Sondas extraterrestres podem estar em nosso sistema solar

Tempo de leitura: 3 min.
Segundo as conclusões do estudo, poderia haver alguma pequena sonda interestelar alienígena em nosso sistema solar, sem que soubéssemos. Imagem: Ilustração artística de Jorge Munnshe.

As sondas espaciais Pioneer 10, Pioneer 11, Voyager 1 e Voyager 2, que estão em trajetória interestelar, levam consigo mensagens e informações, caso algum dia sejam encontradas por seres inteligentes em outro sistema solar.

Desde a década de 70, nós humanos temos a capacidade tecnológica para enviar naves para fora de nosso sistema solar, embora a uma velocidade muito lenta, levando milhares de anos para que estas sondas alcancem outro sistema solar. Assim, cabe a nós refletir se outras civilizações em nosso cosmos fizeram o mesmo.  Apesar da possibilidade existir, os cientistas ainda não detectaram [ou alegam não ter detectado] nenhuma destas naves em nosso sistema solar. Mas, por que?

A resposta tradicional sempre tem sido: porque ninguém chegou aqui ainda.

Agora, uma hipótese alternativa foi apresentada por Jacob Haqq-Misra, e Ravi Kumar Kopparapu.

Estes cientistas da Universidade Estadual da Pensilvânia, nos EUA, abordam o problema diante de um enfoque matemático. e sua conclusão é a de que não temos examinado lugares suficientemente para ter a absoluta certeza de que não haja artefatos extraterrestres em nosso sistema solar.  A imensidão do espaço e nossas buscas escassas realizadas até agora implicam que qualquer sonda exploradora não tripulada, de origem extraterrestre e de tamanho discreto, provavelmente não seria detectada.  Falando de outra forma, poderiam haver artefatos extraterrestres em nosso sistema solar, sem que soubéssemos, simplesmente por não termos inspecionado nossa vizinhança planetária o suficiente.  Se já é difícil detectar asteróides, ainda seria mais difícil detectar um objeto que com 1 a 10 metros de diâmetro.

O paradoxo de Fermi, formulado por Enrico Fermi, diz que se a vida inteligente é comum, por que não temos detectado nenhuma civilização alienígena?  As respostas a esta pergunta poderiam ser porque a vida inteligente é rara, porque as civilizações inteligentes avançadas inevitavelmente se auto-destruíram, porque esses seres inteligentes ainda não nos visitaram por estarem muito longe, ou porque estão à nossa volta, mas não se revelam.  Qualquer que seja o caso, também cabe a possibilidade de que, igualmente como nós humanos fazemos, outras civilizações também estejam enviando sondas não tripuladas ao nosso sistema solar, para observar discretamente a Terra e outros planetas.  Inclusive poderia haver alguma sonda em órbita do Sol, ou repousando em algum canto de um astro de nosso sistema solar.

Essas sondas, de tamanho modesto como as nossas, poderiam estar ocultas em uma grande variedade de lugares.  No cinturão de asteróide, por exemplo, elas passariam desapercebidas, especialmente se medissem não mais de 10 metros.

Haqq-Misra e Kopparapu desenvolveram uma equação que pode ser aplicada à uma parte do volume de espaço ocupado pelo nosso sistema solar, e assim determinar se uma busca suficientemente detalhada foi efetuada nesta zona, para assegurar que não haja nela objetos extraterrestres artificiais.

Os cientistas ratificaram que embora ainda não possamos responder com certeza à pergunta se há, ou não, alguma nave artificial extraterrestre em nosso sistema solar, não se pode descartar esta possibilidade por completo.

A superfície da Terra é um dos poucos lugares no sistema solar que foi examinado quase por completo, com uma resolução espacial de menos de 1 metro.

Mas embora nós humanos ocupemos boa parte da superfície sólida da Terra, ou a temos explorado ou fotografado das alturas, ainda existem cavernas e selvas, assim como grande parte do leito do oceano e as profundidades do subsolo, que não foram explorados.  Apesar disso, há um grande convencimento de que na Terra não  há artefatos extraterrestres.

Somente uma pequena parte da Lua e Marte foram examinados.  Uma missão de mapeamento, o LRO (Lunar Reconnaissance Orbiter, ou Orbitador de Reconhecimento Lunar), está permitindo observar a superfície da Lua com uma resolução de 50 centímetros, o que tornará possível, dentro de algum tempo, nos assegurar de que não há objetos artificiais alienígenas em sua superfície.  Mesmo assim, a perícia dos investigadores que interpretam as imagens da superfície da Lua pode não ser adequada para distinguir uma rocha de uma sonda espacial coberta por pó.

A superfície de Marte, porém, é por sua maior parte inexplorada.

Igualmente, há outros lugares pouquíssimo explorados, como o cinturão de asteróides e o cinturão de Kuiper, os quais poderiam abrigar algumas sondas espaciais chegadas de outros sistema solar.

E, em qualquer caso, a maior parte do volume de espaço ocupado pelo sistema solar não foi inspecionada pela raça humana.

As buscas efetuadas até agora no sistema solar não são suficientes, por isso não podemos descartar a possibilidade de que artefatos extraterrestres estejam presentes nele, e inclusive que não estejam nos observando“, argumentam Haqq-Misra e Kopparapu.

n3m3

Fonte: http://noticiasdelaciencia.com

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.