Jato de rádio do centro da galáxia está apontado para a Terra – Novas observações sugerem

Tempo de leitura: 2 min.
Imagem meramente ilustrativa.

Astrônomos descobriram que a emissão do buraco negro supermassivo Sagitário A* (Sgr A*), no centro da nossa galáxia, vem de uma região menor do que se pensava anteriormente.

Isso pode indicar que um jato de rádio da Sgr A* está apontado quase diretamente para a Terra.

Até agora, uma nebulosa de gás quente impediu que os astrônomos fizessem imagens nítidas do buraco negro supermassivo Sgr A* e isto causava dúvidas sobre sua verdadeira natureza. Agora, eles incluíram pela primeira vez o poderoso telescópio ALMA no norte do Chile, em uma rede global de radiotelescópios para espiar através dessa neblina, mas a fonte continua surpreendendo-os: sua região de emissão é tão pequena que a fonte pode estar apontando diretamente para a direção da Terra.

Agora, os pesquisadores conseguiram mapear as propriedades exatas da dispersão da luz bloqueando nossa visão da Sgr A*. A remoção da maioria dos efeitos de espalhamento produziu uma primeira imagem do entorno do buraco negro, e esta imagem não-difundida permitiu à equipe restringir modelos teóricos para o gás em torno de Sgr A*. A maior parte da emissão de rádio vem de apenas 300 milionésimos de grau, e a fonte tem uma morfologia simétrica.

Sara Issaoun, estudante de graduação da Radboud University Nijmegen, na Holanda, que lidera o trabalho e testou vários modelos de computador contra os dados, explicou em um comunicado de imprensa:

Isso pode indicar que a emissão de rádio é produzida em um disco de gás, ao invés de um jato de rádio.

No entanto, isso tornaria a Sgr A* uma exceção em comparação com outros buracos negros emissores de rádio. A alternativa poderia ser que o jato de rádio esteja apontando quase para nós.

O astrônomo alemão Heino Falcke, professor de radioastronomia na Radboud University e supervisor de PhD da Issaoun, chama essa afirmação de muito incomum, mas ele também não a descarta. No ano passado, Falcke teria considerado este um modelo planejado, mas recentemente a equipe GRAVITY chegou a uma conclusão semelhante usando o Very Large Telescope Interferometer do ESO de telescópios ópticos e uma técnica independente.

Ele conclui:

Talvez isso seja verdade depois de tudo, e estamos olhando para essa fera de um ponto de vista muito especial

Buracos negros supermassivos são comuns nos centros de galáxias e podem gerar os fenômenos mais energéticos no universo conhecido. Acredita-se que, em torno desses buracos negros, a matéria caia em um disco rotativo e parte dessa matéria seja expelida em direções opostas ao longo de dois feixes estreitos, chamados jatos, a velocidades próximas à velocidade da luz, que normalmente produz muita luz de rádio.

Thomas Krichbaum, membro da equipe, explica:

Se a emissão de rádio vista da Sgr A* se origina de uma estrutura subjacente simétrica, ou é intrinsecamente assimétrica, é uma questão de discussão intensa.

(Fonte)


Mistérios e mais mistérios esperam para ser desvendados lá fora no Universo. Este é mais um deles que se une a tantos, com as agora conhecidas Rajadas Rápidas de Rádio, que cruzam o Universo vindas de outras galáxias.

“ET phone FROM home?”

astronomiaburaco negrojatos de rádiomistério do universosinal alienígena
Comentários não são disponíveis na versão AMP do site. (0)
Clique aqui para abrir versão normal do artigo e poder comentar.