994, o International Food Policy Research Institute (Instituto Internacional de Pesquisa em Política Alimentar) projetou que a população mundial aumentaria em 2,5 bilhões, atingindo 8 bilhões em 2020. Índia, Paquistão, Bangladesh e o continente africano adicionariam 1,5 bilhão de pessoas, previu o instituto.

Quase, mas ainda não: A população mundial é de 7,7 bilhões, de acordo com um relatório das Nações Unidas em junho. O relatório espera que a população cresça 2 bilhões nos próximos 30 anos. Por volta de 2027, a Índia deve ultrapassar a China como o país mais populoso do mundo, diz o relatório.

6. China será a maior economia do mundo

E por falar em China … em um artigo de 1997 intitulado ‘The Long Boom‘, os futuristas Peter Schwartz e Peter Leyden disseram que a China estaria no topo.

Eles disseram:

Até 2020, a economia chinesa crescerá para ser a maior do mundo. Embora a economia dos EUA seja mais sofisticada tecnologicamente e sua população seja mais rica, a China e os Estados Unidos estarão basicamente em pé de igualdade.

Quase: Em 2019, a China ainda seguia os Estados Unidos como a segunda maior economia do mundo, em PIB nominal. Relatórios recentes preveem que a China e a Índia ultrapassarão os Estados Unidos até 2030.

7. Teremos carros autônomos

Kurzwell escreveu:

Os carros autônomos estarão sendo experimentados no final dos anos 90, com a implementação em grandes rodovias viáveis ​​durante a primeira década do século XXI

Quase isso: Dezenas de empresas – incluindo Tesla, a Waymo da Google e gigantes de compartilhamento de viagens Uber e Lyft – estão testando veículos autônomos em locais selecionados, como Boston, Las Vegas, Phoenix e Columbus, Ohio.

O uso difundido de um veículo verdadeiramente autônomo ainda não chegou: os especialistas dizem que ainda pode levar décadas até vermos um carro que pode dirigir em qualquer lugar que ele queira.

8. Será normal se aposentar aos 70 anos

Em seu livro de 1994 The World in 2020 (O mundo em 2020), o comentarista e editor britânico Hamish McRae previu que as idades de aposentadoria chegariam a 67 a 70.

McRae escreveu:

O principal motivo para isso na Europa é o custo para o estado. Os governos acham que, se a idade da aposentadoria não for aumentada, o ônus do pagamento de aposentadorias será tão alto que os trabalhadores não estarão preparados para pagar os níveis de impostos necessários para financiá-las.

Não: Nos EUA, a idade média da aposentadoria em 2016 foi de 65 anos para homens e 63 para mulheres, de acordo com o Center for Retirement Research. Esse número permaneceu relativamente estável para os homens nas últimas décadas, mas aumentou para as mulheres. Para obter todos os benefícios da Previdência Social, a idade está subindo lentamente e depende do ano em que você nasceu.

Alguns países europeus definiram 67 como idade da aposentadoria, a idade mais precoce em que os cidadãos podem começar a retirar aposentadorias e vários planejam aumentar a idade nos próximos anos, segundo o Centro Finlandês de Pensões. Para muitos europeus, este é assunto de intenso debate.

[No Brasil, para ter direito à aposentadoria por idade, o interessado deve comprovar um período mínimo de contribuições à Previdência, além da idade, que é de 65 anos para o homem e 60 para a mulher. O tempo mínimo de contribuição varia de 138 meses (11 anos e seis meses) a 180 meses (15 anos).]

9. Os americanos vão votar eletronicamente em casa

À medida que a geração dos millenials atingir a maioridade, eles poderão votar eletronicamente em casa, previram Schwartz e Leyden – possivelmente logo nas eleições presidenciais de 2008.

Ainda não: Em meio a temores de interferência estrangeira nas eleições nos EUA, os parlamentares não querem deixar os cidadãos votarem nas eleições presidenciais do próximo ano em seus iPhones. Os defensores da votação on-line dizem que isso poderia melhorar a participação e impedir a supressão de eleitores nas assembleias de voto (O voto nos EUA não é obrigatório).

As startups estão desenvolvendo soluções para votação online, como a plataforma de votação móvel Voatz, que utilizou reconhecimento biométrico/facial em pelo menos quatro pilotos de eleições públicas nos EUA. No ano passado, o estado da Virgínia Ocidental começou a usar o Voatz para a votação do pessoal militar destacado no exterior. Em um condado do estado de Utah, os cidadãos com deficiência puderam votar eletronicamente em seus smartphones em uma eleição geral municipal de 2019.

10. China estará a caminho da democracia

Schwartz e Leyden previram que, apesar de tomar “medidas draconianas” para evitar uma crise interna na primeira década do novo século, a China “será geralmente reconhecida como estando num caminho em direção a políticas mais democráticas – embora não à imagem do Ocidente”.

