web analytics

Astrônomos oficiais discutem a possibilidade de três dias de escuridão

Compartilhe com a galáxia!
Tempo de leitura: 2 min.
Ouça este artigo...

As fontes tradicionais de várias histórias de terror astronômico e geológico são muitas vezes médiuns que afirmam ter visto tais coisas em sonhos e visões. Curiosamente, parece que astrônomos de renome também opinaram sobre o assunto, com o spaceweather.com lançando um filme completo sobre um cenário hipotético de três dias de escuridão.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Default_darkness_outside_a_city_1.jpg
Crédito da imagem ilustrativa: n3m3/leonardo.ai

Em termos gerais, os astrônomos explicam que a Terra, juntamente com todo o sistema solar, não está situada num meio interestelar puro, mas reside dentro de uma bolha criada pelo vento solar, conhecida como heliosfera.

Na verdade, a nossa Galáxia está longe de estar vazia, repleta de objetos como nuvens de gás interestelar e nuvens de poeira. A probabilidade do Sol encontrar tal nuvem é de aproximadamente 1-2%.

No caso de uma colisão com uma nuvem de gás ou poeira interestelar, as simulações sugerem que a heliosfera se contrairia para apenas 0,22 unidades astronômicas (UA), um tamanho consideravelmente menor que a órbita de Mercúrio.

Devido ao achatamento da heliosfera, a Terra estaria exposta ao aumento da radiação galáctica. Também começaria a receber bombardeios de átomos de hidrogênio e poeira da nuvem. Evidências de tais bombardeios foram descobertas nas camadas que contêm restos de australopitecos, levando os astrônomos a considerarem isso como uma causa potencial para sua extinção e o subsequente salto evolutivo.

A extinção de australopithecines poderia ter sido devido a um aumento dramático na radiação cósmica, ou possivelmente os componentes da nuvem interestelar fria drasticamente afetaram o clima. Sabe-se que alterações climáticas causam a extinção de vária espécie.

O aspecto intrigante é que os astrônomos não conseguem observar diretamente uma nuvem de poeira cósmica no seu caminho. Ela se torna visível apenas à distância, como se fosse vista externamente. Além disso, é possível deduzir o momento de um encontro com tal nuvem através de estratos geológicos e depois traçar a trajetória do Sol para trás. Através deste método, é evidente que a Terra passou por uma nuvem de gás na constelação do Lince há milhões de anos. No entanto, determinar se estamos atualmente numa nuvem semelhante não é viável.

O método mais confiável é implantar instrumentos dentro da órbita de Mercúrio, onde as condições da heliosfera são mais aparentes. Mesmo que estejamos atualmente dentro de uma nuvem interestelar, avaliar esta situação para além da órbita de Mercúrio é um desafio devido à nossa compreensão limitada do estado normal da heliosfera.

Curiosamente, as missões para estudar o Sol aumentaram em frequência, com inúmeras agências espaciais lançando vários satélites. Esta tendência pode indicar que a NASA possui conhecimento adicional.

Por exemplo, existe a hipótese de que estamos à beira de uma enorme nuvem interestelar na constelação de Leão. Se for esse o caso, a nossa jornada através dela poderá conter outros eventos inesperados, como um período de escuridão causado por uma densa camada de poeira cósmica.

(Fonte)


…E não esqueça: Nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui para acessá-la.

ATENÇÃO: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

IMPORTANTE: Se puder, colabore para manter o OVNI Hoje no ar, pois cada doação, por menor que seja, é crucial para manter este espaço de informação e conhecimento disponível para todos os interessados. Ao utilizar o QR code do PIX abaixo ou a chave PIX “OVNIHoje” (sem aspas), você está desempenhando um papel fundamental na sustentação deste site.

Lembre-se que as doações não são apenas um ato de generosidade, mas também uma demonstração do seu compromisso em apoiar o compartilhamento de informações relevantes e o crescimento da comunidade interessada em assuntos tão fascinantes, possibilitando a continuação das pesquisas, análises e publicações que enriquecem nosso entendimento.

Seja parte deste movimento contínuo em prol do conhecimento. O OVNI Hoje e seus leitores agradecem sinceramente por seu apoio dedicado.

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward Vaz Jr. ❤️ Silas Raposo ❤️ Leopoldo Della Rocca ❤️ Egídia L dos Santos ❤️

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS
(Mais abaixo…👇)

ATENÇÃO:


Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!

hit counter code