Cientistas confusos: o campo magnético do Sol parece estar invertendo

Tempo de leitura: 2 min.

A Sonda Solar Parker da NASA fez o voo mais próximo de sempre do Sol em agosto de 2018, coletando grandes quantidades de dados usando instrumentos científicos de ponta a uma distância de 24 milhões de quilômetros – uma missão que também bateu o recorde de maior velocidade já obtida por um objeto feito pelo homem.

Agora, os cientistas estão começando a divulgar o que aprenderam com os dados coletados. Quatro novos artigos publicados na revista Nature revelam novas descobertas que podem reescrever a maneira como entendemos a forma como as estrelas nascem, evoluem e morrem. Eles também podem nos ajudar a encontrar novas maneiras de proteger os astronautas das duras condições espaciais durante viagens de longa distância através do Sistema Solar.

Stuart Bale, pesquisador principal do conjunto de instrumentos a bordo da sonda na Universidade da Califórnia, em Berkeley, disse:

A complexidade era alucinante quando começamos a examinar os dados. Agora, eu me acostumei. Mas quando mostro colegas pela primeira vez, eles ficam impressionados.

A descoberta mais surpreendente que as equipes fizeram foi que os campos magnéticos que emanavam de nossa estrela pareciam inesperadamente girar para frente e para trás, causando distúrbios locais – o que os cientistas chamaram de ‘switchbacks’ – que podem até fazer com que eles apontassem de volta ao Sol algumas vezes.

A causa disso ainda é um mistério para os cientistas, mas eles podem nos permitir entender como a energia flui para longe do Sol e por todo o Sistema Solar.

Justin Kasper, investigador principal da Universidade de Michigan, disse em comunicado:

As ondas foram vistas no vento solar desde o início da era espacial, e presumimos que mais perto do Sol as ondas ficariam mais fortes, mas não esperávamos vê-las se organizar nesses picos de velocidade estruturados e coerentes.

Os cientistas também descobriram que a radiação do Sol vaporiza partículas de poeira cósmica ao seu redor, deixando uma zona livre de poeira de 9 milhões de quilômetros.

Eles também descobriram que os ventos solares giram em torno do Sol a velocidades “quase dez vezes maiores do que o previsto pelos modelos padrão”, segundo Kasper.

A missão também marca a primeira vez que fluxos de vento solar foram observados ainda girando em torno do Sol, em vez de dispararem a uma velocidade perpendicular à estrela – o tipo de trajetórias retas que observamos da Terra.

Nicola Fox, diretor da Divisão de Heliofísica na sede da NASA, disse no comunicado:

O Sol é a única estrela que podemos examinar perto assim. Obter dados na fonte já está revolucionando nosso entendimento de nossa própria estrela e estrelas em todo o universo. Nossa pequena espaçonave está enfrentando condições brutais para enviar para casa revelações surpreendentes e emocionantes.

A sonda tentará se aproximar ainda mais do Sol durante um encontro em 29 de janeiro de 2020.

(Fonte)


Nada como novas pesquisas para desbancar as velhas teses.

E assim caminha a ciência.

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo:

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!
astronomiacampos magnéticosinversão dos polosSolSonda Solar Parker
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.