OVNI oval do tamanho de um SUV foi mantido em base secreta da Força Aérea, afirma denunciante

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 5 min.

Um OVNI metálico em forma de ovo foi mantido na Área 51 (EUA) na década de 1980, afirma um denunciante em entrevista exclusiva ao DailyMail.com.

Eric Taber diz que OVNI oval foi encontrado no deserto pela CIA. (Foto de Taber-captura de vídeo/OVNI oval-imagem ilustrativa)

Engenheiros da base aérea de Nevada alegaram que a CIA encontrou a estranha nave no deserto e a trouxe para investigação – mas depois a despachou para outra base após não conseguirem entrar no objeto.

Eric Taber é empreiteiro aeroespacial de defesa há 13 anos e possui autorização de segurança para trabalhar em aeronaves militares.

Em uma entrevista ao DailyMail.com, ele revelou a história que seu falecido tio-avô Sam Urquhart, um empreiteiro da Área 51, lhe contou sobre um OVNI na misteriosa base do deserto.

Taber testemunhou em maio à unidade de investigação de OVNIs do Pentágono, o Escritório de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO), que está coletando relatos de suposta posse governamental de naves não humanas.

A afirmação – embora seja uma história não verificada de uma testemunha já falecida – faz parte de uma longa história de rumores sobre potenciais naves extraterrestres ou naves espaciais futuristas armazenadas na base aérea do deserto do estado de Nevada, perto de Groom Lake, ao norte de Las Vegas.

A notícia surge depois de denunciantes terem dito ao Congresso que o governo tem um programa secreto para capturar veículos “não-humanos” acidentados ou aterrados e que durante décadas tem tentado obter conhecimentos tecnológicos destes alegados objectos de outro mundo.

Taber falou ao DailyMail.com apenas sobre a história de seu tio-avô, recusando-se a comentar sobre qualquer trabalho seu como empreiteiro de defesa.

Ele disse que fez amizade com o irmão de sua avó depois de se mudar do Mississippi para a Costa Oeste em 2012.

O engenheiro mais jovem disse que questionou Urquhart repetidamente sobre a verdade a respeito dos rumores de alienígenas na Área 51, e sempre foi ignorado. Mas um dia Urquhart cedeu.

Taber disse:

“Meu tio-avô serviu na Força Aérea por 28 anos, posto E8 [equivalente a primeiro sargento]. Ele me disse que trabalhou na Área 51 de 1997 a 2014.”

Urquhart começou seu trabalho na Área 51 trabalhando para a empreiteira de defesa EG&G, que mais tarde fez parceria com a Raytheon para se tornar JT3 LLC e posteriormente JT4 LLC.

Ele disse:

“Ele era chefe de segurança de seu grupo de engenharia e especialista em configuração de dados. Seu grupo fez testes transversais de radar.

Eu ficava perguntando a ele sobre OVNIs. Ele disse ‘não sei de nada’. Então, um dia, estávamos na varanda dos fundos e ele disse: ‘Ok, vou lhe contar sobre uma nave que eu conheci’.

Ele disse: ‘Quando cheguei lá pela primeira vez em 1997, tive uma conversa pessoal com um engenheiro sênior da EG&G cujo grupo foi encarregado de tentar fazer engenharia reversa de um objeto que foi trazido para lá por algumas pessoas da CIA na década de 1980.’

Supostamente foi encontrado em um local remoto e desértico, totalmente intacto.

O engenheiro sênior da EG&G descreveu ao meu tio-avô que ele tinha formato de ovo, mais ou menos do tamanho de um SUV, liso e sem emendas, de aparência metálica, de cor cinza prateado, sem superfícies de controle, sem flaps, sem entrada e sem escapamento e sem escrita ou símbolos do lado de fora.

Estes são os melhores e mais brilhantes engenheiros que você pode imaginar. Eles tentaram, sem sucesso, descobrir qual era a fonte de energia, como ativá-la e como funcionava. Eles tentaram induzir eletricidade a ele.

Os raios X não conseguiram penetrá-lo; apareceu nos raios X como um objeto sólido. Tentaram abri-lo e penetrar no seu casco; eles não puderam.

Eles disseram que conseguiram colher algumas amostras muito pequenas do material. E não sou especialista em química, mas acho que pela proporção de isótopos ou pela mistura de elementos, concluíram que não foi feito na Terra.”

Taber disse que Urquhart lhe disse que eventualmente a nave foi enviada para outra base, possivelmente White Sands Missile Range, no Novo México, e essa foi a última vez que os engenheiros ouviram falar dela.

Mas Urquhart teve mais uma reviravolta chocante na sua história.

Ele disse:

“Meu tio-avô coletava dados de radar e os colocava em cofres seguros para catalogá-los e armazená-los. Ele estava em uma dessas salas seguras de armazenamento de dados no prédio de controle principal, apelidado de Taj Mahal, quando viu na parede uma fotografia colorida nítida e de perto do mesmo objeto que o engenheiro sênior havia discutido.”

