web analytics

O povo lagarto do subterrâneo de Los Angeles

Tempo de leitura: 2 minutos

O povo lagarto morava sob a cidade e o fizeram  por mais de 5.000 anos. Eles eram uma raça avançada. A história diz que eles têm placas de ouro com as origens da civilização humana esculpidas neles e riquezas muito imensas para serem calculadas, apenas esperando por sua descoberta.

O povo lagarto do subterrâneo de Los Angeles 1

O povo lagarto é tecnologicamente avançado e relacionado aos maias

Acredita-se que a raça superior do povo lagarto esteja relacionada aos maias que fugiram de uma chuva de meteoro catastrófica e criaram comunidades ao longo da costa do Pacífico, uma das quais estava localizada em Los Angeles. O povo lagarto seria tecnologicamente e intelectualmente avançado e teria usado químicos misteriosos para cavar uma enorme rede de 285 túneis. Acredita-se que todos os túneis estavam equipados com câmaras enormes, muitas das quais grandes o suficiente para abrigar até 1.000 famílias . As famílias viveram da água e da comida que era colocada nos túneis pela tribo.

A história do povo lagarto vem de um mito contado pelos índios Hopi e, mais especificamente, um membro da tribo com o nome da Chefe Folha Verde. O conto foi supostamente relatado a George Warren Shufelt, um engenheiro de mineração, em 1933. Shufelt estava atrás de uma invenção que ele chamou a máquina de raios-X de rádio, e ele disse que poderia detectar túneis no subsolo. Houve também a promessa de um mapa feito em pele de carneiro, que acredita-se  estar nas mãos dos caçadores de tesouros e, em 1933, o conto era o equivalente a algo viral hoje.

 

LA Times e a Associated Press ajudaram a espalhar a história do povo lagarto

O jornal Los Angeles Times publicou a história da procura de Shufelt pelo tesouro dourado pertencente ao povo lagarto, e a Associated Press espalhou o conto em todo os EUA. Foi dito que a cidade subterrânea, no formato de lagarto, ia desde o Parque Elysian até a cauda, que é a Biblioteca Central hoje.

Shufelt afirmou ter encontrado a localização exata dos 1.900 pés quadrados de túneis, juntamente com salas que tinham 9.000 pés de espaço e 16 salas em que o ouro estava armazenado, e ele achou isso usando sua máquina de raios-X. Ele começou a criar um mapa de todas as passagens sob a superfície de Fort Moore Hill. Ele também recebeu permissão do Conselho de Supervisores do Condado para iniciar uma escavação na Rua North Hill durante a depressão, e isso foi observado por muitas pessoas. Os relatos do jornal eram especulativos e diziam que o tesouro enterrado era composto de ouro espanhol que havia sido colocado lá durante o período colonial, e que a equipe achava que estavam prontos para recuperá-lo quando 28 pés (8,5 metros) do poço foram afundados.

O povo lagarto do subterrâneo de Los Angeles 2

Shufelt cavou 250 pés (76 metros) para baixo, mas não encontrou tesouros de túneis

Um acordo foi feito por Shufelt, juntamente com o resto de sua equipe, que seria dividido 50-50 com o condado. A escavação foi abrandada por muitos desafios, inclusive lama e pedras densas. Havia alguns especialistas que afirmaram que a escavação teria que descer cerca de 1.000 pés (300 metros). Shufelt conseguiu descer cerca de 250 pés (76 metros), mas ele não encontrou túneis ou tesouros.

Uma vez que o inverno se tornou primavera, a escavação foi interrompida devido a falta de dinheiro e lentamente as histórias dos túneis e tesouros pararam.

G. Warren, que é o nome que ele adotou durante a busca pela cidade de lagartos, permaneceu em Los Angeles e morou em North Hollywood , onde, em novembro de 1957, morreu e deixou uma história que ainda é discutida hoje, juntamente com um mapa.

(Fonte)

Se você acha impossível que exista ou possa ter existido uma raça de reptilianos na Terra, veja o artigo abaixo:

Artigo científico explica a possível existência de humanoides reptilianos

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado superior direito de cada comentário.

Obrigado.