web analytics

Porque o governo dos EUA finalmente admite que os OVNIs são reais e porque devemos prestar atenção

Tempo de leitura: 3 minutos


O ex-diretor do projeto do Pentágono para estudo dos OVNIs, Luis Elizondo, chama a atenção no artigo abaixo sobre a importância de manter o foco nos OVNIs e porque eles são uma ameaça em potencial.

Porque o governo dos EUA finalmente admite que os OVNIs são reais e porque devemos prestar atenção

Aqueles de nós que cresceram nos anos 1980 podem se lembrar do filme ‘Final Countdown‘ (Nimitz – De Volta ao Inferno), um fantasioso cenário ‘e se’ em que o poderoso porta-aviões USS Nimitz é misteriosamente transportado de volta no tempo para a Segunda Guerra Mundial.

No filme, os caças Zero japoneses encontram os supersônicos F-14 Tomcats de última geração, e, como se pode imaginar, o confronto desequilibrado faz um filme divertido e alguns pilotos japoneses muito assustados.

 Mas e se o contrário fosse o caso? Como seria o filme se o USS Nimitz desaparecesse de repente no futuro em vez do passado? E se os pilotos que voavam os Tomcats estivessem subitamente envolvidos com uma nave hiper-futurista que brincava com eles da mesma maneira que um gato brinca com um rato?

O paradoxo

Em dezembro de 2017, grande parte do mundo ficou surpreso ao saber que os pilotos do porta-avões USS Nimitz encontraram algo parecido com o cenário acima em 2004, enquanto faziam um exercício na ensolarada costa sul da Califórnia. Assim como um roteiro de um filme de ficção científica, os pilotos de caça “Top Gun” do Nimitz estavam envolvidos de forma injusta e tentavam interceptar algo que só poderia ser descrito como extraordinário.

O que os pilotos encontraram naquele dia foi capaz de realizar manobras de uma maneira que desafiou toda a lógica e nossa compreensão atual da aerodinâmica. Além disso, à parte do que os pilotos viram com seus próprios olhos treinado, a façanha tecnológica que eles encontraram foi ainda mais comprovada pelo impressionante radar Aegis SPY-1, o sistema de radar mais avançado dos EUA na época, e até mesmo câmeras e sistemas de sonar de submarinos que acompanham o transportadora.

Até agora, observamos algumas de suas capacidades, mas ainda não temos ideia de sua intenção. Dessa perspectiva, esse desafio não ortodoxo ainda pode ser considerado uma ameaça em potencial.

Foi este um caso de vida imitando a arte? Ninguém sabe realmente, mas mais de uma publicação foi capaz de verificar independentemente que esses incidentes, juntamente com muitos outros, foram oficialmente reportados ao próprio programa secreto do Pentágono chamado Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais (AATIP), que foi encarregado de tentar decodifica o mistério dos fenômenos aéreos não identificados (FANIs).

Igualmente chocante para a maioria foi o fato de que esses incidentes não foram isolados e continuaram por pelo menos uma década depois e envolveram outros grupos de batalha de porta-aviões em todo o mundo.

Como o povo americano tornou-se cada vez mais consciente de que este não era um enredo para um filme de ficção científica, mas eram eventos reais, o governo dos EUA foi forçado a responder.

O não ortodoxo

O complexo militar americano é indiscutivelmente a maior instituição do mundo para responder a ameaças. Isso é verdade nos campos de batalha, no ciberespaço e até mesmo no espaço exterior. Se há uma coisa em que eles são bons, é desenvolver tecnologias para combater qualquer ameaça, a fim de manter seu domínio. Então, por que estamos tão despreparados para abordar algo que pode facilmente manobrar nossos pilotos de primeira classe, em nosso próprio espaço aéreo rigidamente controlado?

Parte da razão é porque esses sistemas anômalos podem funcionar de maneiras que não estão apenas além de nossas próprias capacidades, mas superam de longe nossa compreensão atual de aerodinâmica e física! Por onde você começa quando todas as regras pelas quais você foi ensinado a viver foram quebradas?

Como se vê, nossa maior fraqueza pode ser o dogma pelo qual estamos cegos. Felizmente, o recente entendimento em física quântica e tecnologia de próxima geração pode nos ajudar a resolver esse problema.

O que complica ainda mais esse enigma é o fato de que continua sendo uma ameaça mal definida. Não significa que os OVNIs sejam uma ameaça implícita à nossa segurança nacional, mas é prudente que reconheçamos que qualquer coisa que possa ser executada com essas características certamente poderia representar uma ameaça, caso ela escolhesse fazê-lo.

Como tal, é imperativo que nosso aparato de segurança nacional compreenda melhor o que são essas coisas e de onde elas são. Nossos líderes precisam ter a coragem de fazer a pergunta, um adversário estrangeiro já ultrapassou os EUA? Ou isso é outra coisa?

Para determinar se algo é uma ameaça, devemos entender duas coisas, ‘capacidades e intenções’. Até agora, observamos algumas de suas capacidades, mas ainda não temos idéia de sua intenção. Dessa perspectiva, esse desafio não ortodoxo ainda pode ser considerado uma ameaça em potencial.

Durante meu tempo de diretor da AATIP, aprendi em primeira mão que talvez a maior ameaça de todas não tenha sido dos fenômenos, mas sim nós mesmos. Nossa incapacidade de processar dados que não se encaixam perfeitamente em nossos próprios paradigmas do que constitui uma ameaça ou um aliado, o que muitas vezes levou a olhares vazios e a um silêncio desconfortável.

Por fim, ficamos presos nesse ciclo interminável de descrença, estigma e ‘paralisia por análise’. Até hoje, existem elementos dentro do governo dos EUA que resistem a um estudo mais aprofundado deste tópico, apesar da esmagadora evidência fornecida por nossos bravos homens e mulheres de uniforme, que também é apoiada por nossos sensores e tecnologia mais avançados e confiáveis.

Então, aqui estamos no paradoxo do não ortodoxo.

(Fonte)

Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.


O que Luis Elizondo tenta fazer aqui é forçar a situação juntos aos governantes dos EUA para que o fenômeno seja estudado abertamente, e não da forma oculta que tem sido feita. Está claro, que esses objetos não são agressivos para as forças armadas do mundo, a não ser que eles próprios sejam atacados. Mas mesmo assim, há o quesito orgulho sendo ofendido, pois estes OVNIs são infinitamente superiores a qualquer aeronave abertamente conhecida.

Estamos vivendo tempos interessantes, e até agora somente a grande mídia dos EUA e do Reino Unido estão levando o caso a sério.

Quando o resto do mundo finalmente acordar, o bonde já terá passado há muito tempo.

n3m3

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais.



Termos recém pesquisados por leitores:

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado superior direito de cada comentário.

Obrigado.