Taber compartilhou com o DailyMail.com fotos que Urquhart lhe mostrou, incluindo uma foto de grupo com seus colegas engenheiros da Área 51 em um trailer na base e um distintivo de insígnia projetado para seu grupo de análise de radar.

Mas a suposta foto da nave em forma de ovo nunca saiu do cofre da Área 51.

Taber disse ao DailyMail.com:

“Sam disse que o povo americano provavelmente nunca veria isso.”

Taber admitiu que vendeu o distintivo de seu tio-avô por US$ 600 no eBay em março, quando estava precisando de dinheiro – uma decisão da qual agora se arrepende.

Urquhart, um veterano de 28 anos da Força Aérea que serviu nas guerras do Vietnã e do Golfo, morreu em agosto do ano passado aos 75 anos.

Sua história foi agora documentada pelo escritório de investigação de OVNIs do Pentágono, AARO, depois que Taber foi entrevistado pela equipe em maio.

Um memorando de seu relato, juntamente com outros relatórios e depoimentos de testemunhas, deverá ser compilado e enviado ao Congresso no próximo ano.

Taber disse que os funcionários do AARO eram “profissionais” e “não ameaçadores”, acrescentando:

“Fiquei surpreso com o quão interessados ​​eles estavam.”

Taber disse que decidiu avançar para pressionar pela divulgação limitada do que ele acredita ser a verdade sobre as naves não-humanas em posse do governo.

Ele disse:

“Fiz esta entrevista de uma forma que considero que não revela informações técnicas que os nossos adversários possam explorar.

Apesar do que as pessoas possam pensar, os segredos podem ser guardados. Se você está sendo bem pago, se tem autorização de segurança, se assinou um acordo de sigilo, você ficará feliz, trabalhará duro e manterá a boca fechada.

O desacobertamento tem que ser feito com muito cuidado. Não queremos que nossos inimigos saibam tudo sobre o que temos. Mas acredito sinceramente que a humanidade merece saber a verdade, se tivermos recuperado estes objetos ou naves não-humanas, o que acredito 100% que temos.”

O ex-empregador de Urquhart, EG&G, estava ligado a outras alegações de um programa secreto do governo que detinha naves alienígenas acidentadas.

O físico e oficial de inteligência Dr. Eric Davis supostamente se encontrou com o então vice-diretor da Agência de Inteligência de Defesa, vice-almirante Thomas Wilson, no estacionamento de um site da EG&G em Las Vegas em outubro de 2002, e escreveu notas sobre o que Wilson lhe disse.

De acordo com as notas, o vice-almirante disse a Davis que no início dos anos 2000 ele descobriu – mas teve seu acesso negado – um programa secreto administrado por um empreiteiro de defesa que recuperou e tentou fazer engenharia reversa de OVNIs.

Documentos controversos afirmam que Wilson encontrou discrepâncias nos orçamentos que o levaram ao programa gerido por “um empreiteiro de tecnologia aeroespacial – um dos principais nos EUA”.

Notas supostamente escritas por Davis documentando a conversa vazaram do espólio do falecido astronauta Edgar Mitchell em 2018.

Davis recusou-se a confirmar publicamente a sua autenticidade, embora o seu amigo e ex-funcionário sênior do Pentágono, Christopher Mellon, tenha escrito no seu blog no ano passado que Davis é de fato o autor.

Wilson negou veementemente ter conhecido Davis, dizendo ao jornalista Ross Coulthart que ele estava em um campo isolado no estado de Maine durante outubro de 2002, e só tinha estado em Las Vegas uma vez: um destacamento para a base da Força Aérea de Nellis em 1979 ou 1980.

As notas foram registradas no registro do Congresso pelo congressista de Wisconsin, Mike Gallagher, na histórica audiência sobre OVNIs no ano passado.

O notório ex-trabalhador da Área 51, Bob Lazar, afirmou desde sua primeira entrevista em 1989 que trabalhou em um programa de engenharia reversa de disco voador alienígena em Groom Lake – embora muitos elementos de sua história tenham sido desmascarados.

Taber disse que seu tio-avô lhe disse que sabia que Lazar trabalhava na base, mas que grande parte de sua história foi inventada.

Taber disse:

“Ele esteve lá apenas por alguns meses. Ele afirma que havia um local chamado S-4 na base das montanhas Papoose com nove seções de hangar construídas na encosta da montanha abrigando nove discos voadores. Meu tio-avô disse que é falso. A única coisa que Papoose tinha era algum equipamento de torre de rádio. Essa foi a opinião dele sobre isso.”

(Fonte)



…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Danilo Tercariol ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


Área 51denunciantedesacobertamento dos OVNIsEric TaberOVNI oval
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.