Explosão de gelo no mar antártico pode ter causado uma era glacial há 2,5 milhões de anos

Tempo de leitura: 2 min.

Os cientistas descobriram que as eras glaciais do mundo podem ter sido causadas pelo gelo marinho que forma uma tampa no oceano e bloqueia sua troca de dióxido de carbono com a atmosfera.

Explosão de gelo no mar antártico pode ter causado uma era glacial há 2,5 milhões de anos
Cientistas que estudam o gelo marinho da Antártica alertam que um aumento na acumulação pode desencadear uma era do gelo. Simulações em computador mostram que um explosão de gelo do mar impediria o oceano de trocar dióxido de carbono com a atmosfera.

Menos dióxido de carbono na atmosfera resultou em um efeito estufa reverso, fazendo com que o planeta esfriasse – levando os especialistas a acreditar que o gelo que circundava o deserto congelado pode ter causado a era do gelo há 2,5 milhões de anos.

Uma era do gelo parece improvável em breve, já que o gelo do mar está no nível mais baixo de todos os tempos e os dados mostram que ele pode continuar em declínio.

Acredita-se que a última grande era glacial tenha terminado há cerca de 2,5 milhões de anos durante a era do Pleistoceno, de acordo com o UChicago News.

Desde então, as geleiras cobrem periodicamente a Terra, mas também se retraem, o que fez com que os especialistas agora dizerem que entendem o processo por trás de uma era glacial – como funciona e o que a desencadeia.

O último estudo foi realizado por uma equipe da Universidade de Chicago que se propôs a descobrir e entender os processos que compõem o clima global.

O professor assistente Malte Jansen, da Universidade de Chicago (UChicago), disse à UChicago News:

Uma questão-chave no campo ainda é o que causou a Terra de periodicamente ter um ciclo de eras glaciais.

Estamos bastante confiantes de que o balanço de carbono entre a atmosfera e o oceano deve ter mudado, mas não sabemos exatamente como ou o porquê.

Explosão de gelo no mar antártico pode ter causado uma era glacial há 2,5 milhões de anos
Este evento é capaz de causar um efeito estufa reverso, que acabaria por esfriar a Terra e enviar nosso planeta para uma era glacial pela primeira vez em mais de dois milhões de anos.

Jansen e a ex-pesquisadora de pós-doutorado da UChicago Alice Marzocchi desenvolveram simulações de computador do gelo marinho da Antártica e descobriram que ele não apenas altera a circulação do oceano, mas também atua como uma tampa e impede que ele libere dióxido de carbono na atmosfera – quanto menos carbono estiver no ar, mais frio o planeta fica.

Marzocchi, agora pesquisador do Centro Nacional de Oceanografia do Reino Unido, disse:

O que isso sugere é que é um loop de retorno. À medida que a temperatura cai, menos carbono é liberado na atmosfera, o que provoca mais resfriamento.

A explicação coincide com as evidências climáticas anteriores de sedimentos, recifes de coral e amostras de geleiras, explicaram os pesquisadores.

Marzocchi disse:

O que me surpreendeu é o quanto desse aumento de armazenamento pode ser atribuído apenas às mudanças físicas, com a cobertura antártica de gelo marinho sendo o principal ator.

Embora especialistas alertem sobre o perigo do aumento do gelo marinho, outros estudos este ano descobriram que essa quantidade no oceano está diminuindo.

Em julho, a NASA havia anunciado que o gelo que circundava a Antártica atingira o nível mais baixo de todos os tempos – perdendo uma área do tamanho do México.

O gelo flutuante no continente sul aumentou constantemente desde 1979 e atingiu um recorde em 2014.

Três anos depois, a extensão média anual do gelo marinho da Antártica atingiu sua marca mais baixa, eliminando três décadas e meia de ganhos, mostra um estudo da NASA sobre dados de satélite.

Isso significa que, desde 2014, a Antártica perdeu a mesma quantidade de gelo que desapareceu do Ártico em mais de três décadas.

(Fonte)

Colaboração: MaryH


n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site.

Clique aqui para apoiar através do site Apoia.se, ou use o botão abaixo:


*Agora você também pode doar através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:

(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.