NASA patrocina 18 projetos que parecem ficção científica


Roupas espaciais inteligentes e surfe solar podem soar como ficção científica, mas são apenas dois dos conceitos de tecnologia que a NASA selecionou para pesquisas futuras, como parte do programa NIAC (NASA Innovative Advanced Concepts).

NASA patrocina 18 projetos que parecem ficção científica

O programa financiará 18 estudos para determinar a viabilidade de tecnologias em estágio inicial que poderiam mudar o que é possível no espaço.

As tecnologias financiadas têm o potencial de transformar a exploração humana e robótica de outros mundos, incluindo a Lua e Marte. Um pesquisador, por exemplo, estudará uma maneira acessível de explorar o amplo gelo nas regiões polares da Lua. A NASA pretende enviar astronautas para pousar no Pólo Sul da Lua em cinco anos.

Dois estudos foram escolhidos no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia, incluindo uma sonda que pousará em Vênus, carregada por um gerador de energia flutuante, e uma constelação de pequenos satélites que poderiam explorar as bordas do sistema solar e além.

Jim Reuter, administrador associado interino do Diretório de Missão de Tecnologia Espacial da NASA, informou:

Nosso programa NIAC nutre ideias visionárias que podem transformar futuras missões da NASA, investindo em tecnologias revolucionárias. O olhamos para os inovadores da América para nos ajudar a empurrar os limites da exploração espacial com novas tecnologias.

As últimas seleções NIAC incluem os prêmios de Fase I e Fase II. Os estudos da Fase I selecionados abrangem uma ampla gama de inovações. Cada prêmio da Fase I é avaliado em aproximadamente US$ 125.000, ajudando os pesquisadores a definir e analisar os conceitos propostos em nove meses. Se os estudos iniciais de viabilidade forem bem-sucedidos, os premiados poderão solicitar a concessão da Fase II.

As novas seleções da Fase I são:

Power Beaming para Missões de Longa Vida na Superfície de Vênus: Nova abordagem para apoiar uma missão de superfície Vênus com energia radiante – Erik Brandon, Laboratório de Propulsão a Jato da NASA (JPL), Pasadena, Califórnia

SmallSats (pequenos satélites) de baixo custo para explorar os limites do nosso sistema solar: Um projeto para uma missão de pequeno satélite de baixo custo para o sistema solar exterior – Robert Staehle, JPL

Raio Bioinspirado para Ambientes Extremos e Exploração Zonal (sigla em inglês, BREEZE): Combina estruturas infláveis ​​com cinemática inspirada na biologia para explorar e estudar a atmosfera de Vênus – Javid Bayandor, Universidade Estadual de Nova York, Buffalo

SmartSuit: Um projeto inteligente de trajes espaciais com soft-robótica, pele autorrecuperável e coleta de dados para atividades extra-veiculares em ambientes extremos, que permitem maior mobilidade para as missões de exploração – Ana Diaz Artiles, Texas A & M Experiment Station, College Station

Telescópio de Exoplaneta de Dupla Utilização (sigla em inglês, DUET): Um novo projeto de telescópio para encontrar e caracterizar sistemas planetários fora do sistema solar – Tom Ditto, 3DeWitt LLC, Ancramdale, Nova Iorque

Micro-Sondas Propulsionadas e Alimentadas por Eletricidade Atmosférica Planetária (sigla em inglês, MP4AE): Similar às capacidades de balonismo de aranhas, essas microsondas flutuantes usam elevação eletrostática para estudar atmosferas planetárias – Yu Gu, Universidade de West Virginia, Morgantown

Reator Sonda Swarm-Probe Enabled ATEG (sigla em inglês, SPEAR): Uma sonda de propulsão elétrica nuclear ultraleve para a exploração espacial profunda, projetada para manter a massa e o volume baixos para o lançamento comercial – Troy Howe, LLC Howe Industries, Tempe, Arizona

Sistema Ripcord Inovador de Energia (sigla em inglês, RIPS): Uma investigação de arrasto usando o sistema de energia de desdobramento ripcord para sondas de descida em planetas com atmosferas, como Saturno – Noam Izenberg, Universidade Johns Hopkins, Laurel, Maryland

