web analytics

Astrônomos britânicos fazem mutirão para procurar por ETs

Tempo de leitura: 1 minuto
Radio Telescópio Jodrell Bank, no Reino Unido.

Rádio Telescópio Jodrell Bank, no Reino Unido.

Enquanto poucos cientistas ainda declaram que a vida em todo o Universo é exclusividade da Terra, astrônomos britânicos montaram um rede de especialistas para promover a procura por inteligência extraterrestre, disse a Sociedade Astronômica Real na sexta-feria, 5 de julho.

O grupo é composto por acadêmicos de 11 instituições britânicas, os quais irão analisar dados de radio telescópios e trocar idéias sobre como melhor detectar sinais vindos de outras civilizações, para então interpretá-los.

Batizada de UK SETI Research Network – UKSRN, a organização conta com Martin Rees, astrônomo Real, que anteriormente foi presidente da academia de ciências Royal Society, da Grã-Bretanha.

A UKSRN apresentou seu trabalho na conferência anual da Sociedade Astronômica Real, em Edinburgh, na sexta-feria.

Os astrônomos do Instituto SETI dos Estados Unidos tem procurado por sinais de vida inteligente além do nosso sistema solar desde 1984.  Eles alegam não ter encontrado nenhum sinal e ainda assim o interesse na procura permanece forte, impulsionado pela detecção de planetas orbitando estrelas distantes e pela redução de custos no monitoramento de ‘ruído de fundo’ do espaço profundo.

Recentemente o Reino Unido comissionou 7 rádio telescópios para o projeto SETI (e-MERLIN), no Observatório Jodrell Bank, próximo a Manchester.

Anteriormente, “o equipamento requerido para peneirar os dados era muito caro e pouco comum, mas nossos telescópios modernos são potencialmente capazes de conduzir estes tipos de observações normalmente,” disse Tim O’Brien de Jodrell Bank.

n3m3

Fonte das informações: Agence France-Presse