Pesquisadores encontram evidências de um ambiente que pode ter suportado a vida em Marte

Tempo de leitura: 2 min.

evidência-de-ambiente-habitáve-em-MartePesquisadores disseram que a vida microbiano provavelmente existiu no pé de Arsia Mons, um vulcão extinto em Marte – que no passado foi encrustrado com uma geleira, há aproximadamente 210 milhões de anos.  A combinação de gelo e calor teria resultado numa grande massa de água, a qual poderia ter sido sustentada por centenas, ou alguns milhares de anos.

Estou muito empolgada“, disse a autora líder da publicação, Kathleen Scanlon, uma aluna de doutorado e geóloga da Universidade Brown. “É realmente um bom conjunto de formações de solo que juntas apontam para exatamente o mesmo processo.  Assim, isso foi realmente legal“, reportou o Los Angeles Times.

Pesquisadores chegaram à esta conclusão após a análise de sinais deixados na superfície marciana.  Eles disseram que as marcas deixadas sobre os terrenos eram similares àquelas abandonadas por geleiras nos Vales Secos McMurdo da Antártica.

Eles também disseram que duas bolhas líquidas que se formaram através do derretimento de geleiras sólidas, continham aproximadamente 40 quilômetros cúbicos de água.  A água acumulou nestes depósitos  e teria permanecido na forma líquida por vários séculos.

Micróbios sobrevivendo lagos sub-glaciais, temperaturas gélidas, escuridão total e pressões altas pode não soar como algo convincente.  Mas foi descoberto que estes organismos resistem às condições similares na Terra também.  Um estudo de 2013, da Universidade Bowling Green State, descobriu que os micróbios prosperavam a mais de 3,6 quilômetros de profundidade abaixo do gelo.  Os pesquisadores descobriram o DNA de uma variedade de micróbios em amostras de gelo de lagos sub=glaciais da Antártica.

Se pudermos confirmar que houve vida ao seu redor, então nossa próxima questão é, por quanto tempo ela foi capaz de sobreviver e poderia ainda haver micróbios dormentes em algum lugar próximo da superfície?”  disse Scanlon. “Eu acho que a Arsia Mons seria um ótimo local para responder questões como essa...”

Esta descoberta surge enquanto a NASA e outras agências espaciais continuam suas tentativas de estabelecer se houve vida no Planeta Vermelho.

O trabalho foi divulgado na publicação Icarus.

n3m3

Fonte: www.universityherald.com

Colaboração: Geek

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.