web analytics

Pegada de ‘bigfoot’ na Argentina?

Tempo de leitura: 3 minutos

A pegada mede 15 centímetros de largura e 25 de comprimento, em forma humanoide. Os moradores dizem que ruídos estranhos foram ouvidos e que os animais da fazenda estão desaparecendo.

* Conteúdo da matéria ainda necessitando informações adicionais ou provas mais concretas para constatar a veracidade dos fatos, mesmo se vindo de fontes fidedignas. (Missão do OVNI Hoje)

Pegada de 'bigfoot' na Argentina?

Semanas atrás, uma imagem se tornou viral, mostrando claramente uma pegada gigantesca. A foto foi tirada pelo proprietário da fazenda localizada em Ovando. Ninguém sabe a que espécie ela pode pertencer.

A aparição das pegadas coincidiu com histórias contadas por moradores locais, que afirmam ter ouvido ruídos estranhos à noite.

O fato é que, depois que a imagem se tornou viral, levantou-se a possibilidade de que o Ucumar (um bigfoot sul-americano) apareceu novamente. Esta não é a primeira vez que circulam rumores desse ‘humanoide’ na Cidade Termal, pois geralmente aparece nos mesmos lugares e áreas.

A fazenda em que essas trilhas foram encontradas chama-se Don Rosa, e está localizada entre os distritos de San Martin e Ovando, a cerca de 300 metros do rio.

Nelson Colque, proprietário da fazenda, disse ao El Tribuno:

Algumas semanas atrás, descobrimos que alguns animais estavam faltando em seus currais, e fomos procurá-los na mata. Havia chovido dias antes e ainda havia várias poças ao longo da trilha.

Então, enquanto caminhávamos, percebemos que havia algumas pegadas que não eram normais, mas que não lhes demos muita atenção, e continuamos.

Encontramos as mesmas pegadas novamente e tirei algumas fotos delas.

Mas o que nos impressionou foi o tamanho da pegada. Media entre 12 e 15 centímetros de largura e cerca de 25 a 30 centímetros de comprimento. Por suas proporções, realmente não é uma pegada normal

Ele também relembrou:

Na noite anterior ao surgimento das pegadas, ficamos intrigados com a uivação dos cães. Eles latiram e uivaram desconsoladamente. Pensamos que os ladrões estivessem a pé e o guarda-caça disparou alguns tiros para o alto. Após o disparo, os cães se acalmaram imediatamente. O que é estranho é que sempre que as pessoas estão por perto, os cães geralmente latem, mas não uivam.

Isso também aconteceu em uma fazenda de amigos, adjacente à minha, onde os cães uivavam e isso é muito estranho. Alguns animais foram perdidos no ano passado, mas nunca descobrimos se os ladrões estavam roubando-os ou o quê. O mais estranho foi encontrar um animal em pedaços. Ladrões não rasgam animais em pedaços; predadores o fazem. Mas não temos ideia de qual espécie o predador pertence.

Coque explicou:

O porco mutilado em questão era grande, e é por isso que estávamos sempre em dúvida, já que [essa propriedade] não tem cães grandes e é impossível para as raposas mutilarem um animal pesando mais de 20 quilos de tal maneira

Ele também disse que não há pumas ou outros animais silvestres na área a qual uma pegada tão grande poderia estar associada.


A lenda do Ucumar

O historiador, escritor e poeta Carlos Jesús Maita disse ao El Tribuno quem é o Ucumar, de acordo com a lenda.

Maita descreveu:

É uma lenda tradicional do noroeste da Argentina. Aqui em Rosario de la Frontera ela surgiu como resultado da ingenuidade e superstição populares. Há aqueles que afirmam ter visto essa figura mítica e lendária. A criatura é uma espécie de híbrido humano-animal, uma mistura de urso, homem e macaco

Quanto às suas origens, o historiador disse:

[O Ucumar] surgiu como uma consequência de relações sexuais entre padrinhos e madrinhas, ou entre um proprietário e uma de suas empregadas domésticas, em que a criança ficou escondida em uma selva ou floresta. Acabou vivendo na floresta, e foi assim que surgiu um humanoide.

Outra história repleta de superstições sugere:

O Ucumar é uma criatura que vive em áreas florestais e se dirige para áreas povoadas para roubar uma mulher, a fim de garantir sua sucessão genética.

Quanto à sua aparência, Maita disse:

Existem diferentes descrições de sua fisionomia. Alguns dizem que ele é robusto, peludo e vem em tamanhos diferentes. Isso tem a ver com o fato de que nessas áreas, e mais para a região de Yungas, existe um urso conhecido como Ukumari, uma espécie quase extinta, mas que deu origem a esse tipo de superstição anos atrás, pois sua fisionomia sendo vista através do nevoeiro poderia causar confusão. Isso deu origem à sua interpretação como algo sobrenatural.

O historiador ainda informou:

Histórias foram tecidas em torno do Ucumar. Talvez tenha havido um estupro, ou roubo de animais – especialmente porcos – um assassinato de cães, entre outros. A imaginação popular já havia determinado que o culpado poderia ser humanoide.

(Fonte)