Na verdade não: A China enfrenta escrutínio por violações dos direitos humanos contra manifestantes pró-democracia em Hong Kong e contra quase um milhão de uigures, uma população predominantemente muçulmana, cujos membros foram arbitrariamente detidos e presos em campos de ‘reeducação’ na região chinesa de Xinjiang.

11. Teremos “companheiros pessoais”

Em seu livro de 1999, “Business @ the Speed ​​of Thought“, Bill Gates previu dispositivos pessoais que “conectam e sincronizam todos os seus dispositivos de maneira inteligente, estejam eles em casa ou no escritório, e permitem que eles troquem dados”.

Gates escreveu:

O dispositivo verificará seu e-mail ou notificações e apresentará as informações necessárias. Ao ir à loja, você pode dizer quais receitas deseja preparar e isso gerará uma lista de ingredientes que você precisa pegar. Ele informará todos os dispositivos que você usa de suas compras e agenda, permitindo que eles se ajustem automaticamente ao que você está fazendo.

Ei, Alexa: Adicione leite à minha lista de compras.

Embora a Alexa não esteja classificando seus e-mails (pelo que sabemos) e seu termostato inteligente não esteja rastreando suas compras, Gates não está longe. Siri, Assistente do Google, Amazon Alexa e uma variedade de tecnologias inteligentes na Internet das Coisas prontamente trocam dados com seus outros dispositivos e respondem a comandos.

12. Os carros poderão passar meses sem reabastecer

Schwartz e Leyden previram que, em 2010, “o hidrogênio seria processado em fábricas semelhantes às refinarias e carregado em carros que poderiam percorrer milhares de quilômetros – e muitos meses – antes do reabastecimento”.

Até 2020, eles disseram, quase todos os carros novos seriam veículos híbridos, principalmente usando energia de hidrogênio.

Ainda não: Toyota e Honda lideram o mercado de carros movidos a hidrogênio, mas é uma batalha difícil contra os concorrentes que vendem veículos elétricos movidos a bateria. Em 2018, 2.300 veículos a célula de combustível de hidrogênio foram vendidos nos EUA – menos de 1% do número de carros elétricos vendidos, de acordo com a InsideEVs, que cobre notícias sobre veículos elétricos.

Em outras notícias de transporte ecológico: no ano passado, a fabricante ferroviária europeia Alstom lançou o primeiro trem de célula a combustível de hidrogênio do mundo e, no próximo ano, Londres provavelmente lançará ônibus de dois andares movidos a hidrogênio.

13. Doença cardíaca e depressão serão as principais doenças do mundo

Em 1996, a Escola de Saúde Pública de Harvard e a Organização Mundial de Saúde previram que, até 2020, as duas principais causas mundiais da carga global de doenças – uma medida do número de anos de vida saudável perdidos por doença, incapacidade ou morte prematura – seriam a doença cardíaca isquêmica (coronária) e depressão unipolar maior (clínica).

Na época, as principais causas eram infecções respiratórias mais baixas (como pneumonia) e doenças diarréicas, segundo o estudo.

Quase: Em 2017, o ano mais recente em que o conjunto de dados foi publicado, as cinco principais causas da carga global de doenças foram distúrbios neonatais, cardiopatia isquêmica, acidente vascular cerebral, infecções respiratórias inferiores e doença pulmonar obstrutiva crônica.

14. A temperatura global da superfície aumentará

(As previsões climáticas tendem a ter um alcance de tempo maior, mas aqui está um instantâneo de onde fica 2020).

Um relatório em 1995 do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas previu que a temperatura média da superfície global poderia aumentar em cerca de 3,6 graus Fahrenheit (2 graus Centígrados) até 2100.

O relatório previa que o nível do mar poderia aumentar cerca de 20 polegadas (50 centímetros) no mesmo ano.

No caminho certo: Com 80 anos até chegarmos lá, ambas as previsões parecem possíveis. A temperatura média global aumentou um pouco mais de 1 grau Fahrenheit (0,556 Centígrados) desde meados dos anos 90, segundo a NOAA. Desde 1992, o nível global do mar aumentou mais de 3 polegadas (7,5 cm), de acordo com a NOAA.

15. Humanos pisarão em Marte

Um relatório em 1996 do Diretoria de Estudos Espaciais do Conselho Nacional de Pesquisa disse que a NASA lançaria “possíveis missões exploratórias humanas na Lua e em Marte no próximo quarto de século”, prevendo que os humanos pousariam em Marte até 2018.

Schwartz e Leyden imaginaram um cenário semelhante:

Em 2020, os seres humanos chegam a Marte. … Os quatro astronautas pousam e transmitem suas imagens de volta aos 11 bilhões de pessoas que compartilham no momento. A expedição é um esforço conjunto apoiado por praticamente todas os nações do planeta, o ponto culminante de uma década e meia de intenso foco em um objetivo comum.