Energia para Voos Interestelares: Colheita de energia de sondas ultra-miniatura para permitir missões interestelares – Geoffrey Landis, Glenn Research Center da NASA, Cleveland

Posto Avançado de Mineração Lunar-polar de Propelente (sigla em inglês, LPMO): Mineração de gelo de pólo lunar acessível para produção de propelente – Joel Serce, Corporação TransAstra, Lake View Terrace, Califórnia

Navegador Orbital de Reabastecimento de Alto Apogeu (sigla em inglês, CHARON): Novo sistema para mitigação de pequenos detritos espaciais – John Slough, MSNW LLC, Redmond, Washington

Mineração Térmica de Gelos em Corpos de Sistema Solar Frio: Propõe o uso de uma aplicação única de calor em voláteis congelados e outros materiais, para extração de recursos – George Sowers, Escola de Minas do Colorado, Golden

Os estudos da Fase II permitem que os pesquisadores desenvolvam conceitos, refinem os projetos e comecem a considerar como a nova tecnologia seria implementada. As seleções da Fase II deste ano abordam uma série de conceitos de ponta, desde telescópios flexíveis até novos materiais resistentes ao calor. Prêmios na Fase II podem valer até US $ 500.000 para estudos de dois anos.

As seleções da Fase II do 2019 são:

Telescópio Espectrográfico de Objetos Múltiplos Alto Éndendue (sigla em inglês, THE MOST): Um novo projeto de telescópio óptico flexível que pode ser implantado em um rolo cilíndrico e instalado durante sua entrega, em uma estrutura impressa em 3D – Tom Ditto, 3DeWitt LLC, Ancramdale, Nova Iorque

Síntese de Arranjo Estendido de Movimento Rotativo (sigla em inglês, R-MXAS): Um radiômetro de imagem de abertura sintética geoestacionária com uma antena rotativa com fio – John Kendra, Leidos, Inc., Reston, Virginia

Propulsão Auto-Guiada com Fachos para Missões Interestelares Inovadoras: Um esforço para avançar a tecnologia de propulsão com fachos autoportantes – Chris Limbach, Estação de Experimento de Engenharia Texas A & M, College Station

Estudos de Astrofísica e Laboratório Técnico de um Detector de Espaçonave Solar de Neutrinos: Um estudo de detector de neutrinos de pequena escala para avançar a tecnologia de detectores para futuras missões de sondas – Nickolas Solomey, Universidade Estadual de Wichita, Kansas

Velas Difrativas de Luz: Um estudo para projetar e avançar películas difrativos passivas e eletro-opticamente ativas, para missões em órbita terrestre baixa, órbitas solares internas e para estrelas distantes – Grover Swartzlander, Instituto de Tecnologia de Rochester, Nova York

Surfe Solar: Um estudo de ciência de materiais para determinar os melhores materiais de proteção, para permitir missões heliofísicas mais próximas do Sol – Doug Willard, Centro Espacial Kennedy da NASA, Cabo Canaveral, Flórida

A NASA selecionou as propostas das Fases I e II por meio de um processo de revisão por pares, o qual avalia a capacidade de inovação e a viabilidade técnica. Todos os projetos ainda estão nos estágios iniciais de desenvolvimento, a maioria exigindo uma década ou mais de maturação de conceito e desenvolvimento de tecnologia.

Pela primeira vez neste verão, o programa NIAC selecionará um estudo de Fase III. O prêmio será de até US $ 2 milhões por até dois anos. Esta fase final é projetada para fazer a transição estratégica de um conceito NIAC com o maior impacto potencial para a NASA, outras agências governamentais ou empresas comerciais.

Jason Derleth, executivo do programa NIAC, disse:

O NIAC diz respeito a ir ao limite da ficção científica… Estamos apoiando conceitos de tecnologia de alto impacto que podem mudar a forma como exploramos dentro e fora do sistema solar.

O NIAC faz parceria com cientistas, engenheiros e cidadãos inventores com visão de futuro de todo o país, para ajudar a manter a liderança dos EUA em pesquisa aeronáutica e espacial. O NIAC é financiado pela Diretoria de Missão de Tecnologia Espacial da NASA, responsável pelo desenvolvimento de novas tecnologias e capacidades pioneiras e transversais, necessárias para que a agência atinja suas missões atuais e futuras.

(Fonte)

Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.


AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.