Unir nosso cérebro com a Inteligência Artificial será suicídio, diz cientista

Tempo de leitura: 2 minutos


Quase um mês atrás, Elon Musk apresentou a uma sala cheia de engenheiros e consumidores curiosos uma invenção de ficção científica feita pela Neuralink, sua startup neurotecnológica: um “chip cerebral” implantável que “mesclará inteligência biológica com inteligência de máquina”.

Unir nosso cérebro com a Inteligência Artificial será suicídio, diz cientista
NEURALINK/VICTOR TANGERMANN

De acordo com a descrição, este chip será instalado no cérebro de uma pessoa, perfurando um buraco de dois milímetros no crânio. “A interface para o chip é sem fio, então você não tem fios saindo de sua cabeça”, assegurou.

Musk argumentou que tais dispositivos ajudarão os humanos a lidar com o chamado apocalipse pela IA (Inteligência Artificial), um cenário no qual a inteligência artificial supera a inteligência humana e toma o controle do planeta para longe da espécie humana.

Musk alertou:

Mesmo em um cenário benigno de inteligência artificial, ficaremos para trás. Mas com uma interface cérebro-máquina, podemos realmente ir juntos para o passeio. E podemos ter a opção de mesclar com a IA.

Isso é extremamente importante”.

No entanto, alguns membros da comunidade científica alertam que tal dispositivo poderia realmente levar à autodestruição dos seres humanos antes mesmo que o “apocalipse da IA” aparecesse.

Em um artigo publicado no The Financial Times na terça-feira, a psicóloga e filosofa Susan Schneider disse que fundir cérebros humanos com a IA seria “suicídio para a mente humana”.

“Os obstáculos filosóficos são tão prementes quanto os tecnológicos”, escreveu Schneider, que preside a Biblioteca do Congresso (EUA) e é diretora o AI, Mind and Society Group da University of Connecticut.

Para ilustrar esse ponto, ela levantou um cenário hipotético inspirado pelo escritor australiano de ficção científica Greg Egan: Imagine que, assim que você nasce, um dispositivo de IA chamado “jóia” é inserido em seu cérebro, que monitora constantemente a atividade de seu cérebro para aprende a imitar seus pensamentos e comportamentos. No momento em que você é um adulto, o dispositivo perfeitamente “apoiou” seu cérebro e pode pensar e se comportar como você. Então, você tem seu cérebro original removido cirurgicamente e deixa a ‘jóia’ ser o seu ‘novo cérebro’.

Nesse ponto, qual é o seu real – seu cérebro biológico ou a ‘jóia’?

“Porque é implausível pensar que a sua consciência poderia magicamente transferir para a ‘jóia’ após a destruição do seu cérebro”, argumentou Schneider, “é mais provável que no momento em que você optou por remover o seu cérebro, você inadvertidamente se matou.”

Uma fusão humana com a IA é mal concebida – pelo menos, se o que se quer dizer é a eventual substituição total do cérebro por componentes da IA ​​- continuou ela.

Com toda a justiça, a tecnologia está longe de ser uma tecnotopia em que todo o seu cérebro pode ser copiado em um chip. O que Musk propõe agora é usar o dispositivo de Neuralink para tratar doenças neurológicas, como demência e distúrbios de movimento. A adoção real deste dispositivo, no entanto, estará sujeita a aprovações da FDA e outras revisões regulatórias.

Schneider reconheceu:

Aprimoramentos baseados em IA ainda podem ser usados ​​para suplementar a atividade neural. Mas se eles vão tão longe quanto substituir o tecido neural que funciona normalmente, em algum momento eles podem acabar com a vida de uma pessoa.

E uma vez que a tecnologia esteja avançada o suficiente para escolhermos quanto do cérebro humano queremos ser fundidos com a IA, será difícil traçar a linha de quanto é demais.

Schnider escreveu:

Seria a 15% de reposição neural? 75%? Qualquer escolha parece arbitrária.

(Fonte)


O tema “Inteligência Artificial” tem causado muita controvérsia entre os próprios cientistas, pois embora ainda estejamos engatinhando neste tecnologia, já podemos ver que essas “inteligências” poderão superar de longe nossa capacidade cerebral, ou seja, a criatura poderá se virar contra o criador, e pior que isso, extermina-lo.

Há também quem teorize que raças alienígenas avançadas já fizeram a transição do biológico, tendo elas sido “assimiladas” pela IA.

Mas será que elas não foram inteligentes o suficiente para não caírem nessa cilada e simplesmente desenvolveram dispositivos de segurança para que a IA fosse controlada e se tornasse somente uma ferramenta de seus criadores?

Quem sabe um dia, esperançosamente logo, saberemos a resposta à essa pergunta.

n3m3

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais.

ATENÇÃO: Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.



Participe dos comentários mais abaixo…