Não exatamente: Embora não tenhamos posto os pés em Marte, pousamos oito naves espaciais não tripuladas na superfície do planeta.

16. Boris Johnson lideraria o Brexit

Em 1997, a organização de notícias britânica The Independent previa que, em 2020, Boris Johnson se tornaria membro do Gabinete do Reino Unido, um órgão de tomada de decisão composto pelo primeiro ministro e uma equipe de membros escolhidos a dedo do Parlamento.

Na época, Johnson, com 32 anos, era um editor e colunista franco, mas não ocupava cargos públicos.

Os jornalistas escreveram:

Não sendo tímido em colidir com as linhas partidárias, Boris ‘renegocia a adesão à UE para que a Grã-Bretanha fique na Europa como Canadá, e não no Texas, para os EUA.

Bem perto: Você já ouviu falar do Brexit? Johnson tornou-se primeiro ministro em julho. Ele atuou no gabinete, começando em 2016 como secretário de Relações Exteriores sob Theresa May. Em dezembro, Johnson levou seu Partido Conservador à vitória em uma eleição nacional com a promessa de ‘fazer o Brexit’.

17. Cintos antigravidade revolucionarão a guerra

Imagine um mundo onde as batalhas são travadas alguns metros acima do solo, enquanto soldados pairam no ar. Em 1968, o matemático e cientista D.G. Brennan previu que os cinturões antigravitacionais “revolucionariam as táticas da guerra terrestre”, escrevendo que “mesmo que o mecanismo antigravitacional não proporcionasse propulsão horizontal, fontes de impulso relativamente modestas poderiam ser facilmente fornecidas”.

Ele suspeitava que, em 2018, os humanos teriam carros e cintos antigravitacionais capazes de operar por 30 minutos.

Não: (A menos que você seja Luke Skywalker ou Buzz Lightyear.)

18. Energia nuclear substituirá gás natural

Em 1968, o professor da Universidade de Stanford, Charles Scarlott, previu que os reatores nucleares representariam a maior parte da produção de energia dos EUA até 2018, à medida que o gás natural desaparecesseria.

Scarlott escreveu:

A energia da água, radiação solar, vento, marés ou calor da terra não será grande no total. A energia das usinas nucleares deve estar disponível em grandes quantidades, a baixo custo.

Errado: Em 2018, os combustíveis fósseis – petróleo, gás natural e carvão – representaram cerca de 79% da produção total de energia primária dos EUA em 2018, de acordo com a Administração de Informações de Energia dos EUA. Cerca de 12% eram de fontes renováveis ​​de energia e 9% eram de energia elétrica nuclear.

19. Americanos trabalharão 26 horas por semana

Em 1968, o físico Herman Kahn e o futurista Anthony J. Weiner disseram que até 2020, os americanos trabalhariam 1.370 horas por ano (ou 26 horas por semana), em vez das 1.940 horas (37 horas por semana) que eram médias na época.

Improvável: Embora os americanos trabalhem menos do que em 1968, em média o cidadão americano trabalhou quase 1.800 horas em 2018 (35 horas por semana), de acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico.

20. O nacionalismo diminuirá

Em 1968, Ithiel de Sola Pool, professor de ciências políticas no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, previu que uma melhor comunicação, tradução mais fácil e maior entendimento da natureza das motivações humanas facilitariam a conexão das pessoas através de linhas étnicas e nacionais.

Ele escreveu:

Até o ano de 2018, o nacionalismo deve ser uma força minguante no mundo.

O oposto é verdadeiro: Alimentado pela reação contra a imigração, a globalização e o establishment político, o nacionalismo populista foi uma força motriz por trás do Brexit, a eleição de Donald Trump e a ascensão de políticos de direita na França, Áustria, Itália, Hungria e Polônia, entre outros países, disseram os acadêmicos.

Stephen Walt, professor de relações internacionais da Universidade de Harvard, escreveu na Foreign Policy Magazine:

Em todo lugar que se olha, de fato, vê-se o nacionalismo em ação no mundo de hoje.

(Fonte)


Talvez, se o desacobertamento dos OVNIs já tivesse sido efetuado, hoje nosso mundo estaria muito diferente tecnologicamente do que está, e provavelmente também teríamos avançado na questão social… ou talvez não.

De qualquer forma, é interessante ver como o mundo esperado no passado acabou ficando. 

n3m3

ATENÇÃO: Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais, ou use o botão abaixo:



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…

BOMBANDO NO planetaabsurdo.com.br:

ESTUDIOSO: "A 3a GUERRA MUNDIAL COMEÇARÁ EM 2020 E DURARÁ 16 ANOS."

-------
-------